Alagoas: As melhores praias entre Maragogi e São Miguel dos Milagres

Sou potiguar, mas não posso negar que o litoral de Alagoas é, no Nordeste brasileiro, o que mais se aproxima do Caribe: com um mar calmo, de águas em tons turquesa, areia branquinha e coqueirais. Além disso, na chamada Costa dos Corais, que possui 130 km de extensão, e vai dos municípios de Paripueira até Maragogi, ainda está a segunda maior barreira de corais do mundo (atrás apenas da barreira australiana), o que permite fazer mergulhos em piscinas naturais, em praticamente todas as praias. Fizemos um roteiro de 5 dias, em parte desta costa e irei listar aqui as melhores praias (na nossa opinião) entre Maragogi e São Miguel dos Milagres.

Praia de Ponta do Mangue, em Maragogi
Praia de Ponta do Mangue, em Maragogi

Maragogi

Dentro da Costa dos Corais, Maragogi é certamente o município mais famoso e onde estão os passeios mais disputados para as piscinas naturais. A praia principal, onde estão a maior parte das pousadas e restaurantes e de onde saem os passeios para as piscinas naturais, é, no entanto, a mais sem graça, além de suja (vi alguns esgotos descendo para praia) e com muita gente.

Encontramos praias muito mais bonitas e que fazem parte do município, ao norte dessa região centrinho.

Ponta do Mangue
Ponta do Mangue

Entre as que visitamos, considero a mais bonita a praia de Ponta do Mangue, que fica a 12 km do centrinho de Maragogi. A praia tem uma faixa extensa de areia, águas calmas, muitos coqueiros e uma estrutura de barracas e restaurantes bem organizadinha. Quando fomos, tinha bastante gente, mas nada que atrapalhasse a tranquilidade de um dia na praia.

Como às vezes é um pouco difícil encontrar a sinalização para a entrada da praia, a dica é entrar na rua da antena de telefonia, onde tem a placa “Bar da Praia”.

Uma dica que me deram para quem vai a praia de Ponta do Mangue é fazer a caminhada até a Praia de Antunes, praia vizinha. Mas seriam uns 30 minutos ou mais de caminhada, o trecho. Mas como estava com 4 meses de gestação fiquei com preguicinha e preferi aproveitar esse tempo tomando banho de mar e ir para a outra praia de carro. =)

Praia de Antunes em dia de domingo
Praia de Antunes em dia de domingo

Acabamos indo para a Praia de Antunes, em um outro dia, pois começou a chover muito. Então, fomos em um domingo e a praia estava lotadaaa! Não sei se normalmente é assim.

A praia também é muito bonita, com águas calmas, mar turquesa, só os coqueiros que ficam mais distantes da entrada de carro e mais próximos da praia de Ponta do Mangue. Lá também tem bastante estrutura de barracas.

Uma praia que ouvimos bons comentários, mas infelizmente não fomos, foi a Praia Burgalhau. Se alguém já foi, por favor, nos conta como é.  

Rota Ecológica

O trecho mais bonito do litoral começa mesmo na chamada Rota Ecológica, tanto que ficamos 4 dias nessa região e apenas 1 em Maragogi. São 55 km que abrange os municípios de Porto de Pedras, São Miguel dos Milagres e Passo de Camaragibe.

A dica é fazer o trajeto entre Maragogi e São Miguel pela balsa que fica em Japaratinga e ir conhecendo boa parte das praias. O município de Japaratinga também tem praias bonitas, mas só passamos por elas e priorizamos as praias que ficam após a balsa.

A balsa cruza o rio Manguaba e vai de Japaratinga a Porto de Pedras. São duas balsas, que funcionam diariamente das 6h até meia noite, com capacidade de 4 a 6 carros. O carro custa R$ 15 (janeiro de 2018), caminhonete, R$ 16. Dependendo da época do ano, a espera pode ser longa, mas ainda assim vale a pena ir pela balsa. Primeiro que é o melhor caminho para ir conhecendo as praias e segundo porque nos disseram que a estrada que liga Maragogi a São Miguel dos Milagres está em péssimas condições.

Na ida, esperamos quase 1h30 pela nossa vez na balsa, mas na volta, foi muito rápido, só deu tempo de esperar a balsa chegar.

Praia do Patacho
Praia do Patacho

A travessia é bem rápida, uns 10 minutos. e logo chegamos a um dos trechos mais bonitos do litoral de Alagoas. Saindo da balsa e seguindo pela estradinha a beira mar (boa parte é de terra em meio aos coqueirais), passamos pela famosa Praia do Patacho, onde ficam algumas das pousadas mais caras e onde normalmente os famosos costumam se hospedar. Esta praia é famosa também por ter 3 coqueiros curvados, um do lado do outro. Além das pousadas, não tem nenhuma estrutura de barracas. Então, tem que esticar a canga ou levar a cadeira de praia para ficar na praia.

Logo depois do Patacho e que quase passa despercebida está a Praia da Lage, que na minha opinião, é uma das mais paradisíacas da região. Lá dois vendedores montaram umas barraquinhas de palha de coqueiro, com cadeiras e mesinhas que dão um charme a paisagem. Um lugar perfeito para sentar, tomar uma água de coco, relaxar e tomar banho de mar.

Praia da Laje
Praia da Laje

DICA: Reserve 1 dia inteiro para fazer esse trajeto de Maragogi até Porto da Rua para ir parando nas praias do caminho.

Depois da praia da Laje, vem a Praia de Tatuamunha e o rio de mesmo nome, de onde saem passeios para observação de peixes-bois marinhos, que são protegidos pelo Projeto Monitoramento Comunitário da Biodiversidade. Não fizemos esse passeio, mas quem tiver interesse pode entrar em contato com a Associação Peixe-Boi ( 82 3298-6247). O passeio custa R$ 50 por pessoa (janeiro de 2018).

Logo depois de cruzar o rio Tatuamunha, está o distrito de Porto da Rua, que faz parte do município de São Miguel dos Milagres.

Porto da Rua é o distrito mais povoado de São Miguel e foi lá onde ficamos hospedados na Pousada Maria Bonita

A praia de Porto da Rua não está entre as mais bonitas, mas o distrito é bem localizado, com várias opções de restaurantes e pousadas e também é de onde normalmente saem os passeios de jangada para as piscinas naturais. Lembrando que é preciso pelo menos uma manhã ou tarde (dependendo da maré) para fazer o passeio, que é imperdível.  

Praia do Toque
Praia do Toque

Também já escrevi um post sobre o passeio nas piscinas naturais de São Miguel dos Milagres e Praia do Toque.

Seguindo a partir de Porto da Rua em direção ao sul estão a Praia do Toque, que é uma praia praticamente exclusiva para pousadas, que costumam ser bem caras (soube que no réveillon tem pousadas por lá que chegam a cobrar R$ 20 mil a diária). A praia não tem acesso por carro, mass dá para estacionar em uma estradinha de areia e entrar caminhando por uma entrada que fica ao lado de uma porteira laranja (foto). Não tem absolutamente nada sinalizando sobre isso. Então, se ficar perdido, pergunte. =)

Da porteira até a praia são uns 5 minutos de caminhada. A praia é como a maioria da região, de águas tranquilas, areia branquinha. A estrutura que tem lá de mesas, cadeiras e serviço de bar e restaurante é a oferecida pelas pousadas, mas também tinha um food truck logo na chegada na praia pelo caminho cruzando a porteira.

Praia de São Miguel dos Milagres
Praia de São Miguel dos Milagres

Na sequência a próxima praia é a de São Miguel dos Milagres. A entrada fica quase em frente a Prefeitura e tem rua de calçamento até lá (o restante a maioria é por estrada de terra).

A praia que dá nome ao município é bonita, mas também não ficou entre as minhas preferidas. Mesmo assim, recomendo uma parada por lá. Na praia de São Miguel dos Milagres tem algumas barracas, mas não visitei nenhuma para recomendar a qualidade.

Já na próxima praia, a do Riacho encontramos uma estrutura bem melhor de bares e restaurantes e almoçamos em um dos dias, no Restaurante Corais dos Milagres. No entanto, essa praia é bem lotada, pois recebe grupos de turismo. Um dos restaurante, inclusive, é exclusivo para receber grupos da CVC.

Praia do Riacho
Praia do Riacho
Barracas na Praia do Riacho
Barracas na Praia do Riacho

Logo depois da praia do Riacho, vem a Praia do Marceneiro (foto de destaque do post), a minha favorita no município de São Miguel dos Milagres. Esta praia tem uma extensa faixa de areia, muitos coqueiros, água muito azul e tranquila. Quando fomos, tinha pouquíssimas pessoas, pois só tem uns dois ambulantes na entrada da praia com poucas cadeiras. Estava tão tranquilo que ficamos praticamente a sós em um trecho da praia e foi lá que aproveitamos para fazer algumas fotos para registrar a minha gestação.

Dica: Também é preciso pelo menos um dia para fazer com calma, o roteiro pelas praias que vai de Porto da Rua até a Praia do Marceneiro ou Barra de Camaragibe. No nosso caso, fizemos o caminho inverso, fomos até a Praia do Marceneiro, onde passamos mais tempo, e fomos voltando.

A praia de Barra de Camaragibe tem o charme do encontro do mar com o rio (a foz do rio Camaragibe é lá). É bem tranquila e pode ser uma boa ir no fim da tarde para dá um mergulho de mar ou de rio, se preferir. Em Barra de Camaragibe tem um restaurante de frente para o mar, que é bastante procurado que é o Patiaçu, um self service com preço justo que tem bastante opções, especialmente de pratos preparados com frutos do mar. Lá também tem redes para descansar embaixo do pé de castanhola. O que é uma delícia depois do almoço, especialmente, com a brisa do mar. Do restaurante até o rio são uns 5 a 10 minutos de caminhada pela sombra, entrando por uma propriedade. Mas também dá para chegar, caminhando à beira mar.

Quem tiver mais tempo e disposição, atravessando o rio Camaragibe de barquinho, dá para chegar até a Praia do Morro, que dizem ser uma das mais bonitas da região. Mas para chegar até o trecho mais bonito, onde estão as falésias, é preciso fazer  trilha de uns 3 km o trecho. Como já comentei, no período da viagem, estava grávida de 4 meses, então, preferimos não fazer.  Também existe acesso por estrada de terra, mas que nos disseram que só dá para passar trator!

E para fechar o nosso roteiro, tivemos uma bela vista das praias da região, do mirante que fica no alto de São Miguel dos Milagres. A entrada fica na lateral da igrejinha do distrito, seguindo pela direita.

Vista do Mirante de São Miguel dos Milagres
Vista do Mirante de São Miguel dos Milagres

Para conhecer com tranquilidade estas praias, recomendo pelo menos 1 dia em Maragogi e mais uns 3 ou 4 dias em São Miguel dos Milagres. O tempo mínimo para você descobrir a sua praia favorita da Costa dos Corais.

 


Costa dos Corais (Alagoas): passeio pelas piscinas naturais de São Miguel dos Milagres e Praia do Toque

A Costa dos Corais é uma área de proteção ambiental, que vai desde Tamandaré, em Pernambuco, até Maceió, em Alagoas. Nesse trecho da costa, além de praias paradisíacas de águas calmas e cristalinas também tem piscinas naturais, a uma relativa curta distância da faixa de areia. As mais famosas são as de Maragogi (AL), mas também são as mais disputadas. Isso significa muita gente por metro quadrado de corais. Devido a tábua de marés, nós não conseguimos fazer o passeio em Maragogi, mas fizemos nas piscinas naturais de São Miguel dos Milagres e Praia do Toque e foi maravilhoso.

O passeio nas piscinas de São Miguel dos Milagres é bem mais “roots” do que em Maragogi. Lá os passeios não são feitos por empresas nem em catamarãs. Mas sim, de jangada com um motor pequeno e é feito pelos jangadeiros que fazem parte de uma Associação.

João de Liu e a nossa jangada
João de Liu e a nossa jangada

Nosso jangadeiro foi o João de Liu (Liu é o pai dele!haha) e foi recomendado pela nossa pousada Maria Bonita (clique no link para ler a review). Ele nos buscou na pousada às 7h30 e fomos seguindo ele de carro até a praia de Porto da Rua, de onde normalmente sai o passeio. O horário de saída depende da tábua de marés.

O passeio tem duração média de 3 horas e dependendo das condições da maré incluem duas ou três piscinas naturais, que podem ser as piscinas de Porto da Rua, Toque e de São Miguel dos Milagres.

Na jangada, cabem umas 9 pessoas. Vimos muitas lotadas. Mas primeiro, fomos só nós dois com João. A entrada na jangada é pelo mar mesmo, mas é muito rasinho e água é tranquila, não molha quase nada e dá para levar os objetos pessoais sem preocupação. Também a altura para subir na jangada é baixinha, então, não tem muita dificuldade para subir. 

A água das piscinas é completamente cristalina
A água das piscinas é completamente cristalina

Ele nos levou na piscina do Toque e nos falou que ia buscar mais duas senhoras. Ficamos lá por uns 20 minutos ou um pouco mais. Tinha outras jangadas por lá, mas nadando um pouco mais dava para ficar em um local mais reservado.

Depois João voltou com as duas mulheres. Reconhecemos logo que uma delas era famosa. hehe Era a atriz Ângela Vieira, que estava com a filha, Nina. São Miguel dos Milagres tem dessas coisas. O destino tem sido muito procurado por celebridades pela tranquilidade do lugar. As duas foram muuuito simpáticas e o passeio foi muito divertido. Não comentamos nada que tínhamos reconhecido ela, só pedimos uma selfie no final para não passar em branco! hahaha

Com Nina, Ângela e João
Com Nina, Ângela e João

João nos levou para as piscinas de São Miguel, que estavam realmente cheias de visitantes. Mas ele encontrou um cantinho mais reservado para gente e trouxe uns ouriços do mar já mortos =( para alimentar os peixinhos, que apareciam aos montes. A água é muuito cristalina. Ah! Esqueci de comentar, mas a máscara e o snorkel também estão incluídos no passeio.

Como as piscinas de São Miguel estavam muito cheias, João nos levou novamente para as piscinas do Toque, só que dessa vez para em um local exclusivo para a gente, um pouco antes de onde as outras jangadas param. Aí foi ainda mais maravilhoso. Corais e peixinhos só para a gente.

As piscinas de São Miguel são muito rasas
As piscinas de São Miguel são muito rasas

Um detalhe: as piscinas são tão rasinhas, que em boa parte delas, dá para caminhar pela areia (pelos corais não pelo amor!), sem precisar ficar nadando. Então, deu também para a gente pegar a câmera e fazer umas fotos. Todas as fotos e vídeos embaixo d´água fizemos com o celular, com capinha de proteção porque perdi minha GoPro no dia de sair pra viagem. =( Estou falando isso, só para vocês terem uma ideia do quão cristalina é a água, que até com essas capinhas pra celular, as fotos ficam boas.

Procurando Nemo
Procurando Nemo

Como falei, o passeio durou umas 3h. E tivemos uma sorte incrível, pois estava chovendo e muito nublado todos os dias da viagem pela manhã, mas nesse dia, fez um sol muito forte, o que favoreceu ainda mais o passeio das piscinas naturais. Na jangada, tinha também uns guarda-sóis para amenizar que quebravam um galho para nos proteger do sol durante os trajetos entre as piscinas.

Assista ao vídeo do nosso passeio: 

O passeio é muito tranquilo, as águas são muito calmas. Fiz grávida de 4 meses, não tive enjoo nenhum. Então, acredito que seja possível para qualquer pessoa fazer.  

Em São Miguel dos Milagres, o passeio custa a metade do preço que em Maragogi. Pagamos R$ 50 por pessoa, em plena alta estação. E foi tão bom que não fiz questão nenhuma de fazer o de Maragogi depois. Quem sabe em uma próxima.

Para quem tiver interesse, o contato do João de Liu é o  (82) 993504117. Se preferir também pode ir direto na Associação de Jangadeiros que fica na orla de Porto da Rua.

Sobre o passeio em Maragogi e dicas sobre como entender a tábua de marés, recomendo muito este post do blog Viagens Cine.


Review – Pousada Maria Bonita, em São Miguel dos Milagres (Alagoas)

Em São Miguel dos Milagres, Alagoas, ficamos hospedados na Pousada Maria Bonita, que fica em Porto da Rua, o povoado mais populoso do município e onde há mais opções de restaurantes e comércio. Gostei bastante da pousada, que teve um ótimo custo benefício, por isso, resolvi escrever a review para vocês.

São Miguel dos Milagres tem se tornado um destino bem famoso, visitado, inclusive, por várias celebridades e encontrar uma pousada bacana, com um preço acessível, pode não ser uma tarefa tão fácil, especialmente, na alta estação, como foi o caso da nossa viagem (11 a 14 de janeiro de 2018). Para conseguir um bom preço, fiz a reserva com bastante antecedência, desde outubro.

Fachada Pousada Maria Bonita
Fachada Pousada Maria Bonita

A pousada fica bem próxima de supermercados e restaurantes. A praia de Porto da Rua, de onde saem os passeios para as piscinas naturais, fica a uns 20 minutos de caminhada, mas essa não é a melhor praia. No entanto, em São Miguel dos Milagres, o ideal é estar de carro para aproveitar tudo que a Costa dos Corais e a Rota Ecológica tem a oferecer. As praias mais bonitas e famosas também ficam a uma curta distância de carro da pousada: Toque (3 km), São Miguel dos Milagres (4,5 km), Praia do Marceneiro (8,6 km), Praia do Patacho (7,3 km).

Praia de Porto da Rua
Praia de Porto da Rua
Nosso quarto na Pousada Maria Bonita
Nosso quarto na Pousada Maria Bonita
O outro lado do nosso quarto
O outro lado do nosso quarto
Banheiro do nosso quarto na pousada
Banheiro do nosso quarto na pousada

Reserve sua hospedagem na Pousada Maria Bonita

A Maria Bonita é ideal para casais ou famílias. Os quartos são bem espaçosos. O nosso tinha cama de casal, uma cama de solteiro e embaixo da cama tinha uma cama auxiliar, caso fosse necessário usar. Além disso, tinha tv, frigobar, pranchas com cabides para usar como guarda roupas e ar condicionado split. O banheiro era grande também com box e chuveiro elétrico. A varanda era enorme com rede e banquinho. Mas sem vista para a praia, apenas para os coqueirais.

Varanda da nossa suíte
Varanda da nossa suíte

A pousada tem espaço para estacionamento, na verdade, os carros ficam do lado de fora, mas tem uma divisão para os carros que ficam na sombra. E é bem tranquilo.

Piscina da pousada
Piscina da pousada

Na área de uso comum, a pousada tem piscina, que tem um tamanho muito bom e estava sempre limpinha. Neste mesmo espaço, tem banheiros feminino e masculino e uma mesa grande de madeira, outra mesinha de plástico e espreguiçadeira. Tem também um jardinzinho.

Na entrada também tem um jardim e várias mesas para café da manhã, que é um capítulo à parte, bem completo e delicioso, com suco, café, iogurtes, umas quatro ou cinco opções de frutas, granola, pão, queijo e presunto, macaxeira (mandioca) cozida, pães, ovo, salsicha e bolos. O bolo de chocolate é uma delícia!

Área do café da manhã
Área do café da manhã
Café da manhã da pousada
Café da manhã da pousada

Os funcionários são bem atenciosos, os donos, que estão sempre por lá, também. E nos ajudaram a escolher os restaurantes e também reservaram o jangadeiro para o passeio das piscinas naturais para a gente. Aliás, a indicação deles, João do Liu, foi muito boa e fez um passeio perfeito para a gente, com direito a parada em uma área exclusiva.

O único ponto negativo ao meu ver é a Wi-fi que é um pouco lenta, masss isso é um problema da cidade. Segundo uma das funcionárias me contou até bem pouco tempo, nem tinha internet por lá. Ainda assim, consegui postar fotos nas redes sociais e pesquisar tudo que precisava, só com um pouco de paciência mesmo. Mas, em São Miguel dos Milagres, o melhor mesmo é ficar a maior parte do tempo offline e curtir as praias paradisíacas.

Para o período que ficamos pagamos R$ 207 pela diária, reservando pelo Booking.com (a nota da pousada no Booking.com está 9,7).  Eles já estão, inclusive, fazendo reservas para o réveillon deste ano que é o período mais disputado em São Miguel dos Milagres em que o preço das pousadas chegam a valores exorbitantes. Então, vale a pena se planejar com antecedência.

Reserve sua hospedagem na Pousada Maria Bonita, em São Miguel dos Milagres

Se quiser, ver outras pousadas em São Miguel dos Milagres, clique aqui

*Esta é uma review da nossa hospedagem e não um publieditorial. Nós pagamos por ela no valor total. 

*Fazendo sua reserva pelo nosso link do Booking.com, nós ganhamos uma pequena comissão. Você garante o melhor preço e ajuda o blog a se manter.

Nos próximos dias, publico o roteiro da nossa viagem.


Retrospectiva 2017: as viagens que marcaram o nosso ano

Se eu tivesse que escolher uma palavra para descrever o nosso ano de 2017, seria surpreendente. O nosso ano pareceu narrativa de novela. Mexicana, em alguns momentos. Começou perfeito com uma viagem linda pelo Nordeste, passamos por uns percalços nos meses seguintes, depois veio uma viagem maravilhosa pela América do Sul e alguns destinos do Brasil, e encerrou com uma viagem linda pelo Rio Grande do Sul e, logo quando cheguei, descobri que não tinha viajado sozinha, mas com uma companheirinha. A nossa baby viajante que chega em 2018. Nem preciso dizer que já tô ansiosa pela chegada do próximo ano, né? Já temos, inclusive, viagens agendadas no comecinho do ano.  Mas vamos lá relembrar os destinos que visitamos este ano e compartilhar os posts que já foram publicados.

Janeiro – Pernambuco, Bahia, Sergipe e Alagoas

2017 começou com banho de cachoeira na Chapada Diamantina
2017 começou com banho de cachoeira na Chapada Diamantina

Começamos 2017 com a melhor energia possível em Lençóis, na Chapada Diamantina. Saímos de Natal-RN, na última semana de dezembro, acompanhados dos meus pais, e  começamos nossa viagem de carro do Rio Grande do Norte à Bahia, relembrando a primeira viagem que fiz na vida.

Foram quase 20 dias de viagem e  4.400 km de estrada e, finalmente, pude conhecer lugares que há anos estavam na minha Bucket List Brasil, como a Chapada Diamantina (BA) e os Cânions do São Francisco (AL). Mas também passamos por Porto de Galinhas e a Ilha do Santo Aleixo (PE), Morro de São Paulo  e Boipeba (BA), Aracaju (SE), Piranhas (AL) e Maceió (AL).  

Pensa numa viagem espetacular!

Chapada Diamantina pela primeira vez: roteiro para 5 dias

Aracaju (SE): dicas e roteiro para 2 dias só com atrações gratuitas

Pernambuco: ilha de Santo Aleixo, o paraíso a 30 minutos de Porto de Galinhas

Alagoas: Passeio pelos Cânions do São Francisco

3 dias em Morro de São Paulo (Bahia)

Ilha de Boipeba, Bahia: como chegar, onde ficar, praias e passeios

Janeiro – Rio Grande do Norte e Ceará

A Pousada Pedra Grande é inspirada na arquitetura e cultura holandesa
A Pousada Pedra Grande é inspirada na arquitetura e cultura holandesa

Sempre uma viagem e outra sempre aproveitamos para fazer uma viagenzinha mais curta pelo Rio Grande do Norte. Em Janeiro, voltamos a Monte das Gameleiras para Pousada Pedra Grande, que mais parece um pedacinho da Holanda no RN. E de lá, claro que esticamos para nossa querida Pipa. <3

Ah! Também demos uma escapadinha até Tibau, uma praia linda do RN, que fica quase na divisa com o Ceará, onde parentes de Fred tem casa de praia e de lá fizemos um bate-volta em Canoa Quebrada, no Ceará.

 

Pedra Grande: pousada em estilo holandês na região serrana do RN

Maio – Chile, Argentina e Paraguai

Com Julie e Fred, na região de Salta, Argentina
Com Julie e Fred, na região de Salta, Argentina

Em maio, colocamos o mochilão novamente nas costas e embarcamos em uma viagem de 40 dias pela América do Sul. Desta vez, fomos acompanhados de Julie, nossa amiga alemã, que é também nossa parceira na série Worldlust aqui no Compartilhe Viagens e na versão em inglês, o Share Journeys. Foi uma viagem de passagens espetaculares. Começamos pela capital Santiago, depois alugamos um carro, que batizamos de “Peor es Nada” e fizemos uma viagem de 10 dias pelos Lagos Andinos (mais um destino que risquei da minha Bucket List mundo). Fomos a Pucón, Isla de Chiloé, Puerto Varas e Valdívia.

Depois de retornarmos a Santiago, voamos até o Deserto do Atacama, que era praticamente o único destino que conhecíamos no Chile, mas quando fomos pela primeira vez, em 2015, pegamos o que disseram ser “a maior chuva dos últimos 50 anos” e fizemos praticamente nada. Desta vez, fizemos as pazes com o Atacama, visitamos alguns dos lugares mais lindos que o deserto nos reserva. Masss a surpresa, desta vez, ficou para o último dia, durante a viagem de ônibus para cruzar a fronteira com a Argentina. Pegamos uma nevasca, em pleno mês de maio, que resultou no fechamento na estrada por vários dias, no mesmo dia que conseguimos passar!

Por falar em Argentina, viajamos pela região de Salta por cerca de 5 dias e, que lugar impressionante. Ainda me faltam palavras para descrever as belezas desse destino. Acho que é, por isso, que ainda estou devendo posts de lá! haha Mas prometo que no início de 2018, saem.

Também está faltando publicar os posts sobre o Paraguai, que foi o único país novo que visitei este ano. Foram poucos dias de viagem e pequenos muita chuva, então, infelizmente a viagem foi prejudicada. Inclusive, viajamos até Encarnación, mas não conseguimos ver as ruínas jesuítas devido a chuva, com muitos raios e trovões. =(

Roteiro de 20 dias no Chile: Santiago, Pucón, Lagos Andinos, Isla de Chiloé e Atacama

 

Dicas práticas e roteiro de 4 a 6 dias em Santiago do Chile

Viagem de carro no Chile – Dicas, Custos e Roteiro de 10 dias por Pucón, região dos Lagos e Isla de Chiloé

Lagunas Escondidas – um passeio surpreendente no Deserto Atacama

Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas: passeio imperdível no Deserto do Atacama

De bicicleta pelo Deserto do Atacama – Valle de La Muerte e mirantes do Valle de La Luna

Onde ficar no Atacama – Casa Sorbac, B&B com vista para Pukará de Quitor

Junho – Foz do Iguaçu, Curitiba, Ilha Grande (RJ) e Rio de Janeiro

Com Julie, nas Cataratas do Iguaçu, lado brasileiro
Com Julie, nas Cataratas do Iguaçu, lado brasileiro

Encerramos o nosso mochilão pela América do Sul, que fez parte do final da Volta ao Mundo de Julie, no Brasil! Para chegar de volta aqui, percorremos de ônibus desde o Atacama até Foz do Iguaçu, no Paraná. Foi estrada que não acabava mais. E adivinhem?  Foz também era um destino que estava na minha Bucket List Brasil, que foi riscado em 2017. E como valeu a pena esperar! Sem dúvida, as Cataratas do Iguaçu estão entre os lugares mais lindos do mundo. E, desculpem, mas também ainda não consegui publicar sobre Foz. Mas é bom porque vocês já sabem que teremos muitos posts bons em 2018.

De Foz do Iguaçu, passamos por Curitiba, que também não conhecia, depois voamos para o Rio e descansamos as mochilas neste paraíso na terra, chamado Ilha Grande! Eu disse que Ilha Grande só não tem água morninha porque, se tivesse, seria um dos lugares mais perfeitos do mundo!

Roteiro de 1 dia em Curitiba

Passeio de volta à ilha na Ilha Grande-RJ

Trilha do Morro da Urca no Rio de Janeiro

Julho – Sertão do Rio Grande do Norte

Sítio arqueológico Xique-xique, em Carnaúba dos Dantas
Sítio arqueológico Xique-xique, em Carnaúba dos Dantas

Aproveitamos as férias escolares do meio do ano para viajar com nossos sobrinhos, Serginho e Maria, pelo sertão do Rio Grande do Norte e eles, simplesmente, amaram conhecer lugares que são interessantíssimos, mas que, infelizmente, ainda são pouco conhecidos até mesmo pelos próprios potiguares. Visitamos o Lajedo Soledade, sítio arqueológico que fica no município de Apodi, a 340 km de Natal, e guarda pinturas rupestres que teriam entre 3 a 5 mil anos e fósseis de animais da Era Glacial.  

De lá, fomos para Serra de Martins, um famoso destino de “inverno” do RN, famoso pelo seu festival gastronômico. Mas é verdade que lá faz um friozinho no meio do ano, mas só à noite porque durante o dia o calor estava intenso! Haha Martins tem uma paisagem serrana deslumbrante e também a segunda maior caverna de calcário do Brasil, chamada de “A Casa de Pedra” e foi ela que visitamos.

Outro destino cheio de atrativos turísticos do RN, porém ainda pouco explorado, que visitamos foi Carnaúba dos Dantas, onde estão os sítios arqueológicos Xique-Xique,  com pinturas rupestres estimadas em 9 mil anos; o Castelo de Bivar e o Monte do Galo.

E se você ficou surpreso em saber que no Rio Grande do Norte tem castelo. Saiba que este não é o único. Tem pelo menos outros três no estado. Um dos mais conhecidos, que visitamos nessa viagem também, é o Castelo de Zé dos Montes, construído por José Antônio Barreto (conhecido como Zé dos Montes), depois que ele teve uma visão de Nossa Senhora quando criança. Todos os posts desta viagem já estão no blog:

Lajedo Soledade (Rio Grande do Norte): sítio arqueológico e pinturas rupestres – onde o sertão já foi mar

Serra de Martins: destino para aproveitar o inverno no Rio Grande do Norte

Carnaúba dos Dantas (RN) – Sítio Arqueológico Xique-Xique, Monte do Galo e Castelo de Bivar

Rio Grande do Norte: conheça o misterioso Castelo Zé dos Montes, a 120 km de Natal

 

Outubro – Rio Grande do Sul

Cânion Fortaleza
Cânion Fortaleza

Nosso ano de viagens se encerrou em outubro, quando viajei sozinha (?) para participar, junto com outros 9 blogueiros, do Encontro de Blogueiros em Gramado, destino que também não conhecia, e agora sim, posso entender porque todo mundo volta encantado de lá. Aproveitei a viagem a trabalho para riscar o último destino da minha lista sem fim de destinos dos sonhos: Cambará do Sul! Acompanhada da Renata Campos, do Rê Vivendo Viagens, conhecemos as paisagens de tirar o fôlego dos Cânions Fortaleza e Itaimbezinho. Ainda estou terminando a série sobre essa viagem, que se tornou ainda mais especial, porque no dia que voltei, descobri que a baby viajante tinha ido comigo e já tinha se aventurado um bocado! <3

Roteiro de 4 a 6 dias em Gramado e Canela

Onde ficar em Gramado-RS: review Master Premium Gramado

Onde comer e beber em Gramado e Canela

Tour Raízes de Gramado, um passeio pela zona rural e pela história dos colonos

Snowland Gramado: diversão na neve para todas as idades

Cambará do Sul, Rio Grande do Sul: quando ir, como chegar, onde ficar, o que fazer e onde comer

Resumindo o nosso ano: consegui riscar da Bucket List Mundo, os Lagos Andinos e conheci um novo país, que foi o Paraguai (Fred já conhecia e agora conhecemos 38 países). Desta lista internacional que fiz em 2012, agora só faltam Nova Zelândia e Capadócia (Turquia). Do Brasil, consegui em um ano só 5 destinos da minha lista: Foz do Iguaçu, Serras Gaúchas, Chapada Diamantina, Cânions do São Francisco, Sertão do Nordeste (no caso, alguns destinos).  Agora só faltam: Pantanal e Bonito; Lençóis Maranhenses. =)

Os últimos meses do ano foram de descanso e cuidados do primeiro semestre da gestação, mas já no início de 2018, estou liberada para viajar e já estou contando os dias para o próximo destino. Nos acompanhem nas redes sociais e aqui no blog!


Piranhas, Alagoas: cidade base para conhecer os Cânions do São Francisco

Piranhas, no Oeste de Alagoas, divisa com Sergipe, é uma cidade muito charmosa, com seu centro histórico às margens do rio São Francisco e também cheia de história. Esteve nos Caminhos do Imperador, quando Dom Pedro II fez uma expedição pelo Rio São Francisco, em 1859, e também foi a cidade onde foram expostas as cabeças de Lampião, Maria Bonita e outros 9 cangaceiros logo após terem sido mortos. Hoje, Piranhas é uma cidade turística, cheia de opções de hospedagens, restaurantes, bares e museus. E foi a nossa escolha de cidade base para conhecermos os Cânions do São Francisco.

Centro histórico de Piranhas, Alagoas
Centro histórico de Piranhas, Alagoas

Continuar lendo Piranhas, Alagoas: cidade base para conhecer os Cânions do São Francisco


Rota do Cangaço: passeio pelo rio São Francisco e trilha até o local onde Lampião e seu bando foram mortos

Se não for o mais famoso, Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, é, provavelmente, o mais controverso dos personagens nordestinos. Alguns o têm como um Robin Hood, outros, como um bandido violento. De personagens históricos a folclóricos, Lampião e seus cangaceiros, alguns deles são tidos até como santos, despertam ainda hoje, a curiosidade de muita gente. Na “Rota do Cangaço” conhecemos o final trágico de sua história. O passeio parte do município de Piranhas, Alagoas, onde descemos o rio São Francisco de lancha até a Fazenda Angicos para fazer a trilha que leva até o local onde Lampião, sua companheira, Maria Bonita e mais nove cangaceiros foram mortos.

A princípio, a ideia do passeio me pareceu um pouco mórbida, mas a Rota do Cangaço, além de ser um passeio pela história e cultura nordestinas, também inclui paisagens muito bonitas, como o vilarejo de Entremontes. Na Fazenda Angicos funciona um restaurante com uma ótima estrutura e ponto para banho no rio São Francisco.

Reflexo no Rio São Francisco
Reflexo no Rio São Francisco

Continuar lendo Rota do Cangaço: passeio pelo rio São Francisco e trilha até o local onde Lampião e seu bando foram mortos


Viagem de carro do Rio Grande do Norte à Bahia: nosso roteiro, hospedagens, principais custos

A primeira viagem da minha vida, ou pelo menos, a primeira da qual eu tenho lembrança, foi por volta dos 4 ou 5 anos, de carro, de Natal até Salvador. Fomos meus pais, minha irmã e meu irmão, minha vó paterna e eu (naquele tempo não tinha tantas regras de trânsito! hehe). Todo mundo em um Uno. E vocês não imaginam o tanto de coisa que meus pais trouxeram na volta: tinha de carranca, berimbau a conjunto de jarros de cerâmica (isso do que me lembro), só Deus sabe como coube tudo no carro! haha

Mapa do nosso roteiro. Não estão contabilizados os trechos da Chapada Diamantina
Mapa do nosso roteiro. Não estão contabilizados os trechos da Chapada Diamantina

Já fazia alguns anos que queria refazer essa viagem de carro do Rio Grande do Norte à Bahia, não exatamente a mesma rota, até porque não podia me lembrar de tudo, mas visitando alguns destinos que há muitos anos estavam na minha “wish list”: Chapada Diamantina, Cânions do São Francisco, Morro de São Paulo, Ilha de Boipeba, entre outros. O plano era o seguinte: íamos apenas Fred e eu, dia 26 de dezembro e voltaríamos dia 13 de janeiro. Meu pai já tinha dito várias vezes que queria ir, mas pensava que era brincadeira dele e que ele não poderia por ser mês de dezembro e janeiro (como ele é guia de turismo, é a época que ele trabalha mais), por serem muitos dias e, também, porque íamos fazer muitas trilhas.

Saímos, então, dia 26, somente Fred e eu. Nos despedimos de todos, desejamos feliz Ano Novo, combinei com minha prima de Recife, que iria dormir naquela noite na casa dela. Mais ou menos 1h30 de viagem, quando chegamos no quilômetro zero da BR 101 na Paraíba, o carro simplesmente, acendeu a luz de motor e parou de funcionar. =(

Continuar lendo Viagem de carro do Rio Grande do Norte à Bahia: nosso roteiro, hospedagens, principais custos


Retrospectiva 2016: as 8 viagens que marcaram o nosso ano

É quase um consenso que 2016 não foi um ano fácil, em muitos aspectos (política no Brasil e no Mundo, crise econômica, tragédias etc), mas em termos de viagens, nós não temos o que reclamar deste ano. Viajamos menos do que em 2015, afinal, ano passado, passamos 5 meses fora, no Dois na América, mas conseguimos visitar destinos que há muito tempo sonhávamos em conhecer. E, também, como fizemos viagens mais curtas, conseguimos ter um pouco mais de conforto. Ah! E o melhor de tudo, enquanto publico esta retrospectiva, estamos fazendo uma viagem linda, que há anos planejamos (acompanhe no nosso IG @compviagens). Então, só tenho que esperar coisas boas para 2017! Agora, vamos ao nosso top 7 de viagens marcantes de 2016:

Continuar lendo Retrospectiva 2016: as 8 viagens que marcaram o nosso ano