Vizinha a Bogotá, a cidade de Zipaquirá (47 km) guarda um tesouro colombiano: a Catedral de Sal. Eleita como a primeira maravilha do país e inscrita no concurso das Novas Sete Maravilhas do Mundo, a construção, além de ser um orgulho para os colombianos, é uma das atrações turísticas mais visitadas do país. O impressionante templo foi construído dentro de uma mina de sal, a 180 metros abaixo da terra.

Catedral de Sal de Zipaquirá
Catedral de Sal de Zipaquirá

A visita a Zipaquirá e à Catedral de Sal pode ser facilmente feita por conta própria. Para chegar ao município, saindo de Bogotá, basta pegar um Transmilênio (BRT) até o Portal Norte (a passagem custa 1.500 COP em horário normal e 1.800 COP em horário de pico) e de lá tomar outro Transmilênio para Zipaquirá ou pegar um ônibus do lado de fora da estação do Portal Norte. Pegamos o ônibus do lado de fora e o trecho por pessoa custou 4.500 COP. A viagem dura em média 40 minutos e o ônibus para a alguns metros do centro histórico da cidade.

Catedral da cidade de Zipaquirá
Catedral da cidade de Zipaquirá

Aliás, o centro histórico de Zipa, como é chamado o município, é muito bonito, com prédios do período colonial muito bem conservados. Neste período, a cidade chegou a ser a mais importante da Colômbia, em razão do comércio do sal, que, naquele tempo, valia mais do que ouro. No entorno da Plaza Mayor estão a catedral da cidade e o palácio municipal. E a pouco metros dali, o caminho para chegar até a Catedral de Sal.

Centro histórico de Zipaquirá, visto do Parque de Sal
Centro histórico de Zipaquirá, visto do Parque do Sal

Quem sobe caminhando tem que encarar vários degraus até chegar a bilheteria. E com altitude de 2.650 m é fácil sentir um pouco de cansaço.

Ao chegar na bilheteria é preciso optar pelo plano de visita que irá fazer, pois dentro do Parque temático do Sal há várias atrações a serem visitadas. O bilhete para a Catedral de Sal, com visita guiada e filme 3D, custa 25 mil COP por adulto e 17 mil COP para crianças entre 4 e 12 anos. A visita guiada à Catedral tem quase 2h de duração.

Entrada para o Parque de Sal
Entrada para o Parque de Sal
Caminho para chegar a Catedral
Caminho para chegar a Catedral

As outras atrações são pagas à parte: Museu de la Salmuera (3 mil COP / 25 minutos); Muro de Escalada (6 mil COP) e Ruta del Minero (6 mil COP / 35 minutos). A rota é para vivenciar a experiência dos mineiros, em um tour guiado com equipamentos de trabalho e segurança. Mas nós não fizemos, pois já estivemos na mina de Potosí, na Bolívia, em uma experiência bem mais tensa!

Show de luzes com banderas de várias nações, na entrada da Catedral de Sal
Show de luzes com banderas de várias nações, na entrada da Catedral de Sal

O percurso com guia pela Catedral de Sal tem início na Via Crúcis, representadas em suas 14 estações e segue até a catedral. O complexo atual da catedral foi construído pelos mineiros, com apoio do governo, entre 1992 e 1995. Como tiveram apoio e investimento do Estado, o complexo ficou mais sofisticado com estrutura e segurança adequadas para receber visitantes, desde crianças de colo até idosos.

Estação da Via Crúcis
Estação da Via Crúcis
Estação da Via Crúcis
Estação da Via Crúcis

Os mineiros têm tradição de criar santuários religiosos dentro das minas. Por isso, a primeira catedral havia sido construída por iniciativa dos próprios mineiros, entre 1942 a 1952, por devoção a Jesus Cristo e a Nossa Senhora do Rosário de Guasá, a quem a construção foi dedicada, e ficou aberta ao público por 40 anos até que, devido a falhas de segurança e estrutural, ficou sem condições de receber visitas.

Obra inspirada no afresco de Michelangelo no teto da Capela Sistina
Obra da Catedral de Sal inspirada no afresco de Michelangelo pintado no teto da Capela Sistina

A estrutura atual é tão grande que há iluminação cênica nas estações e na catedral, sonorização com a Ave Maria, lojas de jóias e artesanatos, cafés, lanchonetes e até uma sala de cinema dentro da mina, onde é apresentado o filme em 3D de 15 minutos, que, de maneira lúdica e clara, conta a história de Zipaquirá desde a pré-história, de como uma região montanhosa pode ser uma fonte de sal (toda a Colômbia foi oceano há milhões de anos); e como foi o processo da exploração do sal ao longo dos anos. Recomendo bastante assistir ao final do tour guiado.

Lojas de artesanato e jóias dentro da mina de sal
Lojas de artesanato e jóias dentro da mina de sal
Auditório onde é exibido filme 3D
Auditório onde é exibido filme 3D
Trenzinho para quem não quer subir ou descer as escadas do Parque de Sal
Trenzinho para quem não quer subir ou descer as escadas do Parque de SalTrenzinho para quem não quer subir ou descer as escadas do Parque do Sal

Um detalhe interessante sobre a Catedral é que nela são realizados serviços eclesiásticos, com a celebração da Santa Missa, aos domingos, às 12h. Recentemente estão aceitando a realização de casamentos e também renovação de votos matrimoniais.

Visitamos Zipaquirá e a Catedral de Sal em nosso último dia em Bogotá e foi um ótimo jeito de nos despedir da cidade que nos acolheu muito bem por oito dias. Agora seguimos viagem pela Colômbia.

Catedral de Sal

http://www.catedraldesal.gov.co/

Horário de visitas: todos os dias, das 9h às 17h30

Quem também visitou a Catedral de Sal e fez um post legal foi a Renata Campos, do RêVivendo Viagens, que me ajudou a organizar nossa visita a Zipaquirá. Clique aqui para ler.

Leia outros posts sobre Bogotá aqui.

Acompanhe nosso projeto Dois na América pelo blog e nossas redes sociais:

https://www.facebook.com/compartilheviagens

Instagram e Snapchat @compviagens


Comentários

  • Maria Nayde Freire de Oliveira

    Comprei uma Santinha na área externa da Catedral do Sal e trouxe para o Brasil. Moro em Recife PÉ e desde que essa Santinha chegou em minha casa no meu pequeno Santuário ela mina água. Ela é nmenos de 10cm mas a quantidade de água e significativa para o tamanho. Não quero fazer alarde do fato para evitar especulações sobre o fato. Mas gostaria que alguém com mais intendimento dos fatos esclarecesse a razão do fato. Sou católica temo a Deus mas creio que esse fenômeno pode ter algum fundamento científico, pois não me acho merecedora de tamanho milagre. Aconselho a todos que vão a Bogota que não deixe de visita essa maravilha. Lá na Igrejinha da mina deixei uma foto da minha filha, por uma graça. É um lugar mágico. Vão com Deus! Bjs e fé.