Olá viajantes!

Continuando a série sobre a minha mini Eurotrip e como já pedi licença a vocês para não contá-la em ordem cronológica, decidi começar a semana contando a minha experiência na cidade que me deixou com um gostinho de quero mais: Londres! O texto está dividido em duas partes: a primeira publico hoje e a segunda na quarta-feira. Espero que se apaixonem por Londres tanto quanto eu me apaixonei!

Have a nice trip!

Londres por Karla Larissa

Desde que voltei de viagem, as pessoas me perguntam que lugar eu mais gostei.  Para mim todos os lugares visitados foram especiais e valeram muito à pena. Mas se me perguntassem que lugar eu gostaria de voltar amanhã, eu responderia com facilidade: Londres!

A capital da Inglaterra não estava desde o começo em meus planos. Cheguei a ficar em dúvida entre ela e Amsterdã, na Holanda. Mas por muitos motivos, escolhi Londres. Pelo alto valor da libra com relação e a qualquer outra moeda, 1 libra custa mais de R$ 3, resolvi ficar apenas 3 noites. Mas se arrependimento matasse…

Além disso, a minha ida a Londres foi ameaçada quando perdi o voo da Ryanair vindo de Barcelona (ESP), episódio cômico se não fosse trágico que contarei com detalhes em outra ocasião.

Acabei indo de Easyjet e chegando ao aeroporto de Gatwick depois das 16h30 da tarde, e não meio dia e pouco como planejado. E mais uma hora de trem, que pegamos na estação que fica no próprio aeroporto, até chegar a St Pancras, a poucas quadras do nosso hotel em Euston. Era dia de sol e dias ensolarados em Londres são raros.

A Inglaterra não está entre os países que aderiram ao Acordo de Schengen, então mesmo vindo de um país Europeu é preciso passar novamente pela imigração e tirar um visto feito na hora. Primeiro você preenche um formulário, informando seus dados, local onde se hospedará e suas intenções. Depois você passa pela entrevista, que é bem rápida. Fomos atendidos por um senhor bem simpático, mas a impressão que eu tive é que eles são bem simpáticos para ganhar sua confiança e você ir falando tudo que ele precisa saber. E foi assim que meu marido, Fred Santos, cometeu uma falha que não deve ser cometida na imigração: ficar em dúvida. O agente da imigração questionou se tínhamos amigos em Londres. Fred respondeu que sim. Eu dei um grito e disse que não. O agente perguntou de novo e se tínhamos certeza. Respondi de novo que não. Fred tentou se justificar dizendo que tinha, mas que ele não estava mais. Ora, ter amigos e parentes no lugar é um dos piores indícios para imigração, pois é uma chance que você tem de querer morar lá. Você só diz que tem, se realmente tiver e se for se encontrar com aquela pessoa. E realmente não conhecemos ninguém em Londres. O que Fred tinha era um amigo que morava em York, outra cidade da Inglaterra e que já faz tempo que está de volta ao Brasil. Quando percebeu que estávamos falando a verdade,o agente nos liberou. Ufa!

Desembarcamos na St Pancras e seguimos uns três quarteirões carregando as malas até o hotel. A primeira coisa que senti em Londres foi frio. E essa é uma sensação constante em Londres, não há roupa que baste, alguma parte do seu corpo estará congelando. E olhe que era primavera e dia de sol.

O belo prédio da St Pancras Station
O belo prédio da St Pancras Station

Chegamos ao hotel, deixamos a mala e tive a minha segunda sensação: fome. Era noite, só estávamos com o café da manhã. Na verdade, eu nem isso, pois ainda no aeroporto de Barcelona, havia vomitado. E depois no aperreio da perda do voo, não tínhamos tido tempo para comer.

Em Londres até as cabines telefônicas são pontos turísticos
Em Londres até as cabines telefônicas são pontos turísticos

Fomos ao The Crown & Anchor Pub, lugar muito legal frequentado por londrinos e bem próximo do hotel.  Como estava fraca, pedi uma sopa. E acho até agora que foi a melhor comida da viagem. O que a fome não faz! Fred foi de sanduíche e Guiness. Provei a cerveja, mas particularmente, não gostei.

The Crown & Anchor Pub
The Crown & Anchor Pub

Como estávamos muito cansados e já era tarde, fomos para o hotel, descansar para o dia seguinte. Assistimos um pouco de TV, que a de lá é demais, sabe esses programas de calouros com jurados que tem aqui? Aumente o nível em 1 milhão de vezes!

Primeiro dia

A melhor forma que encontramos de conhecer Londres foi com o bus turístico, aqueles de dois andares, com o andar de cima aberto. Afinal, por lá, ônibus também é atrativo turístico, e, além disso, o metrô é bem caro.  O ticket para o ônibus turístico pode ser comprado online com desconto aqui.

A nossa primeira visita seria a St Paul´s Catedral (compre o ingresso online aqui). O que infelizmente não foi possível, pois simplesmente Dalai Lama iria visitá-la. Na verdade, ele tinha ido receber um prêmio e a cerimônia aconteceu na catedral, como não estava sabendo muito bem disso, acabei sem vê-lo.

Mas foi lá, que percebi que as quatro roupas que eu vestia não seriam suficientes para enfrentar o frio de Londres. Então, aproveitei para comprar um casaco, desta vez, bem quente, em uma das lojas próximas à igreja.

Seguimos, para nossa próxima atração: a Torre de Londres (compre o ingresso online aqui). O lugar tem 1000 anos de história, com muito sangue derramado. Pois era lá, que eram presos e executados aqueles que traíam a realeza. A visita leva tempo, pois a torre é composta por muitos prédios, cada um com muitas coisas para ver. Uma das muitas coisas interessantes é que lá moram alguns corvos e segundo a lenda, se eles forem embora, o reino perecerá. Por via das dúvidas, as asas dos bichinhos são cortadas. Foi lá também que vimos que a troca da guarda não acontece com toda pompa e circunstância apenas no Palácio de Buckingham, mas onde houver um guarda da rainha.

Entrada para torrde de Londres. Esse de vestido vermelho e preto é um dos guardas da Torres, chamados de Yeoman Warders
Entrada para torrde de Londres. Esse de vestido vermelho e preto é um dos guardas da Torres, chamados de Yeoman Warders
Em frente a Jewel House, onde ficam as jóias da Coroa
Em frente a Jewel House, onde ficam as jóias da Coroa
Uma das jóias da Coroa
Uma das jóias da Coroa
Troca de guarda na Torre de Londres
Troca de guarda na Torre de Londres
White Tower. Em 1097, quando foi terminada era o edifício mais alto de Londres com 30m de altura
White Tower. Em 1097, quando foi terminada era o edifício mais alto de Londres com 30m de altura
Reprodução do quarto do rei
Reprodução do quarto do rei
Fred e dos corvos da Torre de Londres
Fred e um dos corvos da Torre de Londres
Torre de Londres
Torre de Londres

Da Torre de Londres dá para ver e tirar fotos da belíssima Tower Bridge, um dos símbolos de Londres, que também pode ser visitadas, mas não o fizemos. De lá, seguimos para Westminster. Durante todo o caminho, vamos ouvindo no fone de ouvindo e em português de Portugal, a explicação sobre os demais pontos da cidade e sua história à medida que vamos passando por ele.

Em frente a Tower Bridge
Em frente a Tower Bridge
Tower Bridgee o rio Tâmisa, símbolos de Londres
Tower Bridgee o rio Tâmisa, símbolos de Londres

Assim que descemos do ônibus, nos damos de cara com o parlamento e o relógio do Big Ben, que é na verdade o nome do sino. Feitas as devidas fotos. Fomos visitar a Abadia de Westminster, onde  casaram Kate e William.

Bem Londres: relógio do Big Ben, guarda chuva e café
Bem Londres: relógio do Big Ben, guarda chuva e café
Abadia de Westminster
Abadia de Westminster

Logo na entrada, havia um aviso deque estava sendo feitas filmagens para a BBC, uma série especial para o jubileu da rainha. Vocês nem imaginam a estrutura da TV, pena que lá não pode fazer fotos. Mas com sorte, sairei na BBC! Hehe

Fachada da Abadia de Westminster. Dentro não são permitidas fotos
Fachada da Abadia de Westminster. Dentro não são permitidas fotos

Assim que chegamos, era hora de pausa de 2 minutos para a oração. Tínhamos que fazer silêncio e ouvir o padre ou reverendo, não sei como chama, da igreja Anglicana. A Abadia é majestosa. E é lá onde tudo acontece, da coroação ao funeral dos reis. Além dos túmulos de muitos monarcas, estão enterrados lá britânicos importantes como Charles Darwin e Isaac Newton. O ingresso dá direito ao áudio guia, que explica cada detalhe da Abadia.

De lá, seguimos a pé pela Westminster Bridge até a London Eye (compre o ingresso online aqui). Na ida, uma parada para comprar um café para esquentar um pouco. Dizem que os londrinos são fechados e antipáticos, mas tivemos a sorte de nos deparar com pessoas bem bacanas, simpáticas e bem brincalhonas até. Não sei se era só porque circulamos mais em lugares turísticos…mas não tenho o que falar dos londrinos.

Na  Westminster Bridge: parlamento e relógio do Big Ben ao fundo
Na Westminster Bridge: parlamento e relógio do Big Ben ao fundo

Quando chegamos a London Eye, o responsável por receber os ingressos fez uma brincadeira com a gente como se fosse da imigração. Liberados, entramos num sala para fazer uma foto. E em outra para assistir a um vídeo 4D lindo sobre a London Eye. Dava para sentir o cheiro, a chuva caindo, tudo como se estivéssemos no filme. Londres é cheia de surpresas!

Na London Eye passamos 30 minutos e eu, que tenho um pouco de medo de altura, me senti muito bem, pois a roda gigante gira bem devagarzinho não dá nem para sentir. E nunca para, nem para a gente subir. A vista lá de cima é belíssima e dá para fazer muitas fotos.

Na  Westminster Bridge: com vista para a London Eye
Na Westminster Bridge: com vista para a London Eye
Vista da London Eye
Vista da London Eye
Fred na London Eye de olho na paisagem
Fred na London Eye de olho na paisagem

Da London Eye, pegamos o bus turístico para Oxford Street, pois ainda tínhamos que comprar os ingressos para o musical. A Oxford Street é a rua comercial mais movimentada de toda a Europa, com mais de 300 lojas.Fizemos um passeio bem apressado, pois tínhamos que chegar a Piccadilly Circus antes que box que vendia os ingressos fechasse. O que foi uma pena, pois lá tem lojas incríveis, apesar de tudo ser cobrado em libra. Para não dizer que não compramos nada, paramos na loja da Disney e compramos os ingressos para a Disneyland Paris ((compre o ingresso online aqui). E foi lá que o vendedor nos deu a dica: se forem comprar ingressos para um musical, comprem para Wicked. É incrível, ele disse.

Oxford Street
Oxford Street
Com o Mickey londrino da loja da Disney
Com o Mickey londrino da loja da Disney

Andamos um bocado, nos distraindo com as vitrines, até chegarmos a Piccadily Circus, é impossível não reconhecer, pois é lá que ficam os famosos anúncios de néon que você já deve ter visto em vários filmes e a estátua de Eros. Claro, que fizemos muitas fotos.

Fred tentando trabalhar em frente aos telões de néon da Piccadilly Circus
Fred tentando trabalhar em frente aos telões de néon da Piccadilly Circus
Em frente a estátua de Eros na Piccadilly Circus
Em frente a estátua de Eros na Piccadilly Circus

Compramos os ingressos no Piccadilly Box Office, que ficava bem na esquina da Piccadily Circus e resolvemos seguir a sugestão do vendedor da Disney e fomos de Wicked. Compramos os ingressos para o dia seguinte que custavam 62,50 libras cada, por 48 libras. Um bom desconto!

Seguimos a pé até chegarmos na National Gallery, que infelizmente já estava fechada. Mas deu pelo menos para fazer fotos, inclusive, na frente do relógio que faz a contagem regressiva para as Olimpíadas de Londres, passamos pela Trafalgar Square, depois pela Horse Guards até chegarmos de novo ao Big Ben. Já era 19h em ponto. E o que ouvimos? O Big Ben tocar!  Durante todo o dia, tínhamos comida apenas uns sanduíches, então, resolvemos jantar decentemente. E o lugar escolhido não poderia ser melhor: um barco ancorado no rio Tâmisa, The Tattershall Castle, com vista para o rio e para a London Eye que em pouco tempo ficou acesa. Para comer, pedimos o prato tradicional da cidade: Fish and Chips! Que delícia!

National Gallery
National Gallery
Na contagem regressiva para as Olimpíadas de Londres
Na contagem regressiva para as Olimpíadas de Londres
Com um dos leões da Trafalgar Square
Com um dos leões da Trafalgar Square
Sentinela em frente ao Horse Guards Parade
Sentinela em frente ao Horse Guards Parade
Fish and Chips no The Tattershall Castle
Fish and Chips no The Tattershall Castle

Compre na Livraria do Compartilhe Viagens:

37082486-9f40-4511-ab6c-a3744c2bc2fe

Nosso hotel em Londres:

HOTEL IBIS LONDON EUSTON ST PANCRAS

Compre ingressos com desconto para as principais atrações de Londres e não perca tempo em filas.

*O Compartilhe Viagens participa de um programa de afiliados do Ticketbar, por meio do qual é possível comprar ingressos on- line com descontos e segurança e ainda ajudar ao blog se manter. 

Reserve seu hotel em Londres

*O Compartilhe Viagens participa de um programa de afiliados do Booking.com, por meio do qual é possível reservar hotéis  com descontos e segurança e ainda ajudar ao blog se manter. 

Comentários

  • Pingback: London, London: segundo dia | Compartilhe Viagens()

  • Pingback: Viajando de low-cost e aprendendo com os erros | Compartilhe Viagens()

  • Renata

    Ola estou indo para paris em janeiro e vou de trem para londres queria saber sobre o formulario e entrevista em pancras. Foi tranquilo como vc escreveu? O questionario eh complicado ou extenso???

    • Olá Renata, eu fiz o caminho inverso ao seu. Cheguei em Londres de avião e fui a Paris de trem. Mas acredito que o formulário seja o mesmo e é bem tranquilo é só para informar quantos dias vai ficar, o lugar onde vai se hospedar, a finalidade da viagem, essas coisas. E depois o agente de imigração vai fazer basicamente as mesmas perguntas. Vá com reserva de hotel feita e em mãos e fale a verdade que dá tudo certo! 🙂

      • Renata

        Muito obrigada! Me ajudou muito viajar pelo seu blog, estou mais confiante agora rs. Obrigada pelas informacoes!

  • Pingback: Roteiro de 4 dias em Londres só com atrações gratuitas | Compartilhe Viagens()

  • Pingback: Voos baratos na Europa | .: Keviagem :.()

  • Elvis

    Gostando de ler suas experiencias! Acho voces um casal simpatico 🙂 So fiquei em duvida sobre o visto na Inglaterra. Tinha lido em todos os blogs que precisa so pasaporte. Sou paraguaio e acho que e a mesma lei pra mim que os brasileiros e estou indo em março.

    • Oi Elvis! Desculpas pela demora. Toda Europa é necessário passaporte sim. Para a Inglaterra também é necessário preencher um formulário que é entregue no avião. No caso, esse é o visto. Mas é bom você ver como é para o Paraguai, pois sei de alguns países que faz exigências diferentes para Brasil e para Paraguai. Qualquer dúvida, estamos à disposição. 😉