Cambará do Sul, Rio Grande do Sul: quando ir, como chegar, onde ficar, o que fazer e onde comer

Cambará do Sul, a 185 km de Porto Alegre, é a principal cidade base no estado para conhecer os famosos cânions Fortaleza e Itaimbezinho. Este último fica na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A cidadezinha tranquila de menos de 7 mil habitantes atrai turistas de todo o mundo e, apesar de ter uma estrutura turística enxuta, tem opções para os diversos perfis de viajantes, mochileiros, famílias, casais e até quem busca luxo. Neste post, vou responder as principais dúvidas de quem planeja uma viagem para a cidade: quando ir, como chegar, onde ficar, o que fazer e onde comer.

Quando ir

Termômetro na Praça São José marcando 15 graus, durante a tarde
Termômetro na Praça São José marcando 15 graus, durante a tarde

Há muitos anos sonhava em conhecer Cambará do Sul, desde que foi cenário da série “A Casa das 7 Mulheres”, série que adorava e ficava encantada com as cenas nos cânions. Aproveitei a ida para o Rio Grande do Sul para participar do  #BlogueirosemGramado e fui com a Renata Campos do Rê Vivendo Viagens e com a amiga dela, Graciana Oliveira, até Cambará, no início de outubro. Quando já estávamos em Gramado, olhávamos a previsão do tempo e para os dias que estaríamos em Cambará eram esperadas chuvas com trovoadas.

A 1.031 metros acima do nível do mar, Cambará está entre as cidades mais frias do Brasil. Em alguns invernos as temperaturas chegam a ser abaixo de zero e também pode nevar. Também chove muito o ano todo, as médias mensais são sempre acima dos 100 mm. Mas os meses de temperaturas mais agradáveis e com menor volume de chuvas são novembro, dezembro, abril e maio. O mês que historicamente registra o maior volume de chuvas é setembro. E os meses mais frios são entre maio e setembro.

Bem, nos três dias que estivemos na cidade só choveu na última noite, depois que já tínhamos feito todos os passeios. Mas foi uma chuva que parecia anúncio do fim do mundo! haha Com muitos raios, relâmpagos e trovões. Tinha um casal na nossa pousada que tinha chegado naquela noite e só iam passar um dia, e deu muita dó porque o dia continuou com muita chuva.

Como chegar

Estrada para Cambará do Sul
Estrada para Cambará do Sul

Existe uma linha de ônibus saindo de Porto Alegre para Cambará do Sul, que é feita pela empresa Citral, mas sai apenas em um horário, às 6h, com chegada prevista para 11h48. O trecho sai por R$ 44.

De Caxias do Sul também tem uma linha de ônibus para Cambará do Sul pela empresa São Marcos, com vários horários a depender do dia. O trecho sai por R$ 30,20.

Também existe a opção de ir até Cambará com passeios de um dia por agências de turismo, saindo de Gramado, por exemplo. Mas só recomendo essa opção para quem realmente não tem tempo, pois será tudo muito corrido.

A melhor opção, na minha opinião, é alugar um carro para chegar até a cidade e visitar as principais atrações: os cânions, cachoeiras, etc.

Você pode fazer a busca de preços e reserva antecipadamente online pela RentalCars.com, empresa do mesmo grupo do Booking.com, que é nossa parceira no blog.

De Gramado para Cambará do Sul são 124 km. A estrada estava em ótimas condições e pagamos pedágio apenas uma vez, que custou R$ 7,90.

Na volta, fomos de Cambará a Porto Alegre, pela chamada Rota do Sol (RS 453), a paisagem neste trecho é muito bonita, e pela BR 101. Também tem pedágio neste trecho, mas acabei esquecendo de anotar o valor.

Continue lendo este post:

Onde ficar

Vila Ecológica
Vila Ecológica

Como já mencionei, Cambará, apesar de pequena oferece opções para diversos tipos de viajantes, tem hostels, pousadas, chalés, hotel.

Quarto da Vila Ecológica
Quarto da Vila Ecológica

Nós nos hospedamos na Vila Ecológica, que fica muito bem localizada, a 500 metros do centro da cidade. São apenas 3 quartos, que são bem espaçosos, confortáveis e equipados com cama de casal grande, cama de solteiro, frigobar, tv, armário, mesa para computador, banheiro com uma ótima ducha, secador de cabelo e amenidades para banho. Em frente aos quartos tem varanda com rede. Também tem vaga para estacionamento.

O café da manhã é um dos pontos fortes da Vila Ecológica, bem servido e delicioso, com muitas frutas, cereais, sucos, chás, café, geléias, pães, pães de queijo, cuca, queijos. A dona da pousada, Érica, também é muito atenciosa e nos deu várias dicas de passeios e de onde comer. Ela também é massoterapeuta e oferece os serviços de massagens, a parte.

Meu café da manhã na Vila Ecológica
Meu café da manhã na Vila Ecológica

Quem procura uma opção mais de luxo tem, por exemplo, o Parador Casa da Montanha e o Refúgio da Floresta.

Quem procura opções mais econômica tem o Hostel Cape Town.

Procure outras opções de hospedagem em Cambará do Sul  e Praia Grande, cidade base para os cânions que fica em Santa Catarina.

Pousada na estrada para o Cânion Fortaleza
Pousada na estrada para o Cânion Fortaleza

Continue lendo este post:

O que fazer

O mínimo recomendável para ficar em Cambará do Sul são dois dias inteiros, para em um dia visitar o Cânion Fortaleza, que fica a  uns 20 km do centro da cidade, e no outro dia, o Cânion Itaimbezinho, que também fica mais ou menos a mesma distância, mas em outra direção.

Cânion Fortaleza
Cânion Fortaleza

Mas para quem tiver tempo, tem várias outras opções de trilhas e passeios, como a Trilha Rio do Boi (13 horas de duração, acesso por Praia Grande), rapel, cavalgadas, passeios de bote, passeio off road de 4 X 4 pelos cânions e cachoeiras. Próximo a Cambará também tem algumas cachoeiras, como a Cascata dos Venâncios e a Cachoeira do Tio França.

Cânion Itaimbezinho
Cânion Itaimbezinho

A cidade em si é muito pequena dá para dar uma voltinha entre um passeio e outro, tudo se concentra na Praça São José, onde fica a igreja.

Depois irei escrever os posts detalhando nossa visita aos Cânions Fortaleza e Itaimbezinho e colocarei os links aqui.

Continue lendo este post:

Onde comer

Apesar de pequena, Cambará do Sul tem diversas opções de restaurantes, que abrem em dias de semana alternados para ter sempre algumas opções para os turistas, mesmo na baixa estação.

Yakissoba vegetariano no Sendero
Yakissoba vegetariano no Sendero

A minha primeira recomendação de onde comer na cidade é o Sendero Bistrô, um restaurante bem aconchegante, com a comida deliciosa, inclusive com várias opções de pratos vegetarianos e veganos (o que fez ganhar bastante pontos comigo), tem uma carta de vinhos com preços acessíveis e outras opções de bebidas. O restaurante tem também uma mini biblioteca, onde você pode pegar algum livro para folhear, enquanto o espera o seu pedido. Os pratos principais individuais começam em R$ 28.

Sendero Bistrô

Rua Antonio Raupp, 136, Cambará do Sul

Outro restaurante com um ambiente mais arrumado que fomos em Cambará foi a Taberna. Nós fomos no almoço, mas acho que é mais legal ir no jantar. Tem um cardápio bem variado, a comida também é gostosa e tem bastante opções de bebidas, incluindo vinhos e cervejas importadas. Não tenho os valores do cardápio, mas os preços são parecidos com os do Sendero.

A Taberna Restaurante

Rua Dona Úrsula, 941 – Centro, Cambará do Sul

Para uma refeição mais leve tem o Zuppa Sopas & Afins, que fica em um subsolo de uma loja na rua principal. O Zuppa tem um ambiente bem aconchegante, num estilo mais rústico, com lareira. O destaque do cardápio são as várias opções de sopas e cremes, mas tem também outras opções como pizzas. Os preços não são baratinhos e uma sopa grande sai em torno de R$ 20 e poucos.

Zuppa Sopas & Afins
Zuppa Sopas & Afins

Zuppa Sopas & Afins

Avenida Getúlio Vargas, 1304 (subsolo) – Centro, Cambará do Sul

Meu prato no Restaurante do Lago
Meu prato no Restaurante do Lago

Para quem gosta de peixes e frutos do mar e quer almoçar com uma bonita vista, pode ir no Restaurante do Lago. A dica é ir lá no dia da visita ao Cânion Itaimbezinho, pois fica no caminho. Como sugere o nome, o restaurante tem vista para um lago, onde fica também um hotel. No cardápio, os pratos de destaque são os peixes, especialmente, truta. Mas tem várias opções. À noite, alguns dias, tem música ao vivo, inclusive, com execução de piano e harpa, que são tocados por familiares do chef e proprietário do restaurante. Esse restaurante é bem grandinho e o ambiente é também aconchegante.

Visto do Restaurante do Lago
Visto do Restaurante do Lago

Restaurante do Lago

Estrada do Faxinal, RS-427, Cambará do Sul  

Pizza e chopp na Máquina do Tempo. Detalhe para o porta copos de disquete,
Pizza e chopp na Máquina do Tempo. Detalhe para o porta copos de disquete,

A última dica de onde comer é o “A Máquina do Tempo Pub”, um lugar muito legal, com decoração toda inspirada nos anos 80. Nas paredes tem pôsteres do Menudo, Bozo, do filme ET, tem fitas de jogos do video game Atari, que também tem um exemplar lá, tem ainda um gravador “Meu Primeiro Gradiente!!” e vários outros objetos que marcaram a década de 80. Nas Tvs também passam clipes de músicas da época e, se você viveu esse período, vai morrer de rir lembrando de alguns deles. Nostalgia pura. O cardápio tem petiscos, pizzas e alguns pratos principais. Todos levam nomes de ícones dos anos 80, como Os Trapalhões, Polegar, Fred Mercury, Mc-Fly entre outros. Os preços começam em R$ 18. Tem também entre as opções de bebidas: vinhos, drinks, destilados e cervejas.

Com boné da Arisco (lembram da Xuxa?) e pôster dos Goonies
Com boné da Arisco (lembram da Xuxa?) e pôster dos Goonies

A Máquina do Tempo Pub

Rua Dona Úrsula, 574 – Centro, Cambará do Sul

Com essas dicas dá para vocês começarem a planejar a sua viagem para Cambará do Sul. Nos próximos dias, irei postar mais detalhes sobre o que fazer na região.


Snowland Gramado: diversão na neve para todas as idades

Você já deve ter visto algumas fotos de Gramado com neve, mas isso não é muito comum e não é possível prever com antecedência quando irá acontecer para que você possa planejar a sua viagem. Mas, ainda assim, em Gramado é possível ver e brincar na neve o ano todo no Snowland, um parque temático com 16 mil m² e muitas atrações para toda a família.

Em frente ao termômetro, marcando -5 C
Em frente ao termômetro, marcando -5 C

O Snowland foi inaugurado em 2013, então, é relativamente uma atração nova em Gramado, mas já está entre as mais visitadas. Considerado o maior parque de neve indoor das Américas, tem capacidade para receber até 2 mil pessoas por dia.   

Descendo no tubing do Snowland
Descendo no tubing do Snowland
Mirante Bela Vista
Mirante Bela Vista

As atrações estão divididas entre: Vilarejo Alpino, onde estão a pista de patinação no gelo (a partir dos 06 anos, 1,15m e calçar no mínimo TAM. 28), o simulador 7D (a partir de 10 anos e 1,40m) e uma mini galeria com lanchonetes e lojas; Mirante Bela Vista, onde ficam uma praça de alimentação, um aquário com vista para a Montanha de Neve, um cinema 7D e Ice Games, com brinquedos e jogos eletrônicos; na Montanha de Neve é onde estão as melhores brincadeiras que agradam crianças e adultos, o tubing (a partir de 07 anos e 1,20m), snow play (um castelo de neve com tubing para crianças entre 4 anos e 0,95m até 10 anos e 1,40m), a pista de esqui e a escola de neve (partir de 06 anos, 1,15m e calçar no mínimo TAM. 28), e a caverna do yeti. A temperatura na Montanha de Neve varia entre -5°C e -3 °C. E o acesso é permitido a partir de 2 anos, mediante apresentação de documento.

Quer viajar para Gramado? Confira estas promoções que encontramos para você!

 

 

Atrações como a escola de esqui e/snowboard são pagas a parte e você pode optar por ter aulas em grupo ou se preferir ter aulas particulares é preciso agendar com antecedência pelo email escoladeneve@snowland.com.br

Visitei o Snowland, durante o encontro #BlogueirosemGramado, no início de outubro, quando a temperatura na cidade varia muito durante o dia e vai do calor ao friozinho de uns 12 graus, temperatura média mínima. Já dentro do Snowland, os termômetros marcavam 5 graus negativos, mas pode chegar até – 3 graus. Também era um dia chuvoso e ir ao Snowland também uma ótima opção para dias assim, em que as atividades a céu aberto ficam inviáveis.

Descendo no tubing, com Fernanda Scafi, do blog Tá indo pra onde? e Talitiane Ferreira do Mundo dos Viajantes:

Então, a primeira dica para quem vai ao Snowland, independente da época do ano, é levar roupa adequada para frio para usar por baixo da calça e casaco, que eles oferecem e estão incluídos no ingresso. Muito importante também levar meias bem quentinhas, pois no kit só vem as botas. Se quiser também, leve luvas (eles oferecem uma, mas achei que não esquentam bem), gorro e cachecol. Gente, lembrem-se: – 5 graus é muito frio!!!

Reserve sua hospedagem em Gramado

Devido ao frio também, alguns equipamentos como câmera fotográfica e celular podem travar os embaçar. Por isso, fazer fotos às vezes pode não ser tarefa fácil no Snowland. Junto com o kit com calça, casaco, botas e luva (disponível em vários tamanhos), você também receberá uma bolsinha que pode guardar o celular, carteira e máquina. Os demais pertences, você pode deixar guardados no mesmo local onde você pega e devolve as roupas.

Como o parque é bem grande e tem diversas atrações, reserve pelo menos um turno inteiro para aproveitar bem. Os adultos podem conciliar o roteiro com a visita a Vinícola Ravanelo, que fica em frente ao Snowland. Leia aqui mais sobre a visita a Vinícola: https://compartilheviagens.com.br/roteiro-de-4-a-6-dias-em-gramado-e-canela/2/.

Bilheteria Snowland
Bilheteria Snowland

O Snowland funciona de segunda a domingo, das 10h às 17h. Não funciona nas quarta-feiras, exceto em julho, dezembro e na primeira quinzena de janeiro de 2018. No tarifário normal o ingresso custa R$ 169 para adultos (acima de 12 anos), R$ 139 infantil (de 4 a 11 anos) e R$ 84 (acima de 60 anos). No valor promocional, R$ 129, R$ 99 e R$ 64 respectivamente. Importante levar o documento de identificação com foto para comprovar a idade, inclusive, de crianças.  Você pode conferir as datas de valores promocionais e comprar o ingresso aqui: https://www.snowland.com.br/ingressos/.

O Snowland fica na RS 235, 9090, a uns 15 minutos de carro do centro de Gramado. Nós fomos para até lá, em uma das paradas do bus tour da Brocker Turismo. Mas também é possível ir de Uber ou táxi. 

O Blogueiros em Gramado foi organizado pela Francine Agnoletto, do Viagens que Sonhamos,  com a realização da Prefeitura de GramadoGramado Canela Convention & Visitors BureauBrocker Turismo e o Master Premium Gramado.

Outros blogueiros que participaram do encontro: Renata Campos, do RêVivendoViagens; Cláudia Rodrigues, do Felipe, o Pequeno Viajante; André Morato, Meu Destino; Fernanda Scafi, Tá indo pra onde?; Cris Stilben, Cris pelo Mundo; Ledinara Batista, Férias Now; Talitiane Ferreira, Mundo dos Viajantes; Thais Moura; Love and Travel.

Leia outros posts sobre Gramado:

Roteiro de 4 a 6 dias em Gramado e Canela

Tour Raízes de Gramado, um passeio pela zona rural e pela história dos colonos

Onde ficar em Gramado-RS: review Master Premium Gramado

 


Tour Raízes de Gramado, um passeio pela zona rural e pela história dos colonos

O que não faltam em Gramado são passeios e atrações. E como muitas pessoas são encantadas pela cidade e a visitam várias vezes, o destino está sempre se reinventando e criando novidades. Um dos passeios que fizemos durante o Encontro de Blogueiros em Gramado*, que achei com uma proposta bem interessante, foi o tour Raízes de Gramado, que fizemos com a Brocker Turismo. O passeio nos leva para uma experiência na zona rural, onde a cidade começou, e conta a história dos colonos italianos e alemães.

O tour sai da Jardineira de Gramado, que fica na Av. das Hortências, e nos leva para a  Linha Nova e Linha Bonita, localidades onde o povoamento de Gramado teve início.

A Casa Centenária visitada no tour Raízes de Gramado
A Casa Centenária visitada no tour Raízes de Gramado

As paisagens no caminho são  bonitas e não demorou muito, menos de 15 minutos, e chegamos na nossa primeira parada: a Casa Centenária. Um exemplar das casas do período da chegada dos colonos, pertencente a uma família de descendentes de italianos.

A casa tem a estrutura principal toda de madeira e o porão em pedras para conservar vinhos, queijos, salames e é usado para esta finalidade ainda hoje. No quintal da casa ficam algumas ovelhas e o guia nos deu algumas espigas de milho para alimentá-las. A gente não tem acesso ao interior da casa, apenas a parte externa e o guia nos explica um pouco da história do casarão e da chegada dos colonos.

 Moinho Cavichion
Moinho Cavichion

Depois seguimos para o Moinho Cavichion, onde fomos recebidos pela Maristela, que nos conta de uma forma muito divertida a história do moinho, de como era o trabalho no campo no final do século 19 e  início do século 20, nos mostra vários utensílios de época e um pouco da história dos colonos italianos e alemães. O moinho foi construído em 1920 pelo bisavô dela, Pedro Cavichion, que veio da Itália para o Brasil aos 10 anos. 

Maristela conta a história do moinho que foi construído pelo seu bisavô
Maristela conta a história do moinho que foi construído pelo seu bisavô

Quase em frente ao moinho fica a Fábrica de Erva Mate Marcon, que também faz parte do passeio. Fomos recebidos pelo casal Marcon, que nos mostra o processo de produção artesanal da erva mate para fazer o famoso chimarrão, tão apreciado pelos gaúchos. No final, fizemos uma degustação da bebida. Na fábrica também tem uma lojinha onde são vendidas a erva mate, as cuias e bombas e outros produtos coloniais.

Ervateira Marcon
Ervateira Marcon

A quarta parada do tour é o Museu Rural Fiorezze. O seu Nelson, fundador do museu, nos recebe com muito bom humor, contando a história da criação do espaço e os objetos que ele coleciona e expõe no museu. Tem de tudo: fotos de famílias de colonos, ferramentas, relógios, telefones, rádios, máquinas registradoras e armas de várias épocas. Na propriedade tem também uma lojinha que vende suco de uva, vinhos, doces, biscoitos.

Museu Rural Fiorezze
Museu Rural Fiorezze
Fotos no Museu Rural Fiorezze
Fotos no Museu Rural Fiorezze
Pão feito no forno à lenha de Dona Zulmira
Pão feito no forno à lenha de Dona Zulmira

No final do passeio somos recebidos com música e muita comida pela família da Dona Zulmira, em um delicioso café colonial com pães feitos no forno à lenha, saborosas cucas, bolos, geleias, sucos, café. E para fechar, somos todos convidados a fazer uma roda para  cantar e dançar músicas tradicionais da região, como La bella Polenta.   

Sendo recebidos com música pela família de Dona Zulmira
Sendo recebidos com música pela família de Dona Zulmira
Todo mundo cantando e dançando La Bella Polenta
Todo mundo cantando e dançando La Bella Polenta

Gostei bastante do tour pelo contato com as famílias, que são muito receptivas, por ter a oportunidade aprender um pouco mais da história e cultura da região e por ser diferente dos passeios mais tradicionais de Gramado.

O passeio tem aproximadamente 6 horas de duração e sai de nas segunda e quintas-feiras, às 13h30 e aos sábados às 9h. Pela Brocker Turismo, o passeio custa R$ 149 por pessoa e pode ser reservado aqui: http://www.brockerturismo.com.br/passeios/tour-raizes-coloniais-de-gramado.

*O Blogueiros em Gramado foi organizado pela Francine Agnoletto, do Viagens que Sonhamos,  com a realização da Prefeitura de GramadoGramado Canela Convention & Visitors BureauBrocker Turismo e o Master Premium Gramado.

Outros blogueiros que participaram do encontro: Renata Campos, do RêVivendoViagens; Cláudia Rodrigues, do Felipe, o Pequeno Viajante; André Morato, Meu Destino; Fernanda Scafi, Tá indo pra onde?; Cris Stilben, Cris pelo Mundo; Ledinara Batista, Férias Now; Talitiane Ferreira, Mundo dos Viajantes; Thais Moura; Love and Travel.

Leia também:

Roteiro de 4 a 6 dias em Gramado e Canela

Onde ficar em Gramado-RS: review Master Premium Gramado

Quer viajar para Gramado? Confira estas promoções que encontramos para você!

Onde ficar em Gramado-RS: review Master Premium Gramado

Durante o Encontro de Blogueiros em Gramado, que participei no início deste mês de outubro, nos hospedamos no Master Premium Gramado. O hotel é muito bem localizado, os quartos são confortáveis e as instalações de uso comum e a bela vista para o Vale do Quilombo são capítulos à parte. O hotel é ideal para casais e famílias, especialmente com crianças.

O Master Premium Gramado fica na Vila Jardim, muito próximo de várias atrações turísticas da cidade: o Lago Joaquina Rita Bier, onde é realizado um dos espetáculos do Natal Luz, fica a 450 metros; o Mini Mundo, a 550 metros; a Praça das Etnias, a 500 metros; e a Rua Coberta, a 1km. Ou seja, dá para visitar quase todo o centro de Gramado caminhando.

Quarto luxo com duas camas de casal
Quarto luxo com duas camas de casal
Quarto Master Premium
Quarto Master Premium
Banheiro do quarto luxo
Banheiro do quarto luxo
Mimos para nos receber no quarto
Mimos para nos receber no quarto

Os quartos são bem confortáveis e espaçosos (chegam a 30 metros quadrados), com opções para casais, duplo twin, família com uma cama de casal e uma de solteiro e até o quarto luxo, com duas camas de casais. São equipados com ar condicionado, que também têm a função de aquecedor; tv com canais a cabo; cofre; frigobar; armário com cabides; mesinha para refeições e, em alguns quartos, escrivaninha; o banheiro é bem espaçoso e tem secador de cabelo, ducha com uma boa temperatura e amenities para o banho. Alguns quartos têm também vista para o Vale do Quilombo.

Vista da piscina do Master Premium Gramado
Vista da piscina do Master Premium Gramado

Os espaços comuns foram, para mim, os destaques do hotel. A área da piscina (tem uma adulta e outra infantil) tem uma vista surpreendente para o Vale do Quilombo. Mesmo que não queira encarar um mergulho, vale ir até lá, apreciar a vista. A mesma vista é possível ter de um dos saguões do hotel, onde é possível relaxar por um tempo em um dos confortáveis sofás e poltronas.

Playground tão completo que nem os adultos resistem!
Playground tão completo que nem os adultos resistem!

Para quem quer viajar sem se descuidar da saúde, o hotel dispões de academia com vários equipamentos. E quem viaja com crianças, precisa reservar um tempo para que elas possam aproveitar o playground, que é impressionante. Parece de shopping ou de buffet de festa infantil. Cheio de brinquedos para diversas idades e com acompanhamento de monitores. Eu queria muito me jogar na piscina de bolinhas, pena que já passei da idade! =)

O Master Premium tem ainda um salão de jogos e um pequeno business center, com dois computadores disponíveis. A wi-fi é gratuita e está disponível em todas as áreas, apenas, às vezes, o sinal ficava um pouco ruim no quarto (mas desconfio que a razão para isso é que tinham 10 blogueiros no mesmo andar postando dezenas de fotos! hehe).

Parte do café da manhã do hotel
Parte do café da manhã do hotel

O café da manhã do hotel oferecia opções de frios, pratos quentes, frutas, bolos e doces. Além de cafés, chás e sucos. Tinha também uma ilha com opções sem lactose e sem glúten.

O hotel dispõe de outros serviços pagos à parte, como estacionamento (R$ 27,50), aluguel de bicicletas e lavanderia.

Gostou? Você pode fazer sua reserva no Master Premium Gramado aqui.

O Blogueiros em Gramado foi organizado pela Francine Agnoletto, do Viagens que Sonhamos,  com a realização da Prefeitura de GramadoGramado Canela Convention & Visitors BureauBrocker Turismo e o Master Premium Gramado.

Outros blogueiros que participaram do encontro: Renata Campos, do RêVivendoViagens; Cláudia Rodrigues, do Felipe, o Pequeno Viajante; André Morato, Meu Destino; Fernanda Scafi, Tá indo pra onde?; Cris Stilben, Cris pelo Mundo; Ledinara Batista, Férias Now; Talitiane Ferreira, Mundo dos Viajantes; Thais Moura; Love and Travel.

Quer viajar para Gramado? Confira estas promoções que encontramos para você!

Roteiro de 4 a 6 dias em Gramado e Canela

Finalmente conheci Gramado e Canela e descobri porquê estes destinos encantam tantos brasileiros. Além das belezas naturais das serras gaúchas, achei que as duas cidades têm um quê de Europa, com suas construções que lembram cidadezinhas do interior da Alemanha e ruas floridas, e também um quê de Disney, com parques temáticos e com tantas atrações criativas. Viajei para Gramado para participar do Encontro de Blogueiros, que contou com a participação de outros nove blogs e teve dois dias intensos de programação, aproveitei e cheguei um dia antes e saí um dia depois para conhecer um pouco mais das duas cidades. O roteiro, que divido neste post com vocês, pode ser feito entre 4 e 6 dias, dependendo do ritmo de viagem.

Lago Negro, Gramado
Lago Negro, Gramado

Continue lendo este post:

Dia 1 – Gramado

Centro de Gramado

Como estávamos hospedados no Master Premium Gramado (depois escreverei um review), que é muito bem localizado, comecei a visita a Gramado pelo centrinho da cidade e fiz quase tudo a pé.

Vista da piscina do hotel Master Premium Gramado para o Vale do Quilombo
Vista da piscina do hotel Master Premium Gramado para o Vale do Quilombo

Lago Joquina Rita Bier, Gramado
Lago Joquina Rita Bier, Gramado

Comecei pelo Lago Joaquina Rita Bier, que estava nos últimos preparativos para receber o espetáculo Reencontros do Natal, que faz parte da programação do Natal Luz, que já começa no próximo dia 26 de outubro.

Fora da época do Natal Luz, também vale visitar o lago, que é bem menor que o Lago Negro, mas também é uma bonita paisagem, cercado por araucárias e outras árvores.

Rótula das Bandeiras e Kikito, Gramado
Rótula das Bandeiras e Kikito, Gramado

A uma curtíssima caminhada do lago fica a rótula das Bandeiras, com bandeiras de todos os estados brasileiros e também a famosa estátua do Kikito, réplica do troféu do Festival Internacional de Cinema de Gramado. Esta é também uma praça muito florida.

Seguindo pela Av. Borges de Medeiros, uma das principais da cidade, você irá encontrar algumas das principais atrações do centro de Gramado:

Memorial Casa Italiana, Gramado
Memorial Casa Italiana, Gramado

A Praça das Etnias, onde ficam o Memorial Casa Italiana (funciona de quarta a segunda, das 10h às 17h30. Entrada R$ 3), que tem um tour curtinho guiado contando um pouco da história dos colonos italianos na região, e mostrando vários objetos de época, inclusive, a própria casa é de 1937 e pertenceu a uma família italiana e foi removida do local onde foi construída originalmente e levada para a praça para funcionar como o memorial; a Casa Portuguesa (entrada gratuita), que através dos objetos conta um pouco das histórias dos primeiros moradores de Gramado luso açorianos; o Espaço de Feiras Francisco Oberherr, que funciona como um mercado de artesanato com vários expositores; e a Casa do Colono (segunda à sexta, das 9h às 12h e das 13h às 18h30, sábados e domingos, das 9h às 18h30), um mercado de deliciosos produtos coloniais. Ao lado da casa, tem os fornos à lenha, onde são feitos pães e cucas. As fornadas saem às quartas, sextas, sábados e domingos, das 8h às 20h.

Visita ao Memorial Casa Italiana, Gramado
Visita ao Memorial Casa Italiana, Gramado

Em frente a praça está a Rua Torta. O nome oficial é R. Emílio Sorgetz, mas a rua ganhou este nome pelo seu formato sinuoso, que lembra a  Lombard Street de San Francisco, nos Estados Unidos. A Rua Torta de Gramado também é cercada por canteiros de flores.

A Av. Borges de Medeiros faz uma curva para esquerda e uns 550 metros da rua Torta está a Catedral de Gramado (aberta diariamente das 7h30min às 21h e até meia noite, durante o período do Natal Luz). A bela igreja, toda de pedra, é dedicada a São Pedro. Na praça em frente, tem uma fonte com a estátua dos doze apóstolos. No interior da igreja, tem bonitos vitrais e lustres candelabros enormes.

Catedral de Gramado
Catedral de Gramado

Na lateral da igreja está a Fonte do Amor Eterno, cheia de cadeados de casais apaixonados.

Ao lado da igreja estão o Museu do Festival de Cinema de Gramado (segunda à sábado, das 10h às 18h; R$ 20 em dias úteis e R$ 30 nos fins de semana e feriados) e o Palácio dos Festivais, onde acontece a premiação do festival. Em 2018, o festival será realizado entre 16 e 25 de agosto.

Rua Coberta, Gramado
Rua Coberta, Gramado

Confesso que não visitei o Museu, por isso, não posso dar mais detalhes sobre ele, mas quem quiser mais informações pode visitar o site: https://www.museufestivaldecinema.com/

Logo em frente ao Museu do Festival estão a Praça Major Nicoletti, uma praça bem arborizada, com várias lojas que ficam em um centro comercial e uma Central de Informações ao Turista e a Rua Coberta, uma rua dedicada a restaurantes.

No período em que estivemos lá, estava acontecendo o Festival de Cultura e Gastronomia de Gramado, realizado em outubro. Durante o festival, cada restaurante participante escolhe um prato para colocar a um preço acessível (nesta edição, tinham pratos de R$ 25 e de R$ 43) e montam estações (stands) para vendê-los. Também são realizados shows musicais, peças teatrais, workshops e oficinas.

Para o primeiro dia, este foi um passeio de reconhecimento do centro de Gramado. Todo este percurso, dá menos de 20 minutos de caminhada, mas ideal é dedicar uma manhã inteira para visitar tudo com calma.

Le Jardin Parque de Lavanda

Le Jardin Parque de Lavandas, Gramado
Le Jardin Parque de Lavandas, Gramado

Para a tarde, recomendo a visita ao Le Jardin Parque de Lavanda (de terça a domingo, das 9h30 às 17h30 – as estufas estão abertas até às 17h), um lugar lindo lindo, com entrada gratuita. O parque tem várias tipos de flores, inclusive plantas exóticas, tem duas estufas grandes (com mudas para serem vendidas) e os jardins tem uma decoração muito charmosa, com um coreto e bancos na cor de lavanda. A floração das lavandas acontece entre outubro a dezembro.  

No Le Jardin tem um loja com diversos produtos feitos com óleo essencial de lavandas e uma lanchonete.

Le Jardin
Le Jardin

O parque fica na rodovia RS 115, a mais ou menos 5km do centro de Gramado. Se você não estiver de carro, dá para ir até lá de Uber, a um valor bem baratinho. Mas um detalhe, só dá certo se voltar de Uber, se você tiver um bom sinal de internet no celular, pois lá no jardim não tem Wifi e o sinal de internet não é dos melhores. Mas consegui ir e voltar de Uber.

Vinícola Ravanello

Vinícola Ravanello
Vinícola Ravanello

Outro lugar muito bonito e charmoso em Gramado é a Vinícola Ravanello, que fica a 7 km do centro de Gramado, em frente ao o Snowland.

A vinícola oferece visita guiada de segunda a sábado, às 10h, 11h, 14h, 15h e 16h. A visita conta um pouco da história da Ravanello, que tem apenas 7 anos, leva até os vinhedos e também explica sobre todo o processo de produção, mostrando desde os tanques de aço inoxidável até os barris de carvalho francês. A visita guiada inclui a degustação de 3 vinhos, todos deliciosos. Quem me acompanhou na  visita, que tem 1 hora de duração, foi o Sommelier Leonardo Flores. E os vinhos degustados foram: espumante Brut; Merlot clássico 2011 e Cabernet Premium 2012. A visita guiada custa R$ 35 por pessoa.

Ao final, você também pode visitar a loja e comprar algumas garrafas para levar para casa.

Lembre-se de agendar o seu horário com antecedência pelo vinicolaravanello@vinicolaravanello.com.br, ou pelos telefones 54 9668 6400 ou 54 9668 6495.

Chave-Mestra Escape Game

No início da noite ainda encontrei tempo para conhecer o Chave-Mestra Escape Game. Para quem não sabe, escape game é um jogo de aventura, onde os jogadores são trancados em uma sala temática e para sair dentro do tempo estabelecido, precisam de desvendar mistérios e enigmas. A Chave-Mestra tem salas de 30 e de 60 minutos.

Conheci a Chave-Mestra, a convite deles. Nunca tinha participado desse tipo de game, mas achei bem interessante e divertido. Dá para participar com pelo menos dois jogadores,  mas é legal participar em grupo, que dependendo da sala pode ser de até 8 pessoas. A nossa sala foi com o tema Escola de Magia, inspirada em Harry Potter, e o tempo para escapar era de 30 minutos, que conseguimos com sucesso nos últimos segundos!

Para não estragar a surpresa da brincadeira, não é permitido fotografar no interior das salas.

No Chave-Mestra, eles têm outras salas com os temas: O Tesouro da Barba Negra, Pânico na Linha 665, O Despertar do Conde Drácula, Morte à meia noite e Hotel California. As salas têm recomendação de faixa etária livre. Mas menores de 14 anos têm que estar acompanhados dos pais.

Os preços variam de R$39,90 a R$69,90 por pessoa. É importante agendar o horário e a sala, o que pode ser feito aqui: https://chavemestra.net/gramado

Chave-Mestra: Av. Borges de Medeiros, 3088 – Vila Suica, Gramado

Garfo e Bombacha

Garfo e Bombacha, Canela
Garfo e Bombacha, Canela

E para fechar o primeiro dia, fomos para a Noite Gaúcha na Churrascaria Garfo e Bombacha, que já fez parte da programação do Blogueiros em Gramado.

A churrascaria fica, na verdade, em Canela, e tem buffet livre, com várias opções de acompanhamento (tinha bastante coisa, mesmo para mim, que não como carne) e um show de danças típicas gaúchas, a chula, o chote, o vaneirão, a dança do pau de fita e outras, bem bonito.

Depois irei detalhar mais a noite na Garfo e Bombacha em outro post.

A Noite Gaúcha com jantar show sai por R$ 179,00 por  pessoa (das 20h às 23h30, 21h música ao vivo e 21h30 Show Gaúcho). Existe também a opção do almoço com o show, que sai por R$ 110 (das 12h às 15h, show às 13h30). E só o almoço custa R$ 80.

Garfo e Bombacha: RS 466 – km 2, Canela

Continue lendo este post:

Dia 2 – Gramado

Snowland

Snowland, Gramado
Snowland, Gramado

Já como parte da programação do Blogueiros em Gramado, começamos o segundo dia, recebendo as boas vindas do Prefeito da cidade, Fedoca – João Alfredo de Castilhos Bertolucci (PDT) e da secretária de Turismo, Rubia Frizzo.

Em frente ao termômetro, marcando -5 C
Em frente ao termômetro, marcando -5 C

Depois seguimos para o Snowland. O parque de neve indoor é uma atração para todas as idades. As atrações estão divididas entre: Vilarejo Alpino, onde estão a pista de patinação no gelo, o simulador 7D e uma mini galeria com lanchonetes e lojas; Mirante Bela Vista, onde ficam uma praça de alimentação, um aquário com vista para a Montanha de Neve, um cinema 7D e Ice Games, com brinquedos e jogos eletrônicos; na Montanha de Neve é onde estão as melhores brincadeiras, o tubing, snow play (um castelo de neve), a pista de esqui e a escola de neve, e a caverna do yeti. A temperatura na Montanha de Neve varia entre -5°C e -3 °C. E o acesso é permitido a partir de 2 anos, mediante apresentação de documento.

Descendo no tubing do Snowland
Descendo no tubing do Snowland

O Snowland funciona de segunda a domingo, das 10h às 17h. Não funciona nas quarta-feiras, exceto em julho, dezembro e na primeira quinzena de janeiro de 2018. No tarifário normal o ingresso custa R$ 169 para adultos (acima de 12 anos), R$ 139 infantil (de 4 a 11 anos) e R$ 84 (acima de 60 anos). No valor promocional, R$ 129, R$ 99 e R$ 64 respectivamente. Você pode conferir as datas de valores promocionais e comprar o ingresso aqui: https://www.snowland.com.br/ingressos/.

O ingresso inclui calça, casaco, botas e luvas. Mas lembre de ir com roupas bem aquecidas por dentro, inclusive, meias, pois -5°C é muito frio!!  

Depois, também irei escrever um post com mais detalhes sobre o Snowland. Mas adianto que reserve uma manhã ou tarde inteira para a atração.

Como a vinícola Ravanello fica bem em frente ao Snowland, você também pode colocar as duas atrações para o mesmo dia.

Snowland: RS-235, 9009 – Carazal, Gramado

Café Colonial

Café Colonial no Coelho, Gramado
Café Colonial no Coelho, Gramado

Depois de muita brincadeira no Snowland, provavelmente, você estará com fome suficiente para um café colonial. Quer dizer, suficiente não sei porque é muita comidaaa! O café colonial funciona da seguinte maneira: você paga um valor fixo e pode comer à vontade. São comidas deliciosas de receitas alemãs e italianas. Nós fomos no Café Coelho que tem mais de 80 opções , entre doces e salgados. E você pode comer o que quiser, por quanto tempo quiser. Para acompanhar, tem vinho branco seco, tinto suave, suco de uva, café, chás, leite, chocolate quente, chocolate gelado. E quando você pensa que não aguenta mais de tanta comida, ainda tem o bufê de sobremesas com mais de 10 tipos de tortas e também fondue com frutas. Ainda bem que o espaço para sobremesa é extra, né?! =)

O Coelho Café  funciona de segunda à sexta, das 11h às 21h, sábados das 10h30 às 21h30 e domingo, das 10h30 às 20h45. É uma ótima opção para o almoço ou para emendar o lanche da tarde com o jantar. O valor por pessoa é R$ 72, mas comprando online você pode encontrar por um valor promocional de R$ 64, 90. Crianças até 5 anos não pagam.

Café Coelho: na Av das Hortências, 5433

Se tiver com um grupo grande é interessante agendar: reservas@cafecoelho.com.br.

Cervejaria Rasen

Cervejaria da Rasen Bier, Gramado
Cervejaria da Rasen Bier, Gramado

Para os adultos, além da visita a vinícola, recomendo também a visita à Rasen Bier, cervejaria de Gramado. Aliás, Rasen, significa gramado ou jardim, em alemão. A empresa começou em 2006 com o desenvolvimento do produto e da marca, mas o primeiro produto só foi lançado em dezembro de 2008.  

Na visita à fábrica, é explicado o processo de fabricação da cerveja, as matérias primas e os rótulos da marca, que são Pilsen, Dunkel, Ambar Ale e Weizen.  Em algumas datas comemorativas, como na Semana Farroupilha e no Natal, a Rasen também lança alguns rótulos sazonais.

Degustação dos rótulos da Rasen Bier
Degustação dos rótulos da Rasen Bier

A fábrica pode ser visitada de segunda a sábado, das 9h às 11h e das 14h às 17h. E para o domingo é necessário consultar disponibilidade. Depois da visita é feita à degustação no bar da Rasen, que fica ao lado da fábrica.

Cervejaria Rasen: Rua Cândido Godoy, 82

Fábrica de Chocolates e Mundo do Chocolate

Torre Eiffel no Mundo de Chocolate, Gramado
Torre Eiffel no Mundo do Chocolate, Gramado

Boa parte das atrações de Gramado envolvem comida e bebida. =P E as fábricas de chocolate artesanal são uma a atração a parte. Nós visitamos a fábrica da Lugano, onde tivemos uma breve explicação do processo de fabricação do chocolate e também pudemos ver a fábrica através de um aquária. Depois, visitamos o Mundo do Chocolate, um museu só com peças feitas de Chocolate! São mais de 200 peças temáticas, as pirâmides do Egito, o Taj Mahal, a Torre Eiffel, canais de Veneza e a Muralha da China. As esculturas chegam a mais de 4 metros de altura e, juntas, chegam a pesar 30 toneladas de chocolate. A Torre Eiffel é a mais impressionante com 4,22 metros e 800 kg de chocolate.

No Mundo do Chocolate também tem um espaço onde é possível degustar os chocolates Lugano e também ser chef por um dia, criando sua própria versão de chocolate.

A visita é áudio guiada que conta a história do Sr Suisse e sua neta Avelã, moradores de uma fábrica de chocolate, na cidade de Lugano, na Suíça. Na história, o avô conta a história de outros países para a menina, criando as paisagens de chocolate.

O Mundo do Chocolate funciona de segunda à quinta, das 09h30 às 20h, sextas e sábados, das 09h30 às 21h30 e domingos, das 09h30 às 20h.  O ingresso adulto custa R$ 35 e o infantil R$ 28.

No mesmo prédio do Mundo do Chocolate fica o café e a loja da Lugano.

Mundo do Chocolate: Avenida Borges de Medeiros, 2497

Ice Bar

Termômetro do Ice Bar marcando - 12 graus
Termômetro do Ice Bar marcando – 12 graus

Uma das atrações recentes de Gramado é o Ice Bar Boreal, que fica no subsolo do Café da Lugano. O bar é todo de gelo. São 20 toneladas de esculturas de gelo (tem até uma sinuca de gelo!) e até os copos onde são servidas as bebidas são de gelo. As temperaturas são sempre negativas e podem chegar até – 16°C. O ingresso dá direito a roupa: calça, casaco com gorro e bota e também uma bebida cortesia. É permitido a entrada de crianças e, no caso, delas a bebida é um suco.

Como não dá para ficar tanto tempo na parte de gelo, o bar tem também um outro espaço mais aquecidinho, com temperatura ambiente.

O ingresso para adulto é R$ 28 e para criança R$ 16. Também tem a possibilidade de comprar o combo Ice Bar + Mundo de Chocolate por R$ 52 para adultos e R$ 28 crianças.

Com a turma toda dos Blogueiros em Gramado
Com a turma toda dos Blogueiros em Gramado

Ice Bar:  Av. Borges de Medeiros, 2497

Toro

Sanduíches do Toro
Sanduíches do Toro

O jantar da segunda noite foi no Toro. Um bar, restaurante, especializado em hamburgues artesanais. Tem também drinks deliciosos. Os sanduíches são personalizados, o cliente escolhe, entre as opções, o tipo de carne e o ponto, o molho, o pão e dois tipos de acompanhamentos. Apesar de não ter opção vegetariana no cardápio, foi só pedir que recebi um sanduba delicioso veggie. Mas o que mais amei foi o chips de polenta frita, que vem de acompanhamento. Simplesmente deliciosas! No cardápio também tem opção kids.

O restaurante tem um ambiente muito bacana, com uma decoração bem descolada, que depois soube que utilizava objetos que pertenceram aos avós dos proprietários, que são de origem alemã e italiana. Os garçons também são todos bem estilosos.

O Toro também tem música ao vivo, normalmente, jazz, soul, blues e tango, nas quartas-feiras, e quando estivemos lá estava tocando uma banda muito boa.

O restaurante funciona terças, quartas, quintas e domingos, das 19h às 23h45 e sextas e sábados, das 19h à 1h.

Toro: Av. das Hortênsias, 804 – Planalto

Continue lendo este post:

Dia 3 – Gramado

Lago Negro (foto em destaque)

Não tem como ir a Gramado e não visitar o famoso Lago Negro, principal cartão postal da cidade. O lago é artificial e tem uma área de 17.470m², cercado por muitas árvores e flores. Já a área do parque é 89.336m² e suas principais atrações são o passeio de pedalinho no lago e a caminhada pela trilha à sua volta, que tem 740 metros e é bem tranquila.

No parque tem também bar, restaurante e lojas. O passeio de pedalinhos-cisne custa R$ 30 para até 2 pessoas, por 20 minutos. Tem também o pedalinho de cisne maior e o pedalinho caravela que custam R$ 40. Pessoas acima de 60 anos pagam meia.

A entrada no parque é gratuita.

Lago Negro: R. A. J. Renner – Bairro Lago Negro

Mini Mundo

Mini Mundo, Gramado
Mini Mundo, Gramado

Outra atração muito popular em Gramado é o Mini Mundo. A história deste parque temático, que tem mais de 30 anos, é bem interessante porque ele começou quando um pai e um avô resolveram presentear duas crianças com uma casinha de bonecas, um conjunto de castelos e trenzinhos em miniaturas, que foram construídos no jardim em frente ao hotel Rita Höppner, que pertence à família. A ideia era que, quando as crianças crescessem, o local também pudesse ser visitado pelos hóspedes. E logo o Mini Mundo foi crescendo.

Castelo Neuschwanstein, no Mini Mundo
Castelo Neuschwanstein, no Mini Mundo

Uma equipe de 10 artesãos, que hoje são comandadas pelo neto, fazem os prédios, postes, placas de sinalizações, navios e aviões  do parque. E a neta administra o hotel da família.

As obras do Mini Mundo não se tratam de maquetes, mas de réplicas com todos os detalhes, que segue uma escala de 1 por 24. Inclusive, nenhuma obra é feita sem autorização por escrito e cópia da planta da obra original. Até o código brasileiro de trânsito é seguido no mini mundo, com as proporções exatas de distâncias do meio fio, por exemplo, e sinalizações.

As réplicas são de prédios famosos do Brasil e do Mundo, especialmente, da Europa. Todas as obras estão ao ar livre e precisam ser resistentes a ação do clima.

Confesso que antes de visitar o Mini Mundo, só de ver em fotos não achava tão interessante, quanto achei pessoalmente. Os detalhes realmente impressionam, e foi ainda mais interessante perceber isso nas réplicas dos lugares que já visitei.

No Mini Mundo tem vários guias à disposição que explicam a história do lugar, os detalhes das réplicas e os melhores ângulos para fotografar.

O ingresso para adulto custa R$ 36, crianças de 3 a 15 anos, estudantes e idosos pagam R$ 18. Crianças até 2 anos não pagam. Aberto todos os dias das 9h15 às 17h.

Mini Mundo: R. Horácio Cardoso, 291 – Planalto

Tour Raízes de Gramado

Moinho na zona rural de Gramado
Moinho na zona rural de Gramado

Como o nome sugere, este tour leva às origens da cidade de Gramado, nas localidades Linha Nova e Linha Bonita. O passeio pela zona rural da cidade, conta a história dos colonos na região e nos leva para visitar famílias de colonos, uma casa centenária, uma fábrica de erva mate, um moinho e um museu rural. No final, somos recebidos com música tradicional e um café colonial, com muita comida. Adorei este passeio, que levou uma tarde inteira, mais ou menos 6 horas, e depois irei escrever mais detalhes sobre ele.

Fizemos o passeio com a Brocker Turismo e a saída dele é em frente a Jardineira de Gramado.

Bus Tour

Bustour da Brocker
Bustour da Brocker

Aliás, os demais lugares de Gramado, visitamos com o Bus Tour também oferecido pela Brocker Turismo. O ônibus turístico faz uma rota or Gramado & Canela, com 38 opções de paradas, das 08h35 até às 18h. Você pode escolher a opção de 1 dia (R$ 69), 2 dias (R$ 109) o 3 dias (R$ 138) e descer do ônibus quantas vezes quiser. Se quiser um dia extra custa R$ 40 e 2 dias extras, R$ 69 por pessoa. Crianças de 6 a 12 anos e idosos a partir de 60 anos pagam R$ 59.

Tem também uma opção de combo 1 casal + 1 filho por R$ 159.

Esta é uma ótima opção para quem está sem carro e fará vários deslocamentos.

Como vocês podem perceber, fizemos muita coisa em poucos dias, então, foi tudo um pouco corrido e cansativo. Por isso, sugiro que este roteiro de 3 dias em Gramado possa ser feito em até 5 dias.

Fondue no Colosseo

O jantar da última noite foi no restaurante Colosseo, especializado em fondues. O cardápio tem outras opções que vão de risotos, frutos do mar, aves, carnes exóticas, massas e etc. Mas nós degustamos a sequência de fondues, que incluiu fondue de vegetais, de frutas, carnes (de vários cortes e com diversos molhos de acompanhamento), e de chocolate, que é acompanhado de diversas frutas.

O Colosseo tem um ambiente bem sofisticado e a noite teve música ao vivo no piano.  O restaurante também conta com uma carta de vinhos bem diversificada, inclusive, com rótulos de diversos países, além de outros tipos de bebidas.

Restaurante Colosseo: Av. das Hortênsias, 1560 – Centro, Gramado

Continue lendo este post:

Dia 4 – Canela

A cidade irmã de Gramado, Canela tem como forte as belas paisagens naturais. E, por isso, dediquei o meu único dia na cidade à elas, além de um passeio rápido pelo centro da cidade.

Bondinhos Parques da Serra

Bondinhos do Parques da Serras, em Canela, e a Cascata do Caracol
Bondinhos do Parques da Serras, em Canela, e a Cascata do Caracol

A Cascata do Caracol é a principal atração natural de Gramado e ela pode ser vista do Parque do Caracol ou do Parques da Serra, onde você pode fazer o passeio de bondinhos aéreos.

A cascata tem 131 metros de queda e ela tem esse nome por causa do formato do rio que dá origem a ela.

O percurso do bondinho é de 840 metros com vista para a cachoeira. O bondinho faz parada em duas estações: Animal, que é a mais alta, fica a 130 metros de altura da estação central, onde você pegará o bondinho. Nesta estação tem trilhas de 230 metros pela área do parque e também esculturas de animais talhadas em madeira. A melhor vista é da Estação Cascata, que fica mais abaixo e tem uma vista mais aproximada da cascata.

A cascata do Caracol é de uma beleza impressionante. É uma vista, realmente, imperdível em Canela. Por isso, resolvemos ir mesmo chovendo muito quando saímos do hotel. Por sorte, quando chegamos no parque, a chuva diminuiu e depois o sol apareceu. Foi bom também ir aos bondinhos porque todo percurso (com exceção da trilha na estação Animal) é coberto, então, podíamos ver a cachoeira e fazer fotos sem nos molhar.  

O parque funciona todos os dias das 9h às 17h. A entrada custa R$ 42 para adultos e R$ 21 para crianças de 6 a 12 anos. Crianças até 5 anos têm entrada livre.

http://www.parquesdaserra.com.br/

O ingresso para os bondinhos foi uma cortesia para o Compartilhe Viagens.

Parque do Caracol

Cascata do Caracol, vista do Parque do Caracol
Cascata do Caracol, vista do Parque do Caracol

Vizinho ao Parques da Serra fica o Parque do Caracol, que é mais antigo e o mais visitado para ver a Cascata. Neste parque dá para ver a cachoeira do alto de um outro ângulo visto no parque dos bondinhos, um pouco mais de perto. E também descer uma escadaria que leva até a base da cachoeira. Porém, quando fomos essa trilha estava fechada, justamente, por causa da chuva. A única trilha que estava aberta era até as corredeiras.

Também existe um elevador panorâmico, mas é pago a parte. Tem também um passeio de trenzinho que faz um passeio por uma cidade cenográfica, fazendo um passeio pela história de Canela. O ingresso também é pago a parte.

O parque funciona todos os dias, das 9h às 17h30. O ingresso custa R$ 20.

Parque do Caracol: Rodovia RS 466, km 0, s/n – Caracol, Canela

Parque da Ferradura

Vale da Ferradura, Canela
Vale da Ferradura, Canela

Esse foi o meu lugar favorito em Canela. Um parque lindo, mas bem menos visitado que o Parque do Caracol, pois o acesso é um pouco mais difícil. Mas fica apenas a 13 km do Centro de Canela. São 3 mirantes, que podem ser acessados em no máximo 5 minutos de caminhada com vistas incríveis para o Vale da Ferradura, o Vale do Arroio Caçador e a Cascata do Arroio Caçador. Tem também 4 trilhas (Trilha do Rio Caí, Trilha do Pórtico, Trilha das Cotias e  Trilha das Pinguelas) que levam até lá embaixo no vale e para chegar até a cachoeira, mas também estavam fechadas por causa da chuva. As trilhas são curtas, porém, como são todas de descida, tem um nível maior de complexidade.

Mas só pelos mirantes, que ficam no alto de um cânion, vale a visita. O vale da Ferradura recebe esse nome, devido a forma em rio Santa Cruz corre, que se assemelha a uma ferradura.

O Parque da Ferradura funciona de terça a domingo, das 9h às 17h. A entrada custa R$ 12 para adultos e R$ 6 para crianças e idosos.

Parque da Ferradura: Rodovia RS-466, km 12, Canela

Centro de Canela e Igreja de Pedra

Catedral de Canela
Catedral de Canela

E para fechar o roteiro de um dia em Canela, claro que não poderia faltar uma visita ao centro da cidade e a sua famosa Catedral de Pedra. A igreja que é dedicada a Nossa Senhora de Lourdes é gigantesca, com 65 metros de altura.

Apesar das obras da igreja terem sido iniciadas nos anos 50 e concluídas só em 1987, a Catedral tem um estilo gótico, que faz pensar que ela é bem mais antiga.

Na lateral da Catedral de Pedra fica também o disputado letreiro com o nome “Canela”. A igreja é o único prédio da praça que fica bem no centro da cidade e, de longe, chama atenção por sua imponência.

 

Catedral de Canela: Praça da Matriz, 69 – Centro, Canela

Claro que Canela, tem mais atrações, mas para um roteiro de um dia acho que aproveitamos muito bem. Mas se vocês puderem ter mais tempo na cidade, podem visitar ainda o Mundo à Vapor, o Castelinho Caracol e os parques temáticos que ficam na cidade.

*Peço desculpas pelas fotos de Canela, mas vocês não vão acreditar no que fiz?! Não salvei as fotos que fiz na câmera neste dia e, depois, apaguei o cartão!! E só descobri isso quando estava escrevendo este post. =( Por sorte, tinha essas do celular e da GoPro.

Se alguém tiver mais dicas de Gramado e Canela, por favor, deixe nos comentários. =) E, aguardem os próximos posts do Rio Grande do Sul. Tenho muita coisa para dividir com vocês.

O Blogueiros em Gramado foi organizado pela Francine Agnoletto, do Viagens que Sonhamos,  com a realização da Prefeitura de GramadoGramado Canela Convention & Visitors BureauBrocker Turismo e o Master Premium Gramado.

Outros blogueiros que participaram do encontro: Renata Campos, do RêVivendoViagens; Cláudia Rodrigues, do Felipe, o Pequeno Viajante; André Morato, Meu Destino; Fernanda Scafi, Tá indo pra onde?; Cris Stilben, Cris pelo Mundo; Ledinara Batista, Férias Now; Talitiane Ferreira, Mundo dos Viajantes; Thais Moura; Love and Travel.

Quer viajar para Gramado? Confira estas promoções que encontramos para você!

#Partiu Blogueiros em Gramado

Gramado e as Serras Gaúchas sempre estiveram na minha interminável Bucket List. Mas nunca tinha tido a oportunidade de conhecer. Sempre tive muita curiosidade em saber porque todo mundo volta encantado de lá. Mas agora minha curiosidade está com as horas contadas. Daqui a pouco, parto para o aeroporto para uma viagem de 9 dias pelo Rio Grande do Sul, fui convidada para participar do Blogueiros em Gramado, encontro que contará ainda com 9 blogueiros e irei visitar também outro destino que sempre sonhei: Cambará do Sul. =)

Blogueiros em Gramado

O Blogueiros em Gramado começa amanhã e vai até domingo. O encontro está sendo organizado pela Francine Agnoletto, do Viagens que Sonhamos, e está sendo realizado com o apoio da Prefeitura de Gramado, Gramado Canela Convention & Visitors Bureau, Brocker Turismo e o Master Premium Gramado.

A Fran já divulgou a programação para a gente e tem muita coisa legal, inclusive, Snowland, Ice Bar, visita a fábrica de chocolate, cervejaria e não posso falar mais, já fiz muito spoiler. Acompanhem tudo nas nossas redes sociais: @compviagens no Instagram e Compartilhe Viagens, no Facebook.

Também participarão do Encontro: Renata Campos, do RêVivendoViagens; Cláudia Rodrigues, do Felipe, o Pequeno Viajante; André Morato, Meu Destino; Fernanda Scafi, Tá indo pra onde?; Cris Stilben, Cris pelo Mundo; Ledinara Batista, Férias Now; Talitiane Ferreira, Mundo dos Viajantes; Thais Moura; Love and Travel. Só gente boa, hein? Acompanhem eles nas redes sociais também.

Ainda não conheço o Rio Grande do Sul, é o único estado da região que não conheço. Então, aproveitarei a ida a Gramado para conhecer outros destinos. Depois do encontro de blogueiros, eu e a Renata Campos seguiremos viagem para Canela e Cambará do Sul, onde estão os parques nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral, famosos pelos cânions. Sonho com esse lugar desde os tempos da série “A Casa das Sete Mulheres” (que foi exibida pela Globo há quase 15 anos), pois muitas cenas foram gravadas lá.

Agora, vou  terminar a mala e depois vou para aula de yoga aliviar a ansiedade por essa viagem que tenho certeza que será maravilhosa. =)


Serras Gaúchas: Um passeio por Gramado, Canela e Nova Petrópolis

Olá viajantes,

O texto de hoje foi escrito não por uma, mas por duas viajantes, as irmãs Mara e Marília Nogueira de Castro. Mara é psicóloga e técnica de turismo e vive hoje em Amsterdã (HOL), Marília é advogada e mora em Natal. As duas fizeram uma viagem de quatro dias pela encantadora região das Serras Gaúchas e conta tudo para a gente.Se você sempre sonhou em conhecer Gramado, Canela e Nova Petrópolis ao ler esse texto, vai ter vontade de fazer as malas e ir direto para lá! Está imperdível!

Continuar lendo Serras Gaúchas: Um passeio por Gramado, Canela e Nova Petrópolis