Viajando grávida: vale a pena ir aos parques de Orlando?

Durante o planejamento da nossa viagem a Orlando para fazer o enxoval da bebê, uma das minhas dúvidas era se valia a pena ir grávida aos parques. E, depois de experimentar, a minha resposta é: depende. Escolhendo bem os parques a serem visitados e tomando algumas precauções, vale a pena sim. E pode ser uma ótima maneira de aproveitar um pouco mais a viagem e “descansar” da maratona de compras.

Como já expliquei em outros posts, nós viajamos em um grupo de 6 pessoas, que incluíam os nossos sobrinhos de 12 e 15 anos que, é claro, tinham como principal interesse na viagem visitar os parques. Porém, agradar um grupo tão heterogêneo, sendo 2 adolescentes e 2 casais, incluindo 2 grávidas, não era uma tarefa muito simples.

Veja nosso roteiro:

Miami e Orlando: Roteiro para 7 dias

No Disney´s Magic Kingdom, com 25 semanas de gestação
No Disney´s Magic Kingdom, com 25 semanas de gestação

Pesquisei bastante sobre os parques e cheguei a conclusão que alguns deles, como as parques da Universal (Studios e Islands) não valia a pena para grávidas, pois praticamente todas as atrações não são permitidas para gestantes. Então, nesse caso, foram apenas os nossos sobrinhos, acompanhados dos nossos maridos (Fred e o primo dele). Enquanto, eu e a outra gestante, fazíamos compras para o enxoval.

Porém, para mim, comprar não é nenhuma diversão. Até mesmo comprar coisinhas de bebê, depois de algumas horas, eu já ficava muito cansada e de saco cheio com uma sensação de que não estava aproveitando a viagem. Por isso, queria muito ir aos parques.

Pôr do sol no Magic Kingdom
Pôr do sol no Magic Kingdom

Reservei 2 dias dos 5 que estivemos em Orlando para ir aos parques e escolhemos ir ao Disney´s Magic Kingdom e ao Disney´s Hollywood Studios. Como já expliquei no post sobre o MK (Orlando – Como aproveitar melhor o Magic Kingdom), este é um parque mais indicado para crianças pequenas, mas também por ser o mais tradicional, acaba fazendo parte do roteiro de todo mundo que vai a Orlando pela primeira vez. A minha dica é visitá-lo logo no primeiro dia.

Orlando – Como aproveitar melhor o Magic Kingdom

Com Fred e os nossos sobrinhos Maria e Serginho no Hollywood Studios
Com Fred e os nossos sobrinhos, Maria e Serginho, no Hollywood Studios

Para gestante, o parque não tem tantas atrações interessantes, ao não ser que esteja acompanhada de crianças pequenas. Mas dá para aproveitar assistindo aos desfiles e aos shows de encerramento, que são belíssimos. O parque também tem vários cenários bonitos que dá para aproveitar o passeio e fazer umas fotos exibindo a barriga, já pensando em repeti-la, quando voltar anos depois com a criança.

Já o Hollywood Studios adorei e deu para fazer muita coisa, mesmo ficando a maior parte do tempo sozinha. Neste dia, fomos só os 4, eu, Fred e os nossos sobrinhos e, enquanto, eles se divertiam nas montanhas russas e outras atrações que não eram recomendadas para gestantes, eu aproveitava para ir nas atrações mais leves e assistir aos shows, que são vários no Hollywood. Também achei o Hollywood mais tranquilo para passear por ser um parque menor e menos lotado que o MK.

Outro parque que gostaria de ter ido, mas acabou nos faltando tempo, e que tem bastante opções que também se adequam para grávidas é o Epcot. Enfim, em Orlando há uma infinidade de parques e, certamente, dá para visitar alguns deles, entre um dia de compra e outro.

Cuidados para gestantes

Antes de tudo, as gestantes devem ficar atentas aos cuidados e as regras para viajar de avião, o que já detalhei em um outro post (Viagem de avião durante a graviz: regras e cuidados que precisam ser tomados). 

Viagem de avião durante a gravidez – regras e os cuidados que precisam ser tomados

Para os dias de visitas aos parques, além de escolher um parque que tenha atrações que são adequadas para grávidas, é preciso tomar algumas precauções:

– A primeira delas é consultar o seu médico (a) antes de viajar e saber se está tudo bem em ir aos parques; 

–  Faça o seguro viagem antes de viajar e que inclua cobertura para gestantes. 

Aqui no blog nós recomendamos a Real Seguro Viagem e o Seguro Viagem Allianz. Você pode fazer uma cotação com os dois e ver qual oferece o melhor custo benefício.

– Ir com roupas e calçados confortáveis, se preferir também pode usar meia de compressão, se tiver sido recomendada por seu médico (a).

– Levar garrafinha de água e se manter bem hidratada;

– Fazer pausas para descanso, colocar um pouco as pernas para o ar. Um dia de parque pode ser muito cansativo, especialmente para quem chega cedo, por volta das 9h, e sai apenas no encerramento, 22h ou 23h.

Um detalhe: não há nenhum tipo de prioridade para gestantes ou qualquer outro perfil que se enquadre como prioridade aqui no Brasil. Então, em algumas atrações você pode ficar muito tempo em pé, esperando nas filas. Lembre-se de usar o fast pass. 

– Se alimentar bem. Por recomendação médica, grávidas devem comer a cada 3 horas. Então, o ideal é levar alguns lanchinhos saudáveis para fazer entre as refeições. No parque as opções não são das mais saudáveis, além de ser tudo muito caro.

– Mesmo em dia frio, não esqueça do protetor solar e protetor labial, pois o clima pode estar muito seco.

Escolhendo bem os parques e tomando esses cuidados, acredito que dá para se divertir bastante e deixar mamãe e bebê felizes. =)

Onde ficar em Orlando: Review de casa no Lucaya Village

Viajar em Orlando é bem mais prático de carro. Faça uma cotação e reserve aqui um carro em Orlando

Quer viajar para Orlando? Confira estas promoções que encontramos para você!

Orlando – Como aproveitar melhor o Magic Kingdom

O Magic Kingdom foi o primeiro parque da Disney construído em Orlando, funcionando desde 1971. É o mais tradicional dos parques da franquia e, por isso, não é apenas o parque mais visitado da cidade, mas do mundo todo. Especialmente para quem viaja a primeira vez a Orlando, o MK é imperdível. Mas para ter uma melhor experiência no parque que, inevitavelmente, está sempre lotado, é bom ficar atento a alguns detalhes. Reuni, neste post, algumas dicas para aproveitar melhor o parque.

Essa (março de 2018) foi a nossa primeira vez em Orlando e, claro, no Magic Kingdom. No entanto, já conhecíamos os parques Disneyland, em Paris e a Disneyland de Hong Kong.  Por isso, conhecíamos um pouco a dinâmica dos parques e até algumas atrações que são semelhantes.

Ainda assim, tínhamos muitas dúvidas sobre os parques que deveríamos escolher para ir em apenas 3 dias em Orlando (ficamos 5 dias, mas o restante dedicamos às compras do enxoval de bebê). Mas conversando com pessoas que já conheciam a cidade e também  participando de grupos no Facebook (tem vários sobre Orlando), era unânime a recomendação para ir ao MK.

Chega de conversa e vamos as dicas para ter uma uma melhor experiência no MK:

1 – Comece pelo MK

Castelo da Cinderela, Magic Kingdom
Castelo da Cinderela, Magic Kingdom

Quem tem vários dias em Orlando e pretende visitar outros parques, comece pelo Magic Kingdom. Explico: o MK é um parque mais voltado para o público infantil, com atrações mais tradicionais.

No nosso caso, estávamos em um grupo de 4 adultos, sendo 2 grávidas, e 2 adolescentes, então, poucas atrações no MK atendiam às nossa expectativas. Para completar: tínhamos visitado primeiro os parques da Universal, que tem muito mais atrativos para adultos e adolescentes. Então, o MK perdeu um pouco a graça, principalmente, para os adolescentes. Tenho certeza, que a experiência teria sido diferente se tivéssemos começado por ele.

2 – Evite os dias em que o parque está mais cheio

Se você tem disponibilidade de escolher a data da viagem, evite períodos de alta estação, como os meses de junho, julho e agosto. Mas se não dá para escolher o mês, mas é possível escolher o dia da semana, evite o sábado, domingo e a segunda-feira que são os dias mais cheios, além dos feriados americanos.

3- Prepare-se para passar o dia inteiro no parque

Entrada do estacionamento do MK antes das 9h
Entrada do estacionamento do MK antes das 9h

Para aproveitar bem o parque, venha preparado para chegar cedo e sair apenas no encerramento. O parque funciona das 9h às 22h. E chegar cedo significa estar lá até mesmo antes da abertura para dar tempo de estacionar, pegar o trenzinho ou barco até a entrada e passar pela segurança. Os shows de fogos e iluminação no Castelo da Cinderela acontecem no final do dia, por volta das 21h. Mas se quiser um bom lugar, é preciso ir mais cedo para lá.

O ideal é ir para o parque com sapatos confortáveis; levar casaco mesmo que seja um período mais quente do ano, normalmente esfria à noite; levar lanches e água, se não quiser ficar pagando os altos preços do parque.

Há opções de ingressos como o hopper e o park to park que oferecem a possibilidade de visitar mais de um parque por dia. Mas como o MK é muito grande e está sempre lotado, todo mundo recomenda deixar um dia exclusivo para o parque. Mas se você tem pouco tempo e quer visitar mais de um parque por dia, recomendo ir ao MK no fim do dia para assistir aos shows de encerramento.

Alugue um carro em Orlando

4-  Baixe o app Disney World

Quando fomos aos outros parques da Disney em Paris (2012) e Hong Kong (2013) ainda não tinha essa opção. E podemos ver quanta diferença faz o uso do app para aproveitar melhor os parques. O app “Disney World” pode ser usado para todos os parques da Disney e nele é possível comprar ingressos, ver os mapas dos parques, saber as atrações de cada parque, tempo de espera na fila em cada atração, pontos de encontros com personagens, restaurantes, banheiros, locais e horários de shows, eventos, também dá para visualizar e comprar as fotos oficiais tiradas nos parques, entre outras coisas.

Nos parques têm wifi gratuita, então, dá para acompanhar o app sempre atualizado. No dia que fomos, por exemplo, vários brinquedos quebraram e podíamos acompanhar isso pelo app.

Onde ficar em Orlando: Review de casa no Lucaya Village

5- Marque o Fast Pass + com antecedência

Splash Mountain, Magic Kingdom
Splash Mountain, Magic Kingdom

Outra utilidade do app é poder marcar o “Fast Pass +”. O fast pass está incluído no preço do ingresso e dá direito a você agendar o horário e as atrações que você deseja visitar e ter direito a entrar sem pegar filas ou, pelo menos, pela fila do fast pass. O ingresso dá direito a inicialmente 3 “fast pass”. Depois de utilizá-los ainda é possível receber outros fast pass, de acordo com a disponibilidade. O ideal é usá-los para as atrações mais disputadas que, em geral, são as montanhas russas. Porém, para conseguir isso é preciso comprar o ingresso com bastante antecedência, principalmente, no caso do MK.

Após comprar o ingresso é possível marcar o “fast pass” com 30 dias de antecedência. Para quem se hospeda em um Hotel Resort Disney é possível fazer a seleção em até 60 dias antes do check-in.

6- Chegue cedo para os desfiles e shows

Show de encerramento do MK
Show de encerramento do MK

Se você é como eu e adora os desfiles dos personagens e shows de encerramento é bom chegar com antecedência para pegar um local com uma boa visão e que dê até para sentar para aguardar enquanto começa. No MK, os principais shows acontecem em frente ao Castelo da Cinderela. Os horários estão disponíveis no app “Disney World” em “Entertainment”.

7 – Economize dinheiro com souvenirs e lanches

Já que estamos falando de aproveitamento do parque por que não falar também em aproveitamento financeiro, né? Uma dica para economizar no parque é levar o próprio lanche e água, o que é totalmente permitido. Além de economizar dinheiro, levar a própria comida também economiza tempo, pois dá para fazer um lanchinho, enquanto espera na fila das atrações.

E a outra dica é comprar os produtos Disney, como souvenirs, roupas e brinquedos dos personagens nos supermercados Walmart. São produtos oficiais, vendidos bem mais barato do que no próprio parque.

Leia também:

Miami e Orlando: Roteiro para 7 dias

Quer viajar para Orlando? Confira estas promoções que encontramos para você!

Miami e Orlando: Roteiro para 7 dias

Um roteiro clássico para quem viaja para Flórida, nos Estados Unidos, especialmente pela primeira vez, é combinar a viagem entre Miami e Orlando. As duas cidades, no entanto, estão a 380 km de distância, por isso, é preciso planejar bem a viagem para aproveitar um pouco das duas.

Dicas para organizar seu roteiro

*Nós fizemos um roteiro pelas duas cidades em 7 dias e foi bastante corrido, por isso, considero esse o tempo mínimo para querer incluí-las em uma única viagem. O ideal, na minha opinião, seria a partir de 10 dias. Caso tenha menos tempo, recomendo escolher uma ou outra, dependendo dos seus interesses na viagem.

*Se for possível escolha os voos para chegar em uma das cidades e partir da outra. Por exemplo, ida por Miami, volta por Orlando. Pois evitaria um novo deslocamento entre as cidades. Mas, como geralmente, sai mais caro, muita gente acaba não tendo essa opção. Nós fizemos a ida e a volta pelo aeroporto de Fort Lauderdale, que fica a uns 40 minutos de Miami.

Quer viajar para Fort Laudardale? Confira estas promoções que encontramos para você!

*Para esse roteiro também é quase imprescindível alugar um carro, pois além de facilitar no deslocamento nas duas cidades, é a forma mais prática de ir de uma cidade a outra. O ideal é retirar e entregar o carro no mesmo aeroporto. Também recomendo reservar com antecedência pela internet, pois como praticamente todo mundo do voo vindo do Brasil irá precisar de um carro, pode ser que falte carro ou os preços aumentem. Nós fizemos a reserva pela RentCars.com e conseguimos um bom preço.

*No nosso caso, que estávamos em 6 pessoas,  fomos fazer enxoval de bebê e voltamos com mais bagagem do que chegamos, ao invés de alugar dois carros logo no início da viagem, alugamos um carro no último dia para caber todas as malas. Mesmo tendo que pagar o deslocamento de retirar em uma cidade e entregar em outra, o custo compensou muito mais.

*Existe opções de estradas com e sem pedágio entre Miami e Orlando. Observe isso quando marcar a rota. Nós fomos pela estrada sem pedágio e voltamos pela com pedágio e foi muito mais rápido.

Continue lendo este post:

Miami

Como já expliquei em outros posts da nossa viagem, estávamos em um grupo de 6 pessoas, sendo 2 casais que iriam fazer enxoval de bebê (nós e um casal de primos de Fred) e 2 adolescentes (nossos sobrinhos) que queriam visitar os parques de Orlando. Então, priorizamos Orlando e passamos apenas 2 dias em Miami. Ficamos hospedados em um apartamento (Miami Vice Luxury Suites) que fica em Miami mesmo e não Miami Beach.

Dia 1 – Miami

Wynwood Walls, Miami
Wynwood Walls, Miami

Começamos o primeiro dia por Miami. Fomos primeiro a um centro comercial que fica em Midtown Miami, entre a Buena Vista Boulevard e a N Miami Avenue, e tem lojas da Target, Marshalls, Ross, Carter´s, Oshkosh B´gosh, Starbucks entre outras.

Endereço: 3401 N Miami Ave Ste 100, Miami

Depois seguimos para Wynwood, é um bairro descolado de Miami com várias galerias de artes  e grafites. A parte mais visitada é o Wynwood Walls, uma galeria de arte a céu aberto, com vários murais de grafites dos principais artistas de rua do mundo e lojas também. São cerca de 4 quarteirões.

Esta era uma zona portuária e em 2009 foi criado o Wynwood Walls com a proposta de revitalizar o bairro, que hoje tem mais de 70 galerias que formam a maior coleção de arte de rua do mundo.

Endereço: 2550 NW 2nd Ave, Miami

Entrada gratuita.

Como metade do grupo estava ansiosa para comprar Iphones, depois seguimos para a loja da Apple que fica na Lincoln Rd, em Miami Beach. Neste trecho da rua exclusivo para pedestres tem várias lojas, além de cafés e restaurantes. Entre as lojas que é possível encontrar na Lincoln Rd e transversais estão GAP, H&M, Urban Outfitters, Forever 21, Zara, Macy´s, Pottery Barn, American Appareal, Adidas, Victoria´s Secret, MAC, Banana Republic, BCBG MaxAzria, Guess, entre outras.  

Endereço: 1021 Lincoln Rd, Miami Beach

Depois das primeiras compras, fomos para a parte mais famosa de Miami Beach, Ocean Drive, Lummus Park e South Beach. Esses são os principais cartões postais da cidade.

Ocean Drive, Miami
Ocean Drive, Miami

Como fez um dia de sol forte, apesar da previsão de chuva, a praia estava lotada, mesmo sendo dia de semana.

A Ocean Drive é a avenida mais famosa de Miami Beach. De frente para o mar, nela se encontram vários restaurantes, bares, lojas, hotéis e baladas. O que chama atenção na Ocean Drive são os prédios de arquitetura dos anos 20 que fazem parte do chamado Art Deco Historic District.

South Beach, Miami Beach
South Beach, Miami Beach

O bairro tem um total de 800 prédios, construídos entre os anos de 1923 e 1943, e que hoje funcionam como estabelecimentos comerciais e também apartamentos.

Não chegamos a voltar na Ocean Drive à noite, mas recomendo para quem tiver mais tempo para ver a avenida iluminada e aproveitar as opções para curtir a noite.

Do outro lado da rua, fica o Lummus Park, com palmeiras, gramados, áreas de lazer, quadras, parquinhos, academia ao ar livre e um calçadão (South Beach Boardwalk).

Na South Beach tem aquelas famosas casinhas coloridas de salva-vidas. Aproveitamos o fim de tarde para tomar um banho de mar, que estava com uma temperatura bem agradável. A água não estava tão turquesa quanto eu imaginava e nem tão calma. Mas ainda assim, é uma praia bonita.

Como nas praias da Flórida são bem diferentes das brasileiras e, geralmente, não tem cadeiras, barracas, quiosques, nada assim, lembre-se de levar sua própria canga, água e lanche, se quiser.  

Por trás da Ocean Drive fica ainda a Collins Avenue, que concentra entre as avenidas 6th e 9th a maior parte das lojas, como Zara, Tommy Hilfiger, MAC Cosmectics, GAP, Guess, entre outras.

À noite, fomos jantar no Versailles Restaurant, um restaurante de culinária cubana que fica no bairro de Little Havana. Como o nome sugere, este é um bairro de cubanos, com painéis de grafites coloridos, restaurantes de comidas cubanas, lojas de charutos. Gostaria de ter visitado durante o dia, mas infelizmente não tivemos tempo e não pudemos ver muita coisa do bairro.

Versailles Restaurante, em Little Havana, Miami
Versailles Restaurante, em Little Havana, Miami

O Versailles é um restaurante grande e estava lotado. Me pareceu ser frequentado por turistas e também locais. As comidas são bem servidas e os preços acessíveis.

Endereço: 3555 SW 8th St, Miami

Reserve sua hospedagem em Miami

Dia 2 – Miami e Orlando

Em nosso segundo dia em Miami, aproveitamos para fazer umas comprinhas antes de seguirmos para Orlando.

Primeiro fomos no Dolphin Mall, que fica um pouco distante do centro de Miami, uns 20 minutos. Mas tem outlets de várias marcas como Banana Republic, Nike, Guess, Gap, Polo Ralph Lauren, Quicksilver, Levi’s, Carter´s. Para nós, que estávamos fazendo enxoval, lá encontramos a melhor loja da Carter´s e da OshKosh B´gosh.

Veja a lista completa das lojas: https://www.shopdolphinmall.com/stores/directory

O shopping também tem estacionamento gratuito e oferece o “Passport to Shopping”, um folheto cheio de descontos e ofertas. É necessário apresentar a carteira de motorista ou o passaporte do viajante.

O  “Passport to Shopping” está disponível para os turistas no estande de informações (Information Booth) que fica na Ramblas, pela entrada 3, na frente da Starbucks.

Endereço: 11401 NW 12th St, Miami

Horários: segunda, das 12h às 00h; terça, das 10h às 22h, quarta a sábado, das 10h às 21h30; domingo, das 11h às 18h.

Depois do Dolphin, fomos ao Sawgrass Mills, que fica fora de Miami (uns 40 minutos), já no caminho para Orlando. É o maior outlet da Flórida e tem lojas da Adidas, Aéropostale, Banana Republic, BCBG, Forever 21, GAP, H&M, Hollister, Kate Spade, Levi´s, Marshalls, Michael Kors Outlet, Nike Factory Store, Lacoste Outlet, Oshkosh B’Gosh Outlet, TJ Maxx, ToysRus Outlet, Vans Outlet.

O Sawgrass é imenso e pode levar um dia todo de compras. Mas confesso que por ser grande demais, me senti um pouco perdida lá e preferi o Dolphin Mall.

Veja a lista de lojas do Sawgrass: http://www.simon.com/mall/sawgrass-mills/stores

Horário: de segunda a sábado, das 10h às 21h30; domingo, das 11h às 20h.

Miami tem outras várias opções de shoppings e outlets que poderíamos ter incluído no nosso roteiro, mas estávamos com o tempo muito curto e, como falei, priorizamos Orlando.

A viagem entre Miami e Orlando dura em torno de 3h30 ou pouco mais. Recomendo ter comida e água no carro, pois são poucas as opções de paradas para comer no caminho, dependendo da rota escolhida.

Chegamos em Orlando no início da noite e ainda tivemos tempo de ir no Walmart Supercenter, que ficava próximo a nossa casa no Lucaya Village (escrevi um review aqui). Em um Walmart Supercenter é possível encontrar de tudo. Tudo mesmo. Além de comprar comida para o café da manhã e lanche, lá compramos brinquedos com ótimos preços, maquiagem, suplemento e até me enzima para intolerância à lactose, entre muitas coisas. Uma dica: no Walmart você encontra produtos da Disney originais por preços bem mais baixos do que são vendidos nos parques.

Continue lendo este post:

Dia 3 – Orlando

Orlando Internacional Premium Outlet
Orlando Internacional Premium Outlets

Em nosso primeiro dia de fato em Orlando, nos dividimos e parte do grupo, os homens e os adolescentes foram para os Parques da Universal (Studios e Islands), enquanto, as grávidas faziam compras do enxoval. Depois iremos publicar posts sobre os parques.

Universal Islands
Universal Islands

Focamos as compras no Orlando Internacional Premium Outlets que fica na International Drive. As lojas que tem nesse outlet são: Adidas, Banana Republic, BCBG, Calvin Klein, Carter´s, Coach Outlet, Disney Outlet, Forever 21, GAP Factory, GAP Kids, Janie and Jack (loja de roupas de crianças), Kate Spade, Levi´s, OshKosh B´Gosh, Nike, Reebook Outlet, The Children´s Place Outlet , ToysRus Outlet, Vans Outlet, entre outras.

Veja a lista completa das lojas: http://www.premiumoutlets.com/outlet/orlando-international/stores  

Endereço: 4951 International Dr, Orlando

Horário: todos os dias, das 10h às 23h

Levamos um dia inteiro neste Outlet que tem bastante opções. Como já falei em outro post, se for comprar muito, lembre-se de levar mala de rodinhas para ir carregando as sacolas. Também recomendo ir com sapatos confortáveis. Para mim, um dia de compras é ainda mais cansativo do que um dia de parques.

Dia 4 – Orlando

Disney Magic Kingdom
Show de fogos no Disney Magic Kingdom

No quarto dia de viagem, fomos o grupo completo para o Disney´s Magic Kingdom, o mais icônico dos parques da Disney e o mais infantil deles também. Por isso, outra dica: se for viajar com adolescentes, comece pelo MK. Depois dos parques da Universal, o MK não tinha muita graça para eles. Mas isso é assunto para outro post que escreveremos em breve.

Para as grávidas, o MK também não tem muita opção, mas dá para passar o tempo entre as paradas, encontro com personagens e show de encerramento.

Uma possibilidade também é comprar o ticket hopper e fazer mais de um parque por dia. No dia que fomos ao MK, por exemplo, vários brinquedos quebraram, entre eles, as montanhas russas. Então, poderíamos ter ido a outro parque se estivéssemos o hopper.

Outra dica preciosa é baixar o app Disney World para marcar os fast pass, ver os horários dos shows, tempo de espera dos brinquedos, mapas dos parques etc. Também explicarei melhor sobre isto nos posts sobre os parques.

Dia 5 – Orlando

Buy Buy Baby
Buy Buy Baby

Neste dia, fomos todos às compras. Começamos pelas lojas especializadas em artigos de bebês:  Buy Buy Baby e Macro Baby. Já publiquei um post com as dicas específicas para quem vai fazer o enxoval do bebê nos Estados Unidos aqui:

O que você precisa saber antes de viajar para fazer o enxoval de bebê nos Estados Unidos

Endereço: 3206 E Colonial Dr, Orlando

Depois fomos ao The Mall at Millenia, um shopping fechado (os Premium Outlets são abertos), muito bonito, e com várias lojas interessantes. Lá tem lojas da H&M, Sephora, Coach, Macy´s, Apple, Urban Outfitters, Pottery Barn, entre outras. Tem também o famoso restaurante The Cheesecake Factory, que não tivemos tempo de comer, pois estava sempre lotado.

The Mall at Millenia
The Mall at Millenia


Veja a lista das lojas: http://pt.mallatmillenia.com/directory

Endereço: 4200 Conroy Rd, Orlando

Horário: segunda a sábado, das 10h às 21h. Domingos, das 11h às 19h.

Ainda fechamos o dia retornando ao  Orlando Internacional Premium Outlets da Ocean Drive, já que parte do grupo não tinha ido lá. Mas poderíamos ter ido para o Premium Outlet da Vineland Avenue, que ficava mais próximo à nossa casa.

Dia  6 – Orlando

Disney Hollywood Studios
Disney´s Hollywood Studios

Nos dividimos novamente e fomos com os nossos sobrinhos para o parque da Disney´s Hollywood Studios. Enquanto o outro casal deu continuidade ao enxoval.

Como expliquei no post sobre o enxoval, a gente tinha adiantado muitas compras pela internet, por isso, deu para aproveitar um pouco dos parques. Mas quem for comprar tudo lá, irá precisar de mais uns dias. Recomendo, no mínimo, de 4 a 5 para as compras do enxoval.

Consegui aproveitar o Hollywood melhor do que o Magic Kingdom, pois tinha várias opções de shows para assistir. O que fiz, enquanto Fred e nossos sobrinhos aproveitavam os brinquedos que eu não podia ir.

Depois também irei escrever um post exclusivo sobre o Hollywood.

Dia 7 – Orlando

O último dia de viagem foi para organizar as malas e voltar para o aeroporto de Fort Laudardale. Como nosso voo era à noite, achei que teríamos tempo de fazer um passeio em Fort pela Las Olas Boulevard e pela praia. Mas arrumar malas de enxoval foi mais difícil do que eu pensava! haha Além disso, por ser voo internacional, tínhamos que chegar com 2h de antecedência e ainda, devolver o carro.

Portanto, não façam muita programação para o último dia para não correrem o risco de perder o voo.

Bem, este foi o nosso roteiro em que tentamos conciliar, em um curto período, vários propósitos de viagem e perfis de viajante. Confesso que como não estamos acostumados a viajar para comprar e ainda mais já estava com quase 7 meses de gestação, achei o ritmo um pouco cansativo. Por isso, recomendo a quem puder, adicionar mais uns dias de viagem ou escolher uma das duas cidades para visitar.

Reserve sua hospedagem em Orlando

Ingressos para parques e passeios em Orlando

Quer viajar para Orlando? Confira estas promoções que encontramos para você!
Quer viajar para Miami? Confira estas promoções que encontramos para você!

Morar Fora: Flórida, Estados Unidos, por Lidiane Lins

Os Estados Unidos são o país com o maior número de imigrantes brasileiros. Não existem dados precisos, mas o Ministério das Relações Exteriores (MRE) estima que existam em torno de 1,3 milhão de brasileiros residentes no país. Uma das maiores comunidades brasileiras nos EUA está no estado da Flórida.

No “Morar Fora” desta semana, publico a entrevista com a jornalista Lidiane Lins que há dois anos vive em Boca Raton, na Flórida. Ela nos contou como foi morar no país, a diferença da Flórida pelo olhar de turista e o de residente, como conseguiu trabalho e o tão desejado Green Card, e dá um conselho para quem quer morar na Flórida.

Continuar lendo Morar Fora: Flórida, Estados Unidos, por Lidiane Lins


Cuba pela primeira vez: 11 coisas que você precisa saber antes de viajar

Cuba é um país paradoxal. Ao mesmo tempo que parece que a ilha parou no tempo, lá pelos anos 1950, está em constante mudança, especialmente nos últimos meses, depois da reaproximação com os Estados Unidos. Antes de viajar para a ilha, em setembro, fiz muita pesquisa e perguntas a amigos que tinha visitado o país pouco tempo antes e, quando chegamos lá, muitas coisas já estavam diferentes do que eles tinham me dito. Então, para facilitar a viagem a Cuba pela primeira vez, fiz uma lista de coisas que você precisa saber antes de ir.

Continuar lendo Cuba pela primeira vez: 11 coisas que você precisa saber antes de viajar


Nossa retrospectiva de viagens 2015 em 15 fotos: Nossa retrospectiva 2015 em 15 fotos

Na nossa retrospectiva de 2013, o ano que fizemos a Volta ao Mundo, escrevi: “2013 foi o melhor ano das nossas vidas até agora, mas que venham outros melhores anos!”. 2015 foi um desses “outros melhores anos”. Na verdade, foi quase uma continuação daquele incrível 2013. Se eu tivesse que escolher uma palavra para definir o ano 2015, seria intenso.

Este foi o ano da vida nômade, da renovação de votos matrimoniais, do Dois na América, lançamento do nosso primeiro guia (Guia de Mochilão pela Tailândia), em que finalmente consegui concluir um projeto que comecei em 2013 (em breve divulgarei mais detalhes) e que conheci pessoas especiais. Resumindo em  números, estivemos em 11 países, sendo dez novos. As cidades nem parei para contar.

Ao encerrar 2013, eu sabia exatamente o que não queria para minha vida. Saber para o que dizer “não” era o primeiro passo para a mudança que vivi nos últimos anos. Em 2015, encerro sabendo a que quero dizer “sim”. Foi, acima de tudo, um ano dedicado ao auto conhecimento.

Sem dúvida, também será um ano para lembrar em  2076, quando eu estiver aos 90 anos. Agora, começo os preparativos para os meus 30, que completo daqui a menos de 1 mês.

E para 2015 o que espero é continuar a viver com intensidade e, ao mesmo tempo, com serenidade. Mais ou menos como disse o Sri Sri Ravi Shankar (Arte de Viver):  “O ser humano precisa ter mais paciência. Tirar um tempo para meditar e aproveitar a vida intensamente. Paciência na mente e dinamismo na ação é a fórmula correta”.

Muito obrigada por tudo, 2015!

2016, te espero cheia de planos para você. <3

Agora vamos às fotos e aos fatos de 2015:

1- Começamos 2015 com a vida nômade em Pipa, que tem algumas das praias mais bonitas do Brasil, e onde moramos por quase 3 meses. Como deu muita sorte começar 2015 em Pipa, também vamos encerrar o ano lá, onde iremos passar o Réveillon.

Vida nômade Pipa
Vida nômade Pipa

2- Ainda em janeiro, viajamos para Fernando de Noronha para comemorar meu aniversário e nossas bodas de 5 anos de casamento. Aproveitamos para renovar os votos com o mesmo vestido que casei.

Renovação de bodas de casamento
Renovação de bodas de casamento

3- Em março, começamos a primeira parte do Dois na América. O primeiro país foi a Bolívia. O Salar de Uyuni foi um dos lugares mais incríveis por onde já estivemos.

Salar de Uyuni
Salar de Uyuni

4- Nessa viagem também fomos ao deserto do Atacama, no Chile.

Deserto do Atacama
Deserto do Atacama

5- Encerramos a primeira parte do Dois na América no Peru. Um dos nossos desafios nessa viagem foi fazer a Trilha Salkantay, de cinco dias, de Cusco a Machu Picchu.

Machu Picchu
Machu Picchu

6- Começamos a segunda parte do Dois na América (fizemos em duas partes, pois voltamos ao Brasil para o casamento do meu irmão) na Colômbia, onde ficamos por um mês. Um dos lugares mais bonitos que conhecemos no país foi Playa Blanca.

Playa Blanca, Colômbia
Playa Blanca, Colômbia

7- Fomos da América do Sul à Central de barco, no passeio pelas ilhas caribenhas de San Blás, no Panamá.

San Blás, Panamá
San Blás, Panamá

8- Continuamos a viagem pela América Central por terra. Seguindo do Panamá para a Costa Rica.

Parque Manuel Antonio, Costa Rica
Parque Manuel Antonio, Costa Rica

9- Depois, Nicarágua, onde fizemos Volcano Boarding, que é mais ou menos como um esqui bunda, mas em um vulcão ativo, descendo 450 metros em menos de 2 minutos!!

Volcano Boarding na Nicarágua
Volcano Boarding na Nicarágua

10- O último país da América Central foi a Guatemala, onde vivemos dias tensos por causa dos protestos para derrubar o presidente. De dez dias no país, cinco foram de deslocamento, devido as horas paradas nas estradas fechadas pelos manifestantes, que conseguiram, no final, a prisão da vice presidente e do presidente.

Apesar dos transtornos que enfrentamos, a Guatemala é um país incrível.

Semuc Champey, Guatemala
Semuc Champey, Guatemala

11 e 12- Eu geralmente não tomo partido dos países que visitamos, mas não posso negar que o México foi o meu país preferido em 2015. Amei tudo no país, que visitamos em dois momentos: Chiapas, Oaxaca, Cidade do México e Cancún e depois de irmos e voltarmos a Cuba, passamos uns dias na Riviera Maya e em Isla Mujeres.

 Pirâmides de Teotihuacán, próximo a Cidade do México
Pirâmides de Teotihuacán, próximo a Cidade do México
Playa del Carmen, Riviera Maya
Playa del Carmen, Riviera Maya

13- Como disse, entre uma parte e outra da viagem ao México, fomos a Cuba, onde passamos dez dias e visitamos várias cidades. 

Em Havana, Cuba
Em Havana, Cuba

14- Depois de Cuba e México, fomos aos Estados Unidos, país que já havíamos conhecido em 2013, durante a Volta ao Mundo, quando viajamos pela costa Oeste. Desta vez, fomos a Fort Lauderdale, Washington DC e Nova York.

Times Square, Nova York
Times Square, Nova York

15- No final do Dois na América, passei um dia em São Paulo, onde aproveitei para visitar as exposições de Frida Kahlo e a de Câmara Cascudo, que infelizmente, foi destruída recentemente no incêndio do Museu da Língua Portuguesa. 🙁

Exposição Frida Kahlo, em São Paulo
Exposição Frida Kahlo, em São Paulo

Alguns desses países ainda não ganharam posts no blog. E terminar de escrever sobre o Dois na América é a primeira das metas para 2016. 🙂


Roteiro de 2 ou 3 dias em Washington DC só com atrações gratuitas e compras baratinhas

Washington DC está entre as cidades mais caras dos Estados Unidos. E só me dei conta disso quando fui reservar hospedagem. Por sorte, a capital americana também oferece inúmeras atrações gratuitas, muito interessantes. Ficamos três dias na cidade e fizemos um roteiro só com atrações grátis. Simplesmente amei DC, que se tornou uma das minhas cidades favoritas nos EUA. Divido com vocês o nosso roteiro, que nos salvou de estourar completamente nosso apertado orçamento, durante o Dois na América.

Reserve sua hospedagem em Washignton DC

Continue lendo este post:

Dia 1

Começamos o nosso dia no Eastern Market, um mercado público. Como era domingo, estava tendo uma feirinha em frente de roupas, artesanatos, presentes. O mercado funciona de terça a domingo. E sempre comíamos lá, pois além de deliciosas, as comidas são baratinhas. O prédio centenário também tem uma fachada muito bonita.

Eastern Market
Eastern Market

Do Eastern Market começamos o nosso roteiro do primeiro dia, que fizemos todo caminhando. Seguimos para a Biblioteca do Congresso e o Capitólio. Não fizemos o tour gratuito do Capitólio pois é necessário fazer reserva com antecedência e não tinha mais vaga para os próximos dias.

Biblioteca do Congresso
Biblioteca do Congresso

Capitólio
Capitólio

Seguimos caminhando em direção ao National Mall. Nos jardins do Capitólio estava acontecendo um evento gigantesco, o Justice or Else, que comemorava o 20º aniversário da Million Man March, movimento para protestar contra a desigualdade racial presente no país. Dizem que em Washington sempre tem algum grande evento acontecendo.

Justice or Else no National Mall
Justice or Else no National Mall

Washington Monument
Washington Monument

Andando pelo National Mall, chegamos até o Washington Monument, obelisco de 169,7 metros de altura, construído em homenagem a George Washington. Essa é a estrutura mais alta de DC. Também é possível fazer um tour gratuito neste monumento, mas também é preciso reservar com antecedência, pois esgotam rápido.

No caminho entre o Washington Monument e o Lincoln Memorial ficam o Memorial Nacional da Segunda Guerra Mundial; o Constitution Gardens; a piscina do Lincoln Memorial; o Memorial dos Veteranos da Guerra do Vietnã e da Coréia.

Piscina do Lincoln Memorial
Piscina do Lincoln Memorial

O Lincoln Memorial é uma homenagem ao ex-presidente Abraham Lincoln e foi concluído em 1922. Está aberto para visitação pública 24 horas por dia. Foi nas escadarias do memorial que Martin Luther King Jr fez seu memorável discurso I Have a Dream, ouvido por mais de 250 mil pessoas.

Lincoln Memorial
Lincoln Memorial

O Memorial de Martin Luther King Jr foi o próximo ponto que visitamos, que fica próximo ao Lincoln Memorial, ao lado direito. Além de uma enorme estátua de Luther King Jr, o memorial tem murais com trechos de alguns dos seus famosos discursos.

Memorial de Martin Luther King Jr
Memorial de Martin Luther King Jr

Do lado oposto ao memorial de Luther King Jr fica o Albert Einstein Memorial, em frente a Academia Nacional de Ciências. O Prêmio Nobel de Física era alemão de nascimento, mas naturalizou-se americano em 1940.

Albert Einstein Memorial
Albert Einstein Memorial

Encerramos o nosso primeiro dia na Casa Branca. Fomos nos dois lados da fachada, mas o da Pennsylvania Avenue é mais interessante.

Casa Branca, Pennsylvania Avenue
Casa Branca, Pennsylvania Avenue

Para fazer todo esse roteiro caminhando, leva um dia todo. E pelo caminho, tem vários lugares para parar e descansar e também carrinhos de comida rápida. Se preferir, pode dividir esse roteiro em dois dias.

Casa Branca, o outro lado
Casa Branca, o outro lado

National Mall
National Mall

Continue lendo este post:

Museu Nacional deo Ar e Espaço
Museu Nacional do Ar e Espaço

Dedicamos o segundo dia para visitar os museus, que também, muitos são gratuitos. O primeiro que visitamos foi o Smithsonian National Air and Space Museum, um museu incrível que possui a maior e mais significativa coleção do mundo de aviação e artefatos espaciais. É o museu mais visitado dos EUA. E é ainda mais sensacional para quem viaja com crianças.

Aeronaves do Museu do Ar e Espaço
Aeronaves do Museu do Ar e Espaço

Veja os dias e horários de visita aqui.

O segundo museu que visitamos foi  o Smithsonian National Museum of Natural History, o museu de História Natural também é grandioso. O ideal é planejar a visita para escolher o que irá priorizar, já que dificilmente você conseguirá ver tudo em um único dia.

Museu de História Natural
Museu de História Natural

Veja os dias e horários de visita e coleções aqui.

Depois, fomos ao Pentágono e ao memorial do 11 de setembro do Pentágono. Na verdade, esse foi um dos lugares mais sem graça de DC que “visitamos”, pois só vimos de fora, que não dá para ver o formato muito bem, não é permitido tirar fotos. E o memorial do 11 de setembro é bem mais simples que o de Nova York.

Para quem quer aproveitar a visita a Washington para fazer compras, já que a capital tem impostos menores do que a Flórida, próximo ao Pentágono fica o Pentagon Centre, onde é possível encontrar lojas como Best Buy, Marshalls, Nordstrom, entre outras.

Nossa ideia era ir no final da tarde ao Netherlands Carrillon para ter uma boa panorâmica de DC. Mas não tivemos tempo suficiente, pois ficamos muitas horas nos museus.

Continue lendo este post:

Dia 3

Em nosso terceiro dia, começamos novamente no Eastern Market, só porque as comidinhas lá eram deliciosas e super baratinhas, e depois fomos para a Chinatown. O arco da Chinatown fica na H St NW com a 7th St NW. Próximo daí ficam vários restaurantes com preços mais acessíveis e lojas populares também, como Zara, Forever 21, H&M, T. J. Maxx, como o tempo estava esfriando nos EUA e na nossa mochila só tínhamos roupas de verão (estávamos em nosso quarto mês de viagem), fizemos algumas comprinhas nessas lojas.

Chinatown
Chinatown

Para a tarde, nossos planos eram visitar o bairro de Georgetown, bairro histórico de DC, que dizem ser muito charmoso, com barzinhos e restaurantes. Como nós somos nômades digitais e nesse dia tínhamos muito trabalho acumulado, finalmente o bairro ficou de fora. Mas com base nas leituras que fiz antes de organizar nosso roteiro, recomendo que incluam o bairro, inclusive o Georgetown Waterfront Park, e depois contem aqui para gente o que acharam.

DC foi uma daquelas cidades em que pensei “moraria aqui”. Como fomos no outono, o clima estava bastante agradável, os parques bonitos. As pessoas lá eram bastante educadas e estilosas. O transporte funciona muito bem. Apesar da hospedagem ser bem cara, economizamos com as atrações gratuitas, comidas e compras baratinhas.

Para definir o nosso roteiro na cidade, li muitos posts da Cláudia Beatriz, do Aprendiz de Viajante, que é moradora da cidade há vários anos. Ela tem praticamente uma enciclopédia sobre Washington DC no blog dela. Leiam aqui.

Quer viajar para Washington DC? Confira estas promoções que encontramos para você!

Reserve sua hospedagem em Washington DC

Viaje tranquilo:

Seguro viagem america do norte 728x90

Compre na livraria do Compartilhe Viagens:

Guia de Compras dos Estados Unidos


Nova York pela primeira vez: roteiro para 4 a 7 dias

Há tantas opções em Nova York que o difícil não é saber o que há para fazer na cidade, mas eleger o que fazer de acordo com os dias que você tem de viagem. Para uma primeira visita, o mínimo de dias para conhecer as principais atrações seria 4, mas o ideal é ter pelo menos uma semana. Compartilho com vocês nosso roteiro de 7 dias na cidade, que fizemos com bastante calma, portanto, pode ser feito em menos tempo também. Dependendo do viajante, o mesmo roteiro pode ser feito entre 4 a 7 dias. Neste roteiro, também tem alguns lugares que só conhecemos porque estávamos hospedados na casa de um nova iorquino e ele nos apresentou.

Continue lendo este post:

Dia 1

Central Park

Começamos a nossa visita em Nova York pelo Central Park. O parque tem mais de 150 anos e 341 hectares. É considerado um oásis em meio a selva de pedra que é NY.  Por ser imenso, o ideal é planejar a visita ao parque antes para não perder nenhum detalhe. Neste site, você pode imprimir ou salvar um mapa do parque e escolher os lugares que deseja visitar.

Central Park
Central Park

O ideal é reservar bastante tempo para passear no parque para fazer piquenique, assistir aos artistas de rua, caminhar. No Central Park também é onde é oferecido o famoso passeio de carruagem. Do final de outubro ao começo de abril,  no Central Park está aberta a pista de patinação Wollman Rink.

Dentro do parque ou no seu entorno também funcionam vários museus. Entre os mais importantes estão o The Metropolitan Museum of Art e o Solomon R. Guggenheim Museum. Nós  visitamos os museus em outro dia, mas você pode reservar um dia para o parque e os museus.

Com o New York Pass, você tem entrada gratuita em  mais de 80 atrações em Nova York + Hop on Hop off bus

5th Avenue

Em uma das laterais do Central Park está a avenida mais famosa de Nova York, símbolo da riqueza da cidade. Nesta rua estão algumas das principais lojas de NY e também alguns prédios mais emblemáticos, como o próprio The Metropolitan Museum of Art, o Empire State Building, a Biblioteca Pública de Nova Iorque, o Rockefeller Center e a Catedral de St. Patrick.

Love e Hope

Caminhamos pela 5a Avenida e depois seguimos para a 6a Avenida com a 55, onde está a escultura LOVE. Mais a frente na 6a com a 53 fica a escultura HOPE. Ambas esculturas são do artista Robert Indiana.

Escultura Love
Escultura Love

Próximo as esculturas, fica o Museu de Arte Moderna (Moma), na 54. Mas visitamos em outro dia.

Times Square

A Times Square fica no centro de algumas das avenidas mais importantes de Nova York é um dos locais de maior movimentação da cidade. Está sempre lotada de turistas, mas é um dos locais imperdíveis e pelo menos por um dia merece ser visitado, apesar de que muitas visitantes passam por lá várias vezes. O ideal é chegar no fim da tarde e observar o acender das luzes. Nos arredores, da Times Square, você irá encontrar também grandes lojas, especialmente de marcas mais populares.

Times Square
Times Square

Uma loja que vale a visita para quem viaja com crianças é a Toy “R” Us, uma loja enorme de brinquedos, que dentro tem até roda gigante.

Musical

Bem no centro da Times Square existe uma arquibancada e embaixo dela, fica a bilheteria do TKTS, que vende ingressos para musicais com até 50%. Os ingressos vendidos aí são para o mesmo dia. Por isso, o ideal é chegar na Times Square no fim de tarde, comprar o ingresso e dar uma volta nos arredores até o horário do espetáculo. Os teatros onde são apresentados os musicais ficam todos próximos da Times Square.

Para assistir a musicais mais famosos, como O Rei Leão, é preciso comprar o ingresso com antecedência, pois as sessões lotam sempre.

Compre ingressos para Brodway, sem filas, e parcele em até 6 vezes

Continue lendo este post:

Dia 2

Chelsea Market

Começamos nosso segundo dia no Chelsea Market, onde você pode tomar café da manhã, lanchar ou almoçar antes de começar a bater perna por Nova York. No mercado tem restaurantes, padarias, cafés, docerias. Uma opção é comprar algo no mercado e ir comer no The High Line Park.

The High Line Park

Depois do Chelsea Market, subimos para o The High Line Park. Sim, subimos porque o parque é uma espécie de jardim suspenso, construído em uma histórica linha de trem de carga sobre as rua do West Side de Manhattan. O parque começa na Gansevoort Street e segue até 30th street. Do alto do parque tem vista para o rio Hudson e no caminho também estão vários painéis de grafites.

Vista do High Line Park
Vista do High Line Park

Macy´s

A uma curta caminhada da saída do High Line Park da 30th street está a maior unidade da Macy´s, famosa loja de departamentos. A loja da Herald Square tem 205 mil metros quadrados e onze andares e é conhecida como a maior loja  de departamentos do mundo.

Empire State Building

Muito próximo da Macy´s, na 34th com a 5th está um dos prédios mais icônicos de Nova York, o Empire State Building, mais conhecido como o prédio do filme King Kong. O prédio tem 102 andares e foi, por muitos anos, um dos mais altos do mundo.

Empire State Bulding
Empire State Building

No Empire State fica um observatório para turistas, um dos lugares mais famosos para ver Nova York do alto. Nós não visitamos este, preferimos o Top of the Rock. Mas quem quiser visitá-lo, pode saber os detalhes sobre a visita aqui.

O ingresso com desconto para o Observatório Empire State Bulding pode ser comprado aqui no blog, neste link.
Biblioteca Pública de Nova York e Bryant Park

Seguindo pela 5a Avenida, a algumas quadras do Empire State Bulding, sentido norte está a Biblioteca Pública de Nova York, uma das mais importantes do Mundo. O prédio é belíssimo por fora e por dentro e a visita é gratuita. Além do arquivo permanente da biblioteca, que inclui obras importantes como uma Bíblia de Gutenberg, também são realizadas exibições temporárias.

A Biblioteca é aberta de terça a sábado, das 10h às 18h. Mas chegue antes das 17h para fazer a visita.

Por trás da Biblioteca está o Bryant Park, que é bonito parque com alguns cafés em volta. Do final de outubro a março, também funciona lá uma das pistas de patinação mais populares de NY, pois tem entrada gratuita.

Ingressos para as principais atrações e passeios em Nova York

Continue lendo este post:

Dia 3

Wall Street

A famosa Wall Strett é o mais importante centro comercial e financeiro do mundo.Um dos prédios mais emblemáticos dessa rua é a Bolsa de Valores de Nova York.

Trinity Church

Na Wall Street com a Broadway fica a bela Trinity Church, igreja anglicana. O primeiro prédio da Trinity Church começou a ser construído 1696, mas o prédio atual é a terceira versão e foi consagrada em 1846.

Charging Bull

Seguindo pela Broadway no sentido Sul, você irá encontrar um dos símbolos mais famosos do distrito financeiro de Nova York, o Charging Bull, uma escultura em bronze de um touro, do artista Arturo Di Modica. O touro está sempre rodeado por turistas, especialmente na parte de trás, pois reza a lenda que pegar no saco, desculpe o palavreado, do touro terá sorte e dinheiro.

Ferry para Staten Island e Estátua da Liberdade

Esse foi um dos passeios que mais curtimos fazer em Nova York e o melhor é que é gratuito. O terminal do ferry fica ao lado do Battery Park, no extremo sul de Manhattan. É só chegar e esperar a próxima balsa. O melhor lugar para ficar na barca é na parte de trás ou lateral, do lado direito, na ida, e esquerdo, na volta. O trajeto dura 30 minutos e é possível ter uma vista incrível de Manhattan e também da Estátua da Liberdade. Um bom horário para fazer esse passeio é no final da tarde para assistir ao pôr do sol do Battery Park.

Ferry para Staten Island
Ferry para Staten Island

Vista do Ferry para Staten Island
Vista do Ferry para Staten Island

Battery Park

Este parque, como eu disse, fica ao lado do do Terminal do Ferry para Staten Island e tem uma bela vista para o Rio Hudson também dá para ver, mesmo pequena, a Estátua da Liberdade. É perfeito para assistir ao pôr do sol. Para quem viaja com crianças não pode deixar de ir no carrossel, que é um dos mais lindos que já vi, todo futurista, com tema fundo do mar.

Pôr do Sol do Battery Park
Pôr do Sol do Battery Park

Continue lendo este post:

Dia 4

Ponte do Brooklyn

O nosso dia 4 em Nova York era um sábado, o melhor dia para visitar o Brooklyn, pois é nesse dia que acontece a feira de Smorgasburg. Começamos o dia, cruzando a Ponte do Brooklyn a pé. O melhor sentido para fazer esse trajeto é Manhattan – Brooklyn. Se o dia estiver frio, vá bastante agasalhado, pois o vento é muito forte. Da ponte é possível ter belas vistas de Manhattan, Brooklyn, rio Hudson e também dá para ver a Estátua da Liberdade.

Ponte do Brooklyn
Ponte do Brooklyn

Williamsburg e Smorgasburg

Williamsburg é um bairro do distrito do Brooklyn, um dos mais charmosos, com muitos restaurantes, lojas descoladas, brechós e mercados de pulga. É em Williamsburg, à beira do rio Hudson, que acontece aos sábados o mercado Smorgasburg, com várias barraquinhas de comida.

Smorgasburg
Smorgasburg

Smorgasburg
Smorgasburg

Próximo do local onde acontece o Smorgasburg tem um mercado de pulgas Artists & Fleas, onde são vendidas roupas, acessórios, peças de arte e muitas outras coisas lindas.

Soho

Outro bairro charmoso e descolado de Nova York é o Soho para onde fomos depois de Williamsburg. O Soho é famoso por ter galerias de artes, muitas lojas e restaurantes. Uma dica de onde comer no Soho é o 100 Montaditos, que faz parte de uma rede espanhola, especializada em sanduíches e tapas. Lá dá para comer e beber por preços muito baratos para os padrões de nova iorquinos.

Continue lendo este post:

Dia 5

O nosso quinto dia em NY era um domingo, então, aproveitamos para sair com o nosso anfitrião, o nova iorquino Michael, que nos levou a alguns lugares que poucos turistas conhecem na cidade.

Fort Tryon Park

Este é um dos parque mais bonitos e tranquilos de Nova York. Fica em Hudson Heights, Norte de Manhattan. O parque tem uma bonita vista para o rio Hudson e também muitas flores e animais.

Vista do Fort Tryon Park
Vista do Fort Tryon Park

Fort Tryon Park
Fort Tryon Park

The Cloisters

No Fort Tryon Park fica o The Cloisters,  que faz parte do  Metropolitan Museum of Art.  O Cloisters tem uma coleção de aproximadamente cinco mil obras medievais, que vão do século XII ao XV. São especialmente peças religiosas trazidas de vários países da Europa.É definitivamente um lugar completamente diferente em Nova York.

The Cloisters
The Cloisters

Lembrando que, assim como outros museus de NY, o preço sugerido para a visita é de 25 dólares por pessoa, mas você paga quanto quiser. Nós pagamos 20 dólares pelos dois, mas nosso amigo brigou com a gente e disse que 10 dólares para nós era mais que suficiente!haha

The Little Red Lighthouse

Esse é um dos segredos de NY que só conhecemos graças ao nosso amigo. Um pequeno farol vermelho, que fica bem abaixo da ponte George Washington, dentro da área do Fort Washington Park. O nome oficial do farol é Jeffrey´s Hook e foi construído em 1889. O parque é muito bonito, com mesinhas de piquenique,  parquinho para crianças e áreas para prática de esporte.

The Little Red Lighthouse
The Little Red Lighthouse

Moris-Jummel Mansion Museum

A Moris-Jummel é uma mansão  construído em 1765 como uma casa de verão, pelo coronel Roger Morris e sua esposa, Mary Philipse. Durante a Revolução Americana, Mary e Roger tiveram que deixar sua casa, porque eles eram Tories (colonos leais à Grã-Bretanha), depois que eles saíram, George Washington e seus oficiais se mudaram para a casa. Hoje, o museu funciona de terça a domingo. O valor de entrada normalmente é de 10 dólares, mas fomos em um domingo e a entrada estava gratuita. Dentro da casa estão móveis da época da sua construção. O interior é belíssimo, mas os jardins e a vista também.

Moris-Jummel Mansion
Moris-Jummel Mansion

Na lateral da Moris-Jummel fica uma belíssima rua, de casas do mesmo período, chamada de Greenstreet.

Greenstreet
Greenstreet

Continue lendo este post:

Dia 6

Moma

Apesar de estar distante, depois da Moris-Jummel, fomos visitar o Moma – Museu de Arte Moderna de Nova York.  Mas acho que se encaixa melhor, neste 6o dia. Fundado em 1929, o Moma é um dos mais importantes museus de arte moderna do mundo. Em seu acervo estão obras de Pablo Picasso, Frida Kahlo, Andy Warhol, Salvador Dali, Van Gogh, entre tantos outros famosos pintores.

Andy Warhol no Moma
Andy Warhol no Moma

O Moma funciona todos os dias, exceto alguns feriados, das 10h30 às 17h30. A entrada é 25 dólares por pessoa. No caso do Moma este é o valor mesmo, não é preço sugerido.

Você pode comprar o ingresso para o Moma, sem filas, aqui

St Patrick´s Catedral

A Catedral de Nova York é dedicada a São Patrício. A construção em estilo neogótico foi construída entre 1858 e 1878. A catedral fica na 5a avenida, bem em frente ao Rockfeller Center, e a entrada é gratuita.

Rockfeller Center

O grandioso Rockefeller Center é um complexo de 19 edifícios comerciais que ocupam uma área de 89 mil m². O complexo pertence a tradicional  família Rockefeller.  O local imperdível é a Praça do Rockefeller Center onde durante o inverno funciona uma pista de patinação no gelo e também é montada uma gigantesca árvore de Natal.

Pista de patinação do Rockfeller Center
Pista de patinação do Rockfeller Center

Para quem gosta de doces, próximo ao Rockfeller Center fica a Magnolia´s Bakery, que tem doces maravilhosos. 😛

Top of the Rock

Nova York tem vários observatórios onde é possível ver a cidade do alto em 360 graus. Nós escolhemos o Top of the Rock, que faz parte do Rockfeller Center, porque de lá é possível ter uma das melhores vistas, que incluem o Central Park e o Empire State Bulding.

Top of the Rock
Top of the Rock

Central Park visto do Top of the Rock
Central Park visto do Top of the Rock

Compramos o ingresso antecipado e com desconto pelo Ticketbar e escolhemos ir no final da tarde para ver o pôr do sol e o acender das luzes da cidade. Foi simplesmente perfeito!

Continue lendo este post:

Dia 7

 Metropolitan

No último dia, fizemos um piquenique no Central Park e visitamos o The Metropolitan Museum. Este é o principal museu de NY e é grandioso, por isso, requer muitas horas para visita. Mesmo assim é preciso escolher as exibições que deseja visitar. Uma das mais interessantes é, sem dúvida, a do Egito Antigo. O Met é aberto todos os dias, sendo de segunda a quinta, das 10h às 17h30 e sextas e sábados até às 21h. O preço sugerido é de 25 dólares por pessoa, mas você paga quanto quiser.

Coleção do Egito Antigo no Met
Coleção do Egito Antigo no Met

9/11 Memorial

Apesar de estar bem distante do Met, decidimos visitar o Memorial do 11 de setembro neste dia, pois nas terças a entrada é gratuita. Mas é preciso garantir  o ticket na segunda-feira anterior pelo site. O museu do memorial é enorme e muito emocionante. Para mim, a visita foi muito difícil e cheguei a me sentir mal especialmente com os áudios e fotos. Além do museu, do lado de fora também foram construídas duas enormes piscinas no local onde ficavam as torres do World Trade Center para relembrar as vítimas do atentado.

Memorial do 11 de setembro
Memorial do 11 de setembro

A visita aos dois museus demora bastante, por isso, dediquei um dia todo para eles.

Para quem quer fazer compras, bem próximo ao memorial fica a enorme loja de departamentos Century 21.

Esse foi o nosso roteiro em NY, e são sugestões para você montar o seu de acordo com os dias que tem para visitar a cidade. Leia também: Nova York pela primeira vez, dicas para economizar.

Divirtam-se! 🙂

Quer viajar para Nova York? Confira estas promoções que encontramos para você!

Reserve sua hospedagem em Nova York

Viaje tranquilo:

Seguro viagem america do norte 728x90

 

 

 

 

 

 

Compre na livraria do Compartilhe Viagens:

Guia de Compras dos Estados Unidos