Day use na Ponta do Pirambu, em Pipa-RN

Pipa tem uma infinidade de opções para o visitante aproveitar muito mais do que um fim de semana. Já morei lá por alguns meses, além de já ter ido inúmeras vezes, e ainda não consegui conhecer a metade. Um dos lugares que só consegui visitar na última vez que fomos e que há muito tempo tinha vontade foi o Ponta do Pirambu Day Use. O lugar é ideal para quem quer passar o dia sossegado, de frente para uma praia praticamente deserta, com um certo conforto.

Piscina de borda infinita na Ponta do Pirambu Day Use
Piscina de borda infinita na Ponta do Pirambu Day Use

A Ponta do Pirambu fica à beira mar na Praia do Giz, em Tibau do Sul. Esta praia é praticamente frequentada apenas pelos clientes da Ponta e do restaurante vizinho. Na maré baixa, quando se formam as piscinas naturais, é uma delícia. A Praia do Giz é também um dos pontos de visualização de golfinhos. Vimos alguns enquanto estivemos lá. Dizem que tartarugas marinhas também podem ser vistas. Na área do Day Use também costumam aparecer saguis e iguanas.

Praia do Giz
Praia do Giz
Com 8 meses de gestação na Ponta do Pirambu
Com 8 meses de gestação na Ponta do Pirambu
"Elevador" da Ponta do Pirambu
“Elevador” da Ponta do Pirambu

O Day Use conta com uma bonita estrutura em meio a natureza, com piscina de borda infinita, espreguiçadeiras, redário, vestiários com duchas, armários com chaves para os clientes guardar seus pertences. O acesso é por escada ou “elevador”, que é na verdade uma estrutura rústica para quem necessita de acessibilidade. Utilizei ele para subir, pois estava com 8 meses de gestação, quando fomos, em maio deste ano.

Restaurante da Ponta do Pirambu
Restaurante da Ponta do Pirambu

O bar e restaurante tem um cardápio de petiscos e pratos de cozinha regional e também internacional à la carte. A apresentação é bem gourmet e os preços são um pouco altos, mas nada muito diferente dos praticados nos restaurantes de Pipa. O cardápio também tem várias opções de drinks e outras bebidas alcoólicas. Além das bebidas não alcoólicas, claro.

Risoto de Funghi
Risoto de Funghi

A Ponta do Pirambu funciona todos os dias das 9h às 17h.  As vagas são limitadas, portanto, é preciso fazer reserva, especialmente, na alta estação. Os contatos são (84) 99924-2146 – WhatsApp e (84) 3246-4333.

Quando visitamos em maio de 2018, custava R$ 60 em dias de semana e R$ 80 nos finais de semana. Esse valor é revertido em consumação de alimentos e bebidas. Crianças até 7 anos são isentas, acima pagam tarifa integral.

Ah! Tem estacionamento privativo e o acesso é em parte por estrada de barro. Veja o mapa: https://goo.gl/maps/DhhT6j2zx9s

Assista ao nosso vídeo na Ponta do Pirambu:

Reserve sua hospedagem em Pipa 

 

 

 


Conheça São Miguel do Gostoso, destino do Rio Grande do Norte que tem se destacado e recebido famosos

São Miguel do Gostoso, a 101 km de Natal-RN, até pouco tempo era um destino que atraía principalmente praticantes de kitesurf e windsurf e potiguares que queriam descansar. Mas nos últimos tempos, a praia, que há um bom tempo já foi descoberta pelos estrangeiros, tem chamado atenção de turistas nacionais, inclusive, famosos. No mês de dezembro, a jornalista Fátima Bernardes e o namorado, o advogado Túlio Gadelha estiveram por lá. E no réveillon, Gostoso foi o destino escolhido por Sasha Meneghel (filha de Xuxa, se é que existe alguém que não sabe) e o namorado, o ator Bruno Montaleone. Mas o que é que São Miguel do Gostoso tem de tão especial para cair no gosto até dos famosos? Vem comigo que eu te conto! =)

Até pouco tempo, São Miguel era um vilarejo de pescadores que atraía apenas praticantes de kitesurf e windsurf
Até pouco tempo, São Miguel era um vilarejo de pescadores que atraía principalmente praticantes de kitesurf e windsurf

Mas antes, senta que lá vem história! A primeira vez que estive em São Miguel do Gostoso foi há mais de 20 anos, eu era criança e meu pai decidiu ir com toda a família, incluindo tios e primos, para essa praia deserta que ficava no litoral norte e nem ele mesmo conhecia. Pense numa viagem looonga. A estrada até Gostoso era de barro e tinha uma tia minha que não passava dos 50 km por hora. haha Chegamos lá, e São Miguel do Gostoso era um vilarejo de pescadores, uma praia deserta com uma imensa faixa de areia. Passamos o dia e quando já estava tarde, nos demos conta de que lá não tinha nem onde dormir (se havia pousada nessa época, deveria ser uma e muito cara)  e já estava tarde demais para voltar. Acabamos dormindo de rede emprestada pelos moradores no alpendre de um restaurante. haha E depois voltamos para passar o próximo Carnaval, já num chalezinho, que na época em que fomos pela primeira vez, estava sendo construído.

Boa parte das praias de São Miguel são quase desertas
Boa parte das praias de São Miguel são quase desertas

O que eu quero mostrar com essa história é que por muito tempo, São Miguel do Gostoso foi um tranquilo vilarejo de pescadores e que aos poucos foi sendo descoberto pelos praticantes de esportes náuticos, devido aos fortes ventos da região. Se você olhar no mapa, Gostoso fica bem aonde o vento faz a curva, na esquina do Rio Grande do Norte e do Brasil.

Com um tempo, a praia foi sendo descoberta por estrangeiros de todo o mundo, que hoje são a maior parte dos donos de pousadas e restaurantes. Portanto, lá é mais fácil de encontrar restaurantes de gastronomia internacional até mesmo do que em Natal.

Mas ao contrário do que foi especulado por muito tempo, São Miguel do Gostoso não se tornou uma nova Pipa e não se tornou um destino badalado. Continua sendo uma praia tranquila para quem quer curtir uma praia sossegado. Talvez por isso, tem atraído a atenção de famosos, em busca de um refúgio para descansar.

O que fazer em Gostoso?

Praia de Tourinhos
Praia de Tourinhos

São Miguel tem várias praias, boa parte delas com uma extensa faixa de areia e você pode caminhar por muito tempo com a praia praticamente deserta. As praias que ficam mais próximas da cidade são a Praia de Santo Cristo, Praia do Cardeiro, que são as mais procuradas por praticantes de kitesurf e windsurf, e as praias da Xêpa e do Maceió. E mais afastadas da área urbana estão a Praia de Tourinhos e do Marco.

A Praia de Tourinhos é uma das melhores para banho, com piscininhas naturais, e a mais bonita de São Miguel. A praia tem umas formações rochosas interessantes, resultado de dunas petrificadas. Inclusive, o nome da praia foi dado porque as formações seriam parecidas com um rebanho de touros. Um fato curioso é que uma das pedras, na maré alta, faz subir um forte jato d´água, conhecido como o “suspiro da baleia”.

Aerogeradores vistos da Praia de Tourinhos
Aerogeradores vistos da Praia de Tourinhos

Também da praia de Tourinhos tem uma bonita vista para os geradores de energia eólica. A praia fica a uns 15 minutos do centrinho de São Miguel e é preciso ir de carro próprio/alugado ou em passeio, por uma estrada de barro. Lá tem algumas barracas com mesas e cadeiras. Mas em outras praias de São Miguel, o serviço de praia é oferecido apenas pelas próprias pousadas.

Já a Praia do Marco tem este nome porque lá foi cravado um dos marcos do descobrimento do Brasil. Aliás, existem várias teorias de que o Brasil foi descoberto pelo litoral do Rio Grande do Norte, mas este é um tema polêmico. O marco original se encontra na Fortaleza dos Reis Magos em Natal. Na praia, hoje, tem apenas uma réplica não muito bem feita.

Museu da Urca do Tubarão
Museu da Urca do Tubarão

Outro lugar interessante em São Miguel e que sempre fazemos uma parada é a Urca do Tubarão, que fica na pista principal, logo na entrada da cidade. A Urca é um misto de pousada, restaurante, cachaçaria e museu. Mas o grande atrativo do lugar é o dono, Edson Nobre, que é uma figura. Enquanto mostra seu museu que tem de tudo, geladeiras antigas, radiolas, discos etc e oferece uma degustação de cachaça, ele conta histórias, piadas, recita poemas. É divertidíssimo!

Fred com o famoso Edson, dono da Urca do Tubarão
Fred com o famoso Edson, dono da Urca do Tubarão

Se tiver tempo para conhecer os arredores de São Miguel do Gostoso, em uma das praias próximas, Perobas, a 45 km, saem passeios para piscinas naturais, que infelizmente, ainda não conheço mas sei que são muito bonitos e, por serem menos procurados do que os de Maracajaú, você tem mais chances de aproveitar o passeio com mais tranquilidade.

Tao Paradise
Tao Paradise

Outro lugar maravilhoso para se conhecer próximo de São Miguel do Gostoso, a menos de 50 km, é o Tao Paradise, um verdadeiro paraíso, como o nome sugere, que fica em meio a um bananal de 25 hectares, às margens da nascente do rio Catolé, que tem águas cristalinas. No local foi montada uma estrutura em estilo indonésio para receber até no máximo 20 visitantes ao dia, em sistema de Day Use. Já escrevi um post sobre o Tao Paradise e tem sido sucesso de visualizações. Leia aqui:

https://compartilheviagens.com.br/tao-paradise-day-use-no-paraiso-de-aguas-cristalinas-a-90km-de-natal-rn/

Onde ficar?

Nosso quarto na Vivenda da Terra
Nosso quarto na Vivenda da Terra

Em São Miguel do Gostoso há várias opções de hospedagem, desde hostels e pousadas mais simples até luxuosas pousadas. Por lá só não tem grandes hotéis, pois não faz o estilo da praia. Os preços não são dos mais baratos. Gostoso é um destino mais caro que Pipa, por exemplo.

Para quem quer pousadas mais econômicas, mas confortáveis recomendo a Pousada Mar de Estrelas e a Pousada Vivenda da Terra. Ambas de frente para o mar.

Quem pode pagar mais e quer uma pousada mais sofisticada, indico a Pousada Spa dos Amores e o Hara Chalés e SPA.

Tem ainda a Pousada Mi Secreto, que foi a escolha de Fátima Bernardes e Túlio em São Miguel.

Onde comer?

Restaurantes na rua principal de São Miguel
Restaurantes na rua principal de São Miguel

A maior parte das pousadas de São Miguel do Gostoso possui também restaurante. Além disso, na praia tem várias opções de restaurantes, que vão desde a culinária regional as mais diversas gastronomias internacionais. A maioria fica na rua principal, a Avenida dos Arrecifes e caminhando por lá, você pode olhar os menus e escolher o que mais lhe agrada. Entre os mais conhecidos estão o Tuk-Tuk, Genesis Resto Bar e a Pizzaria Quintal.


Cambará do Sul: visita ao Cânion Fortaleza, Parque da Serra Geral, por conta própria

Os cânions Fortaleza e Itaimbezinho são os dois grandes atrativos de Cambará do Sul, a 208 km de Porto Alegre-RS. Para visitá-los com tranquilidade, o ideal é reservar um dia para cada um, pois eles ficam em direções contrárias, tem várias opções de trilhas e paisagens que vão render inúmeras paradas para fotografar. E, por favor, não caiam na besteira de escolher apenas um para visitar, pois os dois são incríveis. Visitamos primeiro o Cânion Fortaleza, fizemos a visita por conta própria, sem contratar agência, apenas alugamos um carro, desde POA.

Paisagem no caminho para o Parque da Serra Geral
Paisagem no caminho para o Parque da Serra Geral

Já escrevi um post com todas as dicas sobre Cambará do Sul: quando ir, como chegar, onde ficar, o que fazer e onde comer e fiquei devendo o post sobre as visitas aos cânions.

O Cânion Fortaleza faz parte do Parque Nacional da Serra Geral e fica a 23 km de distância do centro de Cambará do Sul, mais ou menos 30 minutos do carro, sendo metade do trajeto por estrada de terra, mas de fácil acesso. Não precisa ir de 4 X 4. Viajei com a Renata Campos do Rê Vivendo Viagens e uma amiga dela, Graciana, e dividimos o aluguel de um carro econômico, sedã, desde de Porto Alegre.

Entrada do Parque Nacional
Entrada do Parque Nacional

O Parque Nacional funciona todos os dias, das 8h às 17h ou até às 18h, no período de horário de verão. E é permitida a permanência até uma hora após o fechamento do portão de acesso. O ideal mesmo é chegar no período da manhã cedo, pois a tarde é mais comum ter cerração. A entrada é gratuita e não é necessário acompanhamento de guia para a maior parte das trilhas.

O Serra Geral tem 17.300 hectares e fica na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A administração é de responsabilidade do ICMBio – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, mas há mais de um ano, o órgão sofre com faltas de recursos o que tem deixado o funcionamento dos parques nacionais prejudicado. Portanto, a infra-estrutura do Cânion Fortaleza é bem precária, só existe um banheiro, que fica no posto de fiscalização logo na entrada do parque. Então, lembrem-se de levar água e pelo menos um lanchinho para comer durante as trilhas.

Placa indicativa para as trilhas
Placa indicativa para as trilhas

São 3 trilhas principais: a trilha do Mirante do Fortaleza, da Pedra do Segredo e da Borda Sul. A principal delas, a trilha do Mirante tem 3 km de distância, ida e volta, o início da trilha é de subida por uma estradinha de cascalho (use tênis ou botas de trilha), que começa logo no estacionamento. É relativamente fácil para quem não tem nenhum problema de acessibilidade. O desafio no dia que fomos, foi caminhar contra o vento que estava fortíssimo, pois estava para cair uma chuva. O vento quase me levou mesmo! Tenham muito cuidado, pois não há nenhuma proteção entre a trilha e os cânions. Quem for visitar com crianças, precisam ter cuidado redobrado.

Vista do Cânion Fortaleza
Vista do Cânion Fortaleza

Não se deixe enganar por “apenas 3 km” porque como o trecho é em parte de subida e a paisagem é estonteante, você pode levar horas nessa trilha (reserve pelo menos umas 2h). Na trilha do Mirante é possível ver quase todo Cânion Fortaleza, que tem 7,5 km de extensão, a planície de Santa Catarina e, em dias de boas visibilidade (que não foi o nosso caso) até parte do litoral do Rio Grande do Sul.

Cachoeiras nos paredões do Cânion
Cachoeiras nos paredões do Cânion

Depois de uns 20 minutos de caminhada mais ou menos, chegamos a primeira borda do cânion, com uma cachoeira altíssima. Os paredões têm até 900 metros de altura e se você prestar bem atenção, várias outras cachoeiras brotam deles.

Quando chegamos, só estavam nós três e, logo chegou um casal. Pudemos apreciar a paisagem, ouvir os sons da natureza e fazer fotos tranquilamente, só tomando cuidado para o vento não nos empurrar penhasco abaixo. Começou uma chuvinha de leve, mas logo parou. Como venta muito lá em cima, acredito que em qualquer época, recomendo ir com casaco corta vento.

Cânion Fortaleza
Cânion Fortaleza

Como já falei em outros posts, há anos sonhava com essa paisagem, em razão da minissérie global, a Casa das 7 Mulheres. E várias cenas foram gravadas no Cânion Fortaleza. As paisagens são definitivamente cinematográficas.

Você vai querer chegar muito perto da borda do cânion. Mas tenha cuidado!
Você vai querer chegar muito perto da borda do cânion. Mas tenha cuidado!
Diante da imensidão do Cânion, a gente vira apenas um pontinho na paisagem
Diante da imensidão do Cânion, a gente vira apenas um pontinho na paisagem

As outras trilhas, a Borda Sul e da Pedra do Segredo têm início antes da trilha do Mirante. Há uma placa sinalizando. Seguindo por este caminho, logo será possível ver o rio Segredo. Continuando pela trilha, você chegará a cabeceira da Cachoeira do Tigre Preto, mas para vê-la é preciso cruzar o rio, passando por cima dela. Nós pretendíamos fazer a trilha a Pedra do Segredo, mas quando já estávamos para cruzar o rio, o nível estava alto (acima dos joelhos), começou a chover e não estávamos com roupas nem sapatos apropriados, então, deixamos para lá.

Mas para ver as 3 quedas d´água da Cachoeira do Tigre Preto e parte do Cânion Fortaleza é um total de 3 km ida e volta, cruzando o rio. Se não estiver acompanhando com o guia é preciso ter muito cuidado, ao passar o rio, pois lembre-se que você estará na cabeceira de uma cachoeira e a queda d´água é de 400 metros! Continuando uma pouco mais pela trilha é possível chegar até a Pedra do Segredo. Uma pedra de 5 metros de altura e 30 toneladas, que se equilibra em uma base rochosa de apenas 50 centímetros. Uma pena não termos feito esta trilha, mas nas condições em que estávamos, tomamos a melhor decisão. Quem sabe da próxima!

Rio Segredo
Rio Segredo

Já a Trilha da Borda Sul tem aproximadamente 9 km e leva cerca de 6 horas, seguindo o caminho todo pela borda do cânion, desde o Mirante até a Cachoeira do Tigre Preto, ou vice-versa.

Cabeceira da Cachoeira do Tigre Preto
Cabeceira da Cachoeira do Tigre Preto

Também faz parte do Parque Serra Geral o Cânion Malacara. Mas a trilha para este cânion é bem mais pesada. Um total de 22 km, ida e volta, saindo do Cânion Fortaleza, e tem que ser feita em apenas um dia, pois no parque é proibido acampar. Para esta trilha é necessário ir acompanhado de guia.

No próximo post, conto sobre a visita ao Cânion Itaimbezinho.

Pássaro no Parque da Serra Geral
Pássaro no Parque da Serra Geral

Reserve sua hospedagem em Cambará do Sul


Roteiro de 4 a 6 dias em Gramado e Canela

Finalmente conheci Gramado e Canela e descobri porquê estes destinos encantam tantos brasileiros. Além das belezas naturais das serras gaúchas, achei que as duas cidades têm um quê de Europa, com suas construções que lembram cidadezinhas do interior da Alemanha e ruas floridas, e também um quê de Disney, com parques temáticos e com tantas atrações criativas. Viajei para Gramado para participar do Encontro de Blogueiros, que contou com a participação de outros nove blogs e teve dois dias intensos de programação, aproveitei e cheguei um dia antes e saí um dia depois para conhecer um pouco mais das duas cidades. O roteiro, que divido neste post com vocês, pode ser feito entre 4 e 6 dias, dependendo do ritmo de viagem.

Lago Negro, Gramado
Lago Negro, Gramado

Continue lendo este post:

Dia 1 – Gramado

Centro de Gramado

Como estávamos hospedados no Master Premium Gramado (depois escreverei um review), que é muito bem localizado, comecei a visita a Gramado pelo centrinho da cidade e fiz quase tudo a pé.

Vista da piscina do hotel Master Premium Gramado para o Vale do Quilombo
Vista da piscina do hotel Master Premium Gramado para o Vale do Quilombo

Lago Joquina Rita Bier, Gramado
Lago Joquina Rita Bier, Gramado

Comecei pelo Lago Joaquina Rita Bier, que estava nos últimos preparativos para receber o espetáculo Reencontros do Natal, que faz parte da programação do Natal Luz, que já começa no próximo dia 26 de outubro.

Fora da época do Natal Luz, também vale visitar o lago, que é bem menor que o Lago Negro, mas também é uma bonita paisagem, cercado por araucárias e outras árvores.

Rótula das Bandeiras e Kikito, Gramado
Rótula das Bandeiras e Kikito, Gramado

A uma curtíssima caminhada do lago fica a rótula das Bandeiras, com bandeiras de todos os estados brasileiros e também a famosa estátua do Kikito, réplica do troféu do Festival Internacional de Cinema de Gramado. Esta é também uma praça muito florida.

Seguindo pela Av. Borges de Medeiros, uma das principais da cidade, você irá encontrar algumas das principais atrações do centro de Gramado:

Memorial Casa Italiana, Gramado
Memorial Casa Italiana, Gramado

A Praça das Etnias, onde ficam o Memorial Casa Italiana (funciona de quarta a segunda, das 10h às 17h30. Entrada R$ 3), que tem um tour curtinho guiado contando um pouco da história dos colonos italianos na região, e mostrando vários objetos de época, inclusive, a própria casa é de 1937 e pertenceu a uma família italiana e foi removida do local onde foi construída originalmente e levada para a praça para funcionar como o memorial; a Casa Portuguesa (entrada gratuita), que através dos objetos conta um pouco das histórias dos primeiros moradores de Gramado luso açorianos; o Espaço de Feiras Francisco Oberherr, que funciona como um mercado de artesanato com vários expositores; e a Casa do Colono (segunda à sexta, das 9h às 12h e das 13h às 18h30, sábados e domingos, das 9h às 18h30), um mercado de deliciosos produtos coloniais. Ao lado da casa, tem os fornos à lenha, onde são feitos pães e cucas. As fornadas saem às quartas, sextas, sábados e domingos, das 8h às 20h.

Visita ao Memorial Casa Italiana, Gramado
Visita ao Memorial Casa Italiana, Gramado

Em frente a praça está a Rua Torta. O nome oficial é R. Emílio Sorgetz, mas a rua ganhou este nome pelo seu formato sinuoso, que lembra a  Lombard Street de San Francisco, nos Estados Unidos. A Rua Torta de Gramado também é cercada por canteiros de flores.

A Av. Borges de Medeiros faz uma curva para esquerda e uns 550 metros da rua Torta está a Catedral de Gramado (aberta diariamente das 7h30min às 21h e até meia noite, durante o período do Natal Luz). A bela igreja, toda de pedra, é dedicada a São Pedro. Na praça em frente, tem uma fonte com a estátua dos doze apóstolos. No interior da igreja, tem bonitos vitrais e lustres candelabros enormes.

Catedral de Gramado
Catedral de Gramado

Na lateral da igreja está a Fonte do Amor Eterno, cheia de cadeados de casais apaixonados.

Ao lado da igreja estão o Museu do Festival de Cinema de Gramado (segunda à sábado, das 10h às 18h; R$ 20 em dias úteis e R$ 30 nos fins de semana e feriados) e o Palácio dos Festivais, onde acontece a premiação do festival. Em 2018, o festival será realizado entre 16 e 25 de agosto.

Rua Coberta, Gramado
Rua Coberta, Gramado

Confesso que não visitei o Museu, por isso, não posso dar mais detalhes sobre ele, mas quem quiser mais informações pode visitar o site: https://www.museufestivaldecinema.com/

Logo em frente ao Museu do Festival estão a Praça Major Nicoletti, uma praça bem arborizada, com várias lojas que ficam em um centro comercial e uma Central de Informações ao Turista e a Rua Coberta, uma rua dedicada a restaurantes.

No período em que estivemos lá, estava acontecendo o Festival de Cultura e Gastronomia de Gramado, realizado em outubro. Durante o festival, cada restaurante participante escolhe um prato para colocar a um preço acessível (nesta edição, tinham pratos de R$ 25 e de R$ 43) e montam estações (stands) para vendê-los. Também são realizados shows musicais, peças teatrais, workshops e oficinas.

Para o primeiro dia, este foi um passeio de reconhecimento do centro de Gramado. Todo este percurso, dá menos de 20 minutos de caminhada, mas ideal é dedicar uma manhã inteira para visitar tudo com calma.

Le Jardin Parque de Lavanda

Le Jardin Parque de Lavandas, Gramado
Le Jardin Parque de Lavandas, Gramado

Para a tarde, recomendo a visita ao Le Jardin Parque de Lavanda (de terça a domingo, das 9h30 às 17h30 – as estufas estão abertas até às 17h), um lugar lindo lindo, com entrada gratuita. O parque tem várias tipos de flores, inclusive plantas exóticas, tem duas estufas grandes (com mudas para serem vendidas) e os jardins tem uma decoração muito charmosa, com um coreto e bancos na cor de lavanda. A floração das lavandas acontece entre outubro a dezembro.  

No Le Jardin tem um loja com diversos produtos feitos com óleo essencial de lavandas e uma lanchonete.

Le Jardin
Le Jardin

O parque fica na rodovia RS 115, a mais ou menos 5km do centro de Gramado. Se você não estiver de carro, dá para ir até lá de Uber, a um valor bem baratinho. Mas um detalhe, só dá certo se voltar de Uber, se você tiver um bom sinal de internet no celular, pois lá no jardim não tem Wifi e o sinal de internet não é dos melhores. Mas consegui ir e voltar de Uber.

Vinícola Ravanello

Vinícola Ravanello
Vinícola Ravanello

Outro lugar muito bonito e charmoso em Gramado é a Vinícola Ravanello, que fica a 7 km do centro de Gramado, em frente ao o Snowland.

A vinícola oferece visita guiada de segunda a sábado, às 10h, 11h, 14h, 15h e 16h. A visita conta um pouco da história da Ravanello, que tem apenas 7 anos, leva até os vinhedos e também explica sobre todo o processo de produção, mostrando desde os tanques de aço inoxidável até os barris de carvalho francês. A visita guiada inclui a degustação de 3 vinhos, todos deliciosos. Quem me acompanhou na  visita, que tem 1 hora de duração, foi o Sommelier Leonardo Flores. E os vinhos degustados foram: espumante Brut; Merlot clássico 2011 e Cabernet Premium 2012. A visita guiada custa R$ 35 por pessoa.

Ao final, você também pode visitar a loja e comprar algumas garrafas para levar para casa.

Lembre-se de agendar o seu horário com antecedência pelo vinicolaravanello@vinicolaravanello.com.br, ou pelos telefones 54 9668 6400 ou 54 9668 6495.

Chave-Mestra Escape Game

No início da noite ainda encontrei tempo para conhecer o Chave-Mestra Escape Game. Para quem não sabe, escape game é um jogo de aventura, onde os jogadores são trancados em uma sala temática e para sair dentro do tempo estabelecido, precisam de desvendar mistérios e enigmas. A Chave-Mestra tem salas de 30 e de 60 minutos.

Conheci a Chave-Mestra, a convite deles. Nunca tinha participado desse tipo de game, mas achei bem interessante e divertido. Dá para participar com pelo menos dois jogadores,  mas é legal participar em grupo, que dependendo da sala pode ser de até 8 pessoas. A nossa sala foi com o tema Escola de Magia, inspirada em Harry Potter, e o tempo para escapar era de 30 minutos, que conseguimos com sucesso nos últimos segundos!

Para não estragar a surpresa da brincadeira, não é permitido fotografar no interior das salas.

No Chave-Mestra, eles têm outras salas com os temas: O Tesouro da Barba Negra, Pânico na Linha 665, O Despertar do Conde Drácula, Morte à meia noite e Hotel California. As salas têm recomendação de faixa etária livre. Mas menores de 14 anos têm que estar acompanhados dos pais.

Os preços variam de R$39,90 a R$69,90 por pessoa. É importante agendar o horário e a sala, o que pode ser feito aqui: https://chavemestra.net/gramado

Chave-Mestra: Av. Borges de Medeiros, 3088 – Vila Suica, Gramado

Garfo e Bombacha

Garfo e Bombacha, Canela
Garfo e Bombacha, Canela

E para fechar o primeiro dia, fomos para a Noite Gaúcha na Churrascaria Garfo e Bombacha, que já fez parte da programação do Blogueiros em Gramado.

A churrascaria fica, na verdade, em Canela, e tem buffet livre, com várias opções de acompanhamento (tinha bastante coisa, mesmo para mim, que não como carne) e um show de danças típicas gaúchas, a chula, o chote, o vaneirão, a dança do pau de fita e outras, bem bonito.

Depois irei detalhar mais a noite na Garfo e Bombacha em outro post.

A Noite Gaúcha com jantar show sai por R$ 179,00 por  pessoa (das 20h às 23h30, 21h música ao vivo e 21h30 Show Gaúcho). Existe também a opção do almoço com o show, que sai por R$ 110 (das 12h às 15h, show às 13h30). E só o almoço custa R$ 80.

Garfo e Bombacha: RS 466 – km 2, Canela

Continue lendo este post:

Dia 2 – Gramado

Snowland

Snowland, Gramado
Snowland, Gramado

Já como parte da programação do Blogueiros em Gramado, começamos o segundo dia, recebendo as boas vindas do Prefeito da cidade, Fedoca – João Alfredo de Castilhos Bertolucci (PDT) e da secretária de Turismo, Rubia Frizzo.

Em frente ao termômetro, marcando -5 C
Em frente ao termômetro, marcando -5 C

Depois seguimos para o Snowland. O parque de neve indoor é uma atração para todas as idades. As atrações estão divididas entre: Vilarejo Alpino, onde estão a pista de patinação no gelo, o simulador 7D e uma mini galeria com lanchonetes e lojas; Mirante Bela Vista, onde ficam uma praça de alimentação, um aquário com vista para a Montanha de Neve, um cinema 7D e Ice Games, com brinquedos e jogos eletrônicos; na Montanha de Neve é onde estão as melhores brincadeiras, o tubing, snow play (um castelo de neve), a pista de esqui e a escola de neve, e a caverna do yeti. A temperatura na Montanha de Neve varia entre -5°C e -3 °C. E o acesso é permitido a partir de 2 anos, mediante apresentação de documento.

Descendo no tubing do Snowland
Descendo no tubing do Snowland

O Snowland funciona de segunda a domingo, das 10h às 17h. Não funciona nas quarta-feiras, exceto em julho, dezembro e na primeira quinzena de janeiro de 2018. No tarifário normal o ingresso custa R$ 169 para adultos (acima de 12 anos), R$ 139 infantil (de 4 a 11 anos) e R$ 84 (acima de 60 anos). No valor promocional, R$ 129, R$ 99 e R$ 64 respectivamente. Você pode conferir as datas de valores promocionais e comprar o ingresso aqui: https://www.snowland.com.br/ingressos/.

O ingresso inclui calça, casaco, botas e luvas. Mas lembre de ir com roupas bem aquecidas por dentro, inclusive, meias, pois -5°C é muito frio!!  

Depois, também irei escrever um post com mais detalhes sobre o Snowland. Mas adianto que reserve uma manhã ou tarde inteira para a atração.

Como a vinícola Ravanello fica bem em frente ao Snowland, você também pode colocar as duas atrações para o mesmo dia.

Snowland: RS-235, 9009 – Carazal, Gramado

Café Colonial

Café Colonial no Coelho, Gramado
Café Colonial no Coelho, Gramado

Depois de muita brincadeira no Snowland, provavelmente, você estará com fome suficiente para um café colonial. Quer dizer, suficiente não sei porque é muita comidaaa! O café colonial funciona da seguinte maneira: você paga um valor fixo e pode comer à vontade. São comidas deliciosas de receitas alemãs e italianas. Nós fomos no Café Coelho que tem mais de 80 opções , entre doces e salgados. E você pode comer o que quiser, por quanto tempo quiser. Para acompanhar, tem vinho branco seco, tinto suave, suco de uva, café, chás, leite, chocolate quente, chocolate gelado. E quando você pensa que não aguenta mais de tanta comida, ainda tem o bufê de sobremesas com mais de 10 tipos de tortas e também fondue com frutas. Ainda bem que o espaço para sobremesa é extra, né?! =)

O Coelho Café  funciona de segunda à sexta, das 11h às 21h, sábados das 10h30 às 21h30 e domingo, das 10h30 às 20h45. É uma ótima opção para o almoço ou para emendar o lanche da tarde com o jantar. O valor por pessoa é R$ 72, mas comprando online você pode encontrar por um valor promocional de R$ 64, 90. Crianças até 5 anos não pagam.

Café Coelho: na Av das Hortências, 5433

Se tiver com um grupo grande é interessante agendar: reservas@cafecoelho.com.br.

Cervejaria Rasen

Cervejaria da Rasen Bier, Gramado
Cervejaria da Rasen Bier, Gramado

Para os adultos, além da visita a vinícola, recomendo também a visita à Rasen Bier, cervejaria de Gramado. Aliás, Rasen, significa gramado ou jardim, em alemão. A empresa começou em 2006 com o desenvolvimento do produto e da marca, mas o primeiro produto só foi lançado em dezembro de 2008.  

Na visita à fábrica, é explicado o processo de fabricação da cerveja, as matérias primas e os rótulos da marca, que são Pilsen, Dunkel, Ambar Ale e Weizen.  Em algumas datas comemorativas, como na Semana Farroupilha e no Natal, a Rasen também lança alguns rótulos sazonais.

Degustação dos rótulos da Rasen Bier
Degustação dos rótulos da Rasen Bier

A fábrica pode ser visitada de segunda a sábado, das 9h às 11h e das 14h às 17h. E para o domingo é necessário consultar disponibilidade. Depois da visita é feita à degustação no bar da Rasen, que fica ao lado da fábrica.

Cervejaria Rasen: Rua Cândido Godoy, 82

Fábrica de Chocolates e Mundo do Chocolate

Torre Eiffel no Mundo de Chocolate, Gramado
Torre Eiffel no Mundo do Chocolate, Gramado

Boa parte das atrações de Gramado envolvem comida e bebida. =P E as fábricas de chocolate artesanal são uma a atração a parte. Nós visitamos a fábrica da Lugano, onde tivemos uma breve explicação do processo de fabricação do chocolate e também pudemos ver a fábrica através de um aquária. Depois, visitamos o Mundo do Chocolate, um museu só com peças feitas de Chocolate! São mais de 200 peças temáticas, as pirâmides do Egito, o Taj Mahal, a Torre Eiffel, canais de Veneza e a Muralha da China. As esculturas chegam a mais de 4 metros de altura e, juntas, chegam a pesar 30 toneladas de chocolate. A Torre Eiffel é a mais impressionante com 4,22 metros e 800 kg de chocolate.

No Mundo do Chocolate também tem um espaço onde é possível degustar os chocolates Lugano e também ser chef por um dia, criando sua própria versão de chocolate.

A visita é áudio guiada que conta a história do Sr Suisse e sua neta Avelã, moradores de uma fábrica de chocolate, na cidade de Lugano, na Suíça. Na história, o avô conta a história de outros países para a menina, criando as paisagens de chocolate.

O Mundo do Chocolate funciona de segunda à quinta, das 09h30 às 20h, sextas e sábados, das 09h30 às 21h30 e domingos, das 09h30 às 20h.  O ingresso adulto custa R$ 35 e o infantil R$ 28.

No mesmo prédio do Mundo do Chocolate fica o café e a loja da Lugano.

Mundo do Chocolate: Avenida Borges de Medeiros, 2497

Ice Bar

Termômetro do Ice Bar marcando - 12 graus
Termômetro do Ice Bar marcando – 12 graus

Uma das atrações recentes de Gramado é o Ice Bar Boreal, que fica no subsolo do Café da Lugano. O bar é todo de gelo. São 20 toneladas de esculturas de gelo (tem até uma sinuca de gelo!) e até os copos onde são servidas as bebidas são de gelo. As temperaturas são sempre negativas e podem chegar até – 16°C. O ingresso dá direito a roupa: calça, casaco com gorro e bota e também uma bebida cortesia. É permitido a entrada de crianças e, no caso, delas a bebida é um suco.

Como não dá para ficar tanto tempo na parte de gelo, o bar tem também um outro espaço mais aquecidinho, com temperatura ambiente.

O ingresso para adulto é R$ 28 e para criança R$ 16. Também tem a possibilidade de comprar o combo Ice Bar + Mundo de Chocolate por R$ 52 para adultos e R$ 28 crianças.

Com a turma toda dos Blogueiros em Gramado
Com a turma toda dos Blogueiros em Gramado

Ice Bar:  Av. Borges de Medeiros, 2497

Toro

Sanduíches do Toro
Sanduíches do Toro

O jantar da segunda noite foi no Toro. Um bar, restaurante, especializado em hamburgues artesanais. Tem também drinks deliciosos. Os sanduíches são personalizados, o cliente escolhe, entre as opções, o tipo de carne e o ponto, o molho, o pão e dois tipos de acompanhamentos. Apesar de não ter opção vegetariana no cardápio, foi só pedir que recebi um sanduba delicioso veggie. Mas o que mais amei foi o chips de polenta frita, que vem de acompanhamento. Simplesmente deliciosas! No cardápio também tem opção kids.

O restaurante tem um ambiente muito bacana, com uma decoração bem descolada, que depois soube que utilizava objetos que pertenceram aos avós dos proprietários, que são de origem alemã e italiana. Os garçons também são todos bem estilosos.

O Toro também tem música ao vivo, normalmente, jazz, soul, blues e tango, nas quartas-feiras, e quando estivemos lá estava tocando uma banda muito boa.

O restaurante funciona terças, quartas, quintas e domingos, das 19h às 23h45 e sextas e sábados, das 19h à 1h.

Toro: Av. das Hortênsias, 804 – Planalto

Continue lendo este post:

Dia 3 – Gramado

Lago Negro (foto em destaque)

Não tem como ir a Gramado e não visitar o famoso Lago Negro, principal cartão postal da cidade. O lago é artificial e tem uma área de 17.470m², cercado por muitas árvores e flores. Já a área do parque é 89.336m² e suas principais atrações são o passeio de pedalinho no lago e a caminhada pela trilha à sua volta, que tem 740 metros e é bem tranquila.

No parque tem também bar, restaurante e lojas. O passeio de pedalinhos-cisne custa R$ 30 para até 2 pessoas, por 20 minutos. Tem também o pedalinho de cisne maior e o pedalinho caravela que custam R$ 40. Pessoas acima de 60 anos pagam meia.

A entrada no parque é gratuita.

Lago Negro: R. A. J. Renner – Bairro Lago Negro

Mini Mundo

Mini Mundo, Gramado
Mini Mundo, Gramado

Outra atração muito popular em Gramado é o Mini Mundo. A história deste parque temático, que tem mais de 30 anos, é bem interessante porque ele começou quando um pai e um avô resolveram presentear duas crianças com uma casinha de bonecas, um conjunto de castelos e trenzinhos em miniaturas, que foram construídos no jardim em frente ao hotel Rita Höppner, que pertence à família. A ideia era que, quando as crianças crescessem, o local também pudesse ser visitado pelos hóspedes. E logo o Mini Mundo foi crescendo.

Castelo Neuschwanstein, no Mini Mundo
Castelo Neuschwanstein, no Mini Mundo

Uma equipe de 10 artesãos, que hoje são comandadas pelo neto, fazem os prédios, postes, placas de sinalizações, navios e aviões  do parque. E a neta administra o hotel da família.

As obras do Mini Mundo não se tratam de maquetes, mas de réplicas com todos os detalhes, que segue uma escala de 1 por 24. Inclusive, nenhuma obra é feita sem autorização por escrito e cópia da planta da obra original. Até o código brasileiro de trânsito é seguido no mini mundo, com as proporções exatas de distâncias do meio fio, por exemplo, e sinalizações.

As réplicas são de prédios famosos do Brasil e do Mundo, especialmente, da Europa. Todas as obras estão ao ar livre e precisam ser resistentes a ação do clima.

Confesso que antes de visitar o Mini Mundo, só de ver em fotos não achava tão interessante, quanto achei pessoalmente. Os detalhes realmente impressionam, e foi ainda mais interessante perceber isso nas réplicas dos lugares que já visitei.

No Mini Mundo tem vários guias à disposição que explicam a história do lugar, os detalhes das réplicas e os melhores ângulos para fotografar.

O ingresso para adulto custa R$ 36, crianças de 3 a 15 anos, estudantes e idosos pagam R$ 18. Crianças até 2 anos não pagam. Aberto todos os dias das 9h15 às 17h.

Mini Mundo: R. Horácio Cardoso, 291 – Planalto

ATENÇÃO: Entre 19 de fevereiro a 8 de março de 2018, o Mini Mundo estará fechado para a realização de obras. 

Tour Raízes de Gramado

Moinho na zona rural de Gramado
Moinho na zona rural de Gramado

Como o nome sugere, este tour leva às origens da cidade de Gramado, nas localidades Linha Nova e Linha Bonita. O passeio pela zona rural da cidade, conta a história dos colonos na região e nos leva para visitar famílias de colonos, uma casa centenária, uma fábrica de erva mate, um moinho e um museu rural. No final, somos recebidos com música tradicional e um café colonial, com muita comida. Adorei este passeio, que levou uma tarde inteira, mais ou menos 6 horas, e depois irei escrever mais detalhes sobre ele.

Fizemos o passeio com a Brocker Turismo e a saída dele é em frente a Jardineira de Gramado.

Bus Tour

Bustour da Brocker
Bustour da Brocker

Aliás, os demais lugares de Gramado, visitamos com o Bus Tour também oferecido pela Brocker Turismo. O ônibus turístico faz uma rota or Gramado & Canela, com 38 opções de paradas, das 08h35 até às 18h. Você pode escolher a opção de 1 dia (R$ 69), 2 dias (R$ 109) o 3 dias (R$ 138) e descer do ônibus quantas vezes quiser. Se quiser um dia extra custa R$ 40 e 2 dias extras, R$ 69 por pessoa. Crianças de 6 a 12 anos e idosos a partir de 60 anos pagam R$ 59.

Tem também uma opção de combo 1 casal + 1 filho por R$ 159.

Esta é uma ótima opção para quem está sem carro e fará vários deslocamentos.

Como vocês podem perceber, fizemos muita coisa em poucos dias, então, foi tudo um pouco corrido e cansativo. Por isso, sugiro que este roteiro de 3 dias em Gramado possa ser feito em até 5 dias.

Fondue no Colosseo

O jantar da última noite foi no restaurante Colosseo, especializado em fondues. O cardápio tem outras opções que vão de risotos, frutos do mar, aves, carnes exóticas, massas e etc. Mas nós degustamos a sequência de fondues, que incluiu fondue de vegetais, de frutas, carnes (de vários cortes e com diversos molhos de acompanhamento), e de chocolate, que é acompanhado de diversas frutas.

O Colosseo tem um ambiente bem sofisticado e a noite teve música ao vivo no piano.  O restaurante também conta com uma carta de vinhos bem diversificada, inclusive, com rótulos de diversos países, além de outros tipos de bebidas.

Restaurante Colosseo: Av. das Hortênsias, 1560 – Centro, Gramado

Continue lendo este post:

Dia 4 – Canela

A cidade irmã de Gramado, Canela tem como forte as belas paisagens naturais. E, por isso, dediquei o meu único dia na cidade à elas, além de um passeio rápido pelo centro da cidade.

Bondinhos Parques da Serra

Bondinhos do Parques da Serras, em Canela, e a Cascata do Caracol
Bondinhos do Parques da Serras, em Canela, e a Cascata do Caracol

A Cascata do Caracol é a principal atração natural de Gramado e ela pode ser vista do Parque do Caracol ou do Parques da Serra, onde você pode fazer o passeio de bondinhos aéreos.

A cascata tem 131 metros de queda e ela tem esse nome por causa do formato do rio que dá origem a ela.

O percurso do bondinho é de 840 metros com vista para a cachoeira. O bondinho faz parada em duas estações: Animal, que é a mais alta, fica a 130 metros de altura da estação central, onde você pegará o bondinho. Nesta estação tem trilhas de 230 metros pela área do parque e também esculturas de animais talhadas em madeira. A melhor vista é da Estação Cascata, que fica mais abaixo e tem uma vista mais aproximada da cascata.

A cascata do Caracol é de uma beleza impressionante. É uma vista, realmente, imperdível em Canela. Por isso, resolvemos ir mesmo chovendo muito quando saímos do hotel. Por sorte, quando chegamos no parque, a chuva diminuiu e depois o sol apareceu. Foi bom também ir aos bondinhos porque todo percurso (com exceção da trilha na estação Animal) é coberto, então, podíamos ver a cachoeira e fazer fotos sem nos molhar.  

O parque funciona todos os dias das 9h às 17h. A entrada custa R$ 42 para adultos e R$ 21 para crianças de 6 a 12 anos. Crianças até 5 anos têm entrada livre.

http://www.parquesdaserra.com.br/

O ingresso para os bondinhos foi uma cortesia para o Compartilhe Viagens.

Parque do Caracol

Cascata do Caracol, vista do Parque do Caracol
Cascata do Caracol, vista do Parque do Caracol

Vizinho ao Parques da Serra fica o Parque do Caracol, que é mais antigo e o mais visitado para ver a Cascata. Neste parque dá para ver a cachoeira do alto de um outro ângulo visto no parque dos bondinhos, um pouco mais de perto. E também descer uma escadaria que leva até a base da cachoeira. Porém, quando fomos essa trilha estava fechada, justamente, por causa da chuva. A única trilha que estava aberta era até as corredeiras.

Também existe um elevador panorâmico, mas é pago a parte. Tem também um passeio de trenzinho que faz um passeio por uma cidade cenográfica, fazendo um passeio pela história de Canela. O ingresso também é pago a parte.

O parque funciona todos os dias, das 9h às 17h30. O ingresso custa R$ 20.

Parque do Caracol: Rodovia RS 466, km 0, s/n – Caracol, Canela

Parque da Ferradura

Vale da Ferradura, Canela
Vale da Ferradura, Canela

Esse foi o meu lugar favorito em Canela. Um parque lindo, mas bem menos visitado que o Parque do Caracol, pois o acesso é um pouco mais difícil. Mas fica apenas a 13 km do Centro de Canela. São 3 mirantes, que podem ser acessados em no máximo 5 minutos de caminhada com vistas incríveis para o Vale da Ferradura, o Vale do Arroio Caçador e a Cascata do Arroio Caçador. Tem também 4 trilhas (Trilha do Rio Caí, Trilha do Pórtico, Trilha das Cotias e  Trilha das Pinguelas) que levam até lá embaixo no vale e para chegar até a cachoeira, mas também estavam fechadas por causa da chuva. As trilhas são curtas, porém, como são todas de descida, tem um nível maior de complexidade.

Mas só pelos mirantes, que ficam no alto de um cânion, vale a visita. O vale da Ferradura recebe esse nome, devido a forma em rio Santa Cruz corre, que se assemelha a uma ferradura.

O Parque da Ferradura funciona de terça a domingo, das 9h às 17h. A entrada custa R$ 12 para adultos e R$ 6 para crianças e idosos.

Parque da Ferradura: Rodovia RS-466, km 12, Canela

Centro de Canela e Igreja de Pedra

Catedral de Canela
Catedral de Canela

E para fechar o roteiro de um dia em Canela, claro que não poderia faltar uma visita ao centro da cidade e a sua famosa Catedral de Pedra. A igreja que é dedicada a Nossa Senhora de Lourdes é gigantesca, com 65 metros de altura.

Apesar das obras da igreja terem sido iniciadas nos anos 50 e concluídas só em 1987, a Catedral tem um estilo gótico, que faz pensar que ela é bem mais antiga.

Na lateral da Catedral de Pedra fica também o disputado letreiro com o nome “Canela”. A igreja é o único prédio da praça que fica bem no centro da cidade e, de longe, chama atenção por sua imponência.

 

Catedral de Canela: Praça da Matriz, 69 – Centro, Canela

Claro que Canela, tem mais atrações, mas para um roteiro de um dia acho que aproveitamos muito bem. Mas se vocês puderem ter mais tempo na cidade, podem visitar ainda o Mundo à Vapor, o Castelinho Caracol e os parques temáticos que ficam na cidade.

*Peço desculpas pelas fotos de Canela, mas vocês não vão acreditar no que fiz?! Não salvei as fotos que fiz na câmera neste dia e, depois, apaguei o cartão!! E só descobri isso quando estava escrevendo este post. =( Por sorte, tinha essas do celular e da GoPro.

Se alguém tiver mais dicas de Gramado e Canela, por favor, deixe nos comentários. =) E, aguardem os próximos posts do Rio Grande do Sul. Tenho muita coisa para dividir com vocês.

O Blogueiros em Gramado foi organizado pela Francine Agnoletto, do Viagens que Sonhamos,  com a realização da Prefeitura de GramadoGramado Canela Convention & Visitors BureauBrocker Turismo e o Master Premium Gramado.

Outros blogueiros que participaram do encontro: Renata Campos, do RêVivendoViagens; Cláudia Rodrigues, do Felipe, o Pequeno Viajante; André Morato, Meu Destino; Fernanda Scafi, Tá indo pra onde?; Cris Stilben, Cris pelo Mundo; Ledinara Batista, Férias Now; Talitiane Ferreira, Mundo dos Viajantes; Thais Moura; Love and Travel.

Quer viajar para Gramado? Confira estas promoções que encontramos para você!

Eclipse solar visto de Natal – RN

Como vocês devem ter visto em todos os meios de comunicação, hoje aconteceu um eclipse solar, que pôde ser visto total, apenas nos Estados Unidos, mas pôde ser observado, parcialmente, em 15 estados brasileiros, principalmente do Norte e Nordeste. Nós fomos até o Parque da Cidade, em Natal, onde centenas de pessoas se reuniram para assistir a esse espetáculo, que foi ainda mais especial porque terminou com o pôr do sol. Nós fizemos váaaarias fotos e escrevi este post para compartilhar com vocês.

Parque da Cidade, obra de Oscar Niemeyer
Parque da Cidade, obra de Oscar Niemeyer

O eclipse começou em Natal por volta das 16h30 e culminou com o pôr do sol. A visão que tivemos de Natal foi da lua cobrindo cerca de 40% do sol, que ficou em forma de uma meia lua.

Eclipse visto pelo telescópio
Eclipse visto pelo telescópio

Como nos explicou Pedro Ferreira, astrônomo e também amigo nosso, que acompanhou o fenômeno com a gente, o eclipse solar acontece quando a lua fica entre a terra e o sol, formado uma penumbra. “Infelizmente, desta vez, só veremos o fenômeno parcial. O total só pôde ser visto nos Estados Unidos”, nos disse Pedro.

O eclipse começou por volta das 16h25 em Natal
O eclipse começou por volta das 16h25 em Natal. Foto feita com óculos escuros na frente! =)
Eclipse visto com a ajuda de uma chapa de raio-x
Eclipse visto com a ajuda de uma chapa de raio-x
Grupo de pesquisadores levou telescópio para visitantes do Parque observarem o eclipse
Grupo de pesquisadores levou telescópio para visitantes do Parque observarem o eclipse

No Parque da Cidade, um grupo de pesquisadores de Natal levou um telescópio para que as pessoas no parque pudessem observar o eclipse, que visto a olho nu pode ser prejudicial. Apesar de que muita gente não deu muita importância para isso. Mas, teve gente também que levou chapas de raio-x para observar melhor o fenômeno. Peguei uma emprestada de um amigo e fizemos algumas fotos.

No final, por volta das 17h30, teve eclipse com pôr do sol, que mereceu palmas da plateia. =)

O Parque da Cidade fica no bairro de Pitimbú, em Natal, e tem monumento projetado por Oscar Niemeyer.

O eclipse solar culminou com o pôr do sol
O eclipse solar culminou com o pôr do sol

As fotos foram feitas por Fred. Lá no nosso Instagram @compviagens tem vários vídeos, mostrando como foi a movimentação para ver o eclipse em Natal.


5 Motivos para viajar para a Chapada dos Veadeiros, Goiás

A Chapada dos Veadeiros, em Goiás, é um dos destinos mais incríveis que já conhecemos no Brasil. Um lugar de beleza e atmosfera únicas no país. Não é à toa que é Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO, desde 2001. Estivemos lá no ano passado e não vejo a hora de voltar. Desde então, tenho recomendado como um dos lugares imperdíveis no Brasil. Mas por que conhecer a Chapada dos Veadeiros? Fiz uma lista de 5 motivos em parceria com o Desviantes*, empresa especializada em levar as pessoas para viver experiências inusitadas sempre com muito contato com a natureza.

Continuar lendo 5 Motivos para viajar para a Chapada dos Veadeiros, Goiás


De Santiago ao Rio de Janeiro – dia 1º embarcaremos para um novo mochilão pela América do Sul

Segunda-feira (1), embarcaremos para Santiago do Chile para o nosso próximo mochilão. Que saudades que estou de colocar a mochila nas costas! Nossas últimas viagens não foram exatamente mochilões e apesar de terem sido maravilhosas, a sensação de mochilar é completamente diferente.

A começar que tudo que sabemos é que chegaremos por Santiago e voltaremos pelo Rio de Janeiro. O rolé vai ser grande! haha A princípio, não íamos comprar passagem de volta, mas Fred tem prazos do mestrado a cumprir, por isso, deveremos voltar no início de junho. Então, serão aproximadamente 40 dias de mochilão e teremos a companhia maravilhosa de Juliane Boll, a alemã mais brasileira que você respeita, que estará encerrando sua viagem de volta ao mundo de 8 meses. Para quem não sabe, Julie assina a série #Worldlust aqui no Compartilhe Viagens e é nossa sócia na versão do blog em inglês Share Journeys. Continuar lendo De Santiago ao Rio de Janeiro – dia 1º embarcaremos para um novo mochilão pela América do Sul


Belo Horizonte: o que fazer em 2 dias

Belo Horizonte é a principal porta de entrada para quem visita Minas Gerais, mas muita gente vê a cidade apenas como uma base para viajar por cidades históricas nos arredores ou alguns dos muitos parques naturais de Minas. No entanto, BH tem também muito a oferecer a turistas. E não estou falando só de boa comida e bebidas. =) A cidade, que foi uma das primeiras capitais planejadas do Brasil e hoje é um grande centro urbano com 2,5 milhões de habitantes, tem belas praças, parques urbanos e muitos museus, sem falar nos mercados, feirinhas e, claro, os botecos. Dois dias é o mínimo necessário para conhecer Belo Horizonte. Saiba o que fazer em, pelo menos, 2 dias em BH: Continuar lendo Belo Horizonte: o que fazer em 2 dias