Do agendamento até o receber os passaporte com o visto americano estampado foram oito dias. Isso porque neste intervalo houve um fim de semana e o feriado do Natal, mas é possível consegui-lo em prazo bem menor e o melhor: não é nem um bicho de sete cabeças. Tirar o visto para os Estados Unidos hoje está mais fácil e rápido, porém os trâmites ainda continuam burocráticos. Vamos a eles:


O primeiro passo é preencher online o formulário DS-160 deve ser preenchido que consta neste link: https://ceac.state.gov/genniv

O preenchimento é um pouco demorado e o formulário é todo inglês, mas colocando o cursor em cima aparece a tradução.

Apesar de longo, as perguntas são em geral são bem simples. Você só terá que provar o propósito da viagem, que terá como custear e que irá voltar ao Brasil, informando onde trabalha, quanto ganha, entre outras coisas. Também será pedido o período em que pretende fazer a viagem, a cidade a ser visitada e o local aonde irá se hospedar. Como o visto tem validade de 10 anos, você pode definir para onde pretende ir no DS-160 e na entrevista, mas não significa exatamente que você terá que viajar para a cidade especificada. Se for viajar acompanhado de algum familiar, informe no formulário para que a entrevista seja feita em conjunto.

Um detalhe importante é que o Posto Consular selecionado no Formulário DS-160 deve ser o mesmo local selecionado para a entrevista Consular, no meu caso, foi Recife.
Após o preenchimento do formulário que deve ser impresso, pois será necessária sua apresentação, é feito o pagamento de taxa de solicitação de visto, que custa US$ 160 no caso de visto de turismo e negócios, e é feito no cartão de crédito.

Depois do pagamento, é hora de agendar a visita ao CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto) e a entrevista no Consulado ou na Embaixada neste link: http://usvisa-info.com/pt-BR/selfservice/ss_country_welcome. Como não dá para fazer tudo no mesmo dia, agende em dias seguidos. Como tínhamos pressa, agendamos a visita ao CASV em uma sexta e a entrevista na segunda e acabamos tendo que ir duas vezes a Recife.

A visita ao CASV é rapidíssima e é apenas para tirar foto e recolher impressões digitais. É necessário levar o passaporte com validade de pelo menos 6 meses contando o período em que deseja fazer a viagem, o DS-160 (com código de barras) preenchido e o comprovante de pagamento da taxa. Não é permitido entrar com equipamentos eletrônicos, objetos cortantes e nem água! Então, é melhor ir apenas com os documentos mesmo.

Fizemos, eu e o marido Fred Santos, a entrevista na véspera de Natal e como esperávamos havia menos gente que o habitual. Passamos pela rigorosa segurança (lá também não é permitido equipamentos eletrônicos, objetos cortantes, entre outras coisas. Leve apenas os documentos necessários), pegamos nossa ficha e em pouco tempo fomos chamados. E é claro, que enquanto esperávamos, havia muitas conversas entre os solicitantes sobre vistos negados.

A entrevista é feita em guichês semelhantes aos das imigrações em aeroportos e em pé mesmo você responde as perguntas. Nossa entrevistadora era muito simpática e se esforçava para falar um português compreensível.
Apesar de ser obrigatório apresentar apenas o passaporte e o formulário do CASV, levei para a entrevista e é recomendado uma pasta com todos os documentos que poderiam ser exigidos: contra cheques, extrato bancário, certidão de casamento, declaração de imposto de renda, contrato do apartamento, do carro, declaração da pós-graduação, carteiras de trabalho. Tudo que comprovasse nossos vínculos no Brasil e renda para arcar com a viagem.

As perguntas feitas pela entrevistadora basicamente foram: onde trabalhamos, quanto ganhamos, se somos casados, qual a cidade vamos visitar, qual o motivo da viagem e quais os países já havíamos visitado. Em pouco tempo, tivemos nosso visto aprovado e nem precisei mostrar nenhum documento da minha pastinha.

As entregas dos passaportes estão paradas e deveríamos retirá-los a partir do dia útil seguinte no próprio consulado, como temos parente em Recife, fizemos uma espécie procuração (que o próprio consulado dispõe) para retirar os passaportes e ocorreu tudo tranquilo.
Agora é só aguardar a hora de conhecer a terra do Tio Sam.


Comentários

  • Karla,
    Tudo depende de para que você está indo e como está indo. Posso dizer isso pois já fiz e renovei visto e já pude ver coisas interessantes. Se você está indo para trabalhar ou mesmo para estudar eles obrigam que você saiba falar inglês, então não adianta pagar tudo lá fora e depois tirar o visto pois é 99,9% de ser reprovado e ter seu visto negado. Agora se sua proposta é turismo, ai sim os americanos estão que nem o Cristo Redentor de braços abertos para os brasileiros.

    • É verdade, Rafael. No caso no post falei apenas do visto de turismo e negócios que foi o que tirei. Mas tinha um colega ao meu lado tirando o visto de estudante, nesse caso, a entrevista era em inglês, mais demorada e rigorosa. Mas acredito que com todos os documentos em mãos e principalmente provando que tem dinheiro para bancar a estadia, o visto é autorizado. Obrigada por visitar o blog e pelo comentário!

  • Jaffé VZ

    Oi, sou novo no site e tenho uma grande dúvida quanto ao visto, final do ano vou viajar para fazer intercâmbio por 1 mês nos EUA e fico sempre com medo quanto a entrevista, mtas dizem ser “assustadora”, a entrevista em si é um fator a ser considerado motivo de negação? e outra pergunta, sou menor de idade e os procedimentos mudam ou apenas entrego os documento do meus pais ?
    att

    • Oi Jaffé,

      O visto que tirei e sobre o qual escrevi foi para turismo. O visto de estudantes seguem regras diferentes que você pode ver aqui: http://travel.state.gov/visa/temp/types/types_1270.html Mas pelo que sei e vi, pois conheci lá uma pessoa que estava tirando visto de estudante, a entrevista para estudantes é feita em inglês, mas é tranquila. Diga sempre a verdade e mostre tudo que comprove que sua intenção é apenas o intercâmbio e que seus pais tem condições de lhe bancar lá.

      Boa sorte!

  • Pingback: Estados Unidos pela primeira vez: dicas e o que você precisa saber | Compartilhe Viagens()