Olá viajantes!

Hoje damos continuidade ao roteiro na Austrália de Damares Lombardo do blog Keviagem. No primeiro post, Damares compartilhou seus dias em Adelaide e Melbourne e agora é a vez de Sydney e Queensland. A viagem foi feita em 2009. O post está imperdível!

Boa viagem!

Austrália por Damares Lombardo

Sydney

Nossa viagem de Melbourne a Sydney durou 11 horas e foi melhor do que de Adelaide a Melbourne, o trem era mais confortável do que o ônibus, tinha mais espaço, conseguimos até dormir.

Central Station
Central Station

Chegamos bem cedo, nosso hotel se encontrava perto da estação, mas era aquele perto que a pé demorava uns 20 minutos, e de taxi 5 min, então decidimos ir caminhando. Apesar de a viagem durar quatro semanas, consegui fazer uma mala única pra mim e minha filha, impressionante, mas é verdade.

Com os anos, aprendi a fazer minhas malas, fui vendo que levava sempre muita coisa inútil, muitas vezes não usava nem a metade, e depois que virei mãe, ai é que precisei aprender a diminuir mesmo. O problema é que começamos  nossa viagem pelo sul, onde estava fazendo frio (era inverno) e depois iríamos subir até o nordeste, onde fazia calor o ano inteiro, igual ao clima brasileiro. Mas mesmo assim, consegui colocar o necessário nas malas.

Nosso hotel se chamava Central Rail Hotel estava bem localizado e era legal, com um ponto de ônibus quase em frente e podíamos ir a pé para o centro, dava uns 30 minutos de caminhada. Os proprietários eram muito simpáticos, um casal de uns 60 anos, ele australiano e ela espanhola.

Sydney é a capital do estado de New South Wales, é a cidade mais antiga da Austrália e mais visitada pelos turistas. É banhada pelo oceano Pacifico e o clima já é mais quente do que Adelaide e Melbourne, pegamos entre 15°C e 18°C, apesar da chuva. Curtimos muito, a cidade é lindíssima. Em Sydney, nosso café da manhã se transformou em delicia. Perto de nosso hotel, tinha um bar onde todos os funcionários eram estrangeiros, tinha uma garota brasileira e uma chinesa, um rapaz jordano e uma senhora grega.

No primeiro dia, vimos que estava cheio, então entramos e gostamos logo do ambiente, todos com sorriso estampado no rosto e o rapaz jordano era muito engraçado. Experimentamos o “raisin toast”, um pão de forma com uva passas, canela e outras especiarias. Eles colocam na chapa quente e servem com  manteiga. Delicioso, trouxemos 2 pacotes para casa.

A baia divide Sydney em duas partes, ligadas entre elas graças ao Sydney Harbour Bridge e pelo Harbour Tunnel. O centro apresenta prédios altos, ruas largas, shopping centers, lojas, bares, restaurantes e tudo que uma cidade de um verdadeiro primeiro mundo pode oferecer, com total organização, limpeza e segurança.

Sydney Harbour Bridge
Sydney Harbour Bridge

Depois de dar uma rodada pelo centro da cidade, fomos em direção ao Circular Quay, onde se encontram restaurantes, artistas de rua, parques, museus (Museum of Contemporary Art) e a Sydney Ópera House.

Circular Quay
Circular Quay

Não pudemos visitar a parte interna da Ópera House, precisava marcar horário, porque só era permitida a entrada com acompanhamento do guia, e ficar preso a um horário, não estava em nossos planos. A Ópera House é realmente uma obra de arte, foi construída pelo arquiteto dinamarquês Jorn Utzon, inaugurada  dia 20 de outubro de 1973 pela rainha Elisabeth II do Reino Unido, e desde 2007, faz parte do Patrimônio da Humanidade, declarada pela UNESCO.

Ópera House
Ópera House
Ópera House
Ópera House

O lugar tem 1000 salas, cinco teatros, cinco salas de provas, dois salões principais, quatro restaurantes, seis bares e várias lojas de souvenirs. Ficamos 5 dias e 4 noites em Sydney, e como sempre, caminhamos bastante (caminhamos cerca de 11 km por dia em cada cidade), e visitamos vários lugares, infelizmente a chuva atrapalhou um pouco. Fizemos altas caminhadas no porto e tomamos um drink em um bar, admirando a Ópera House e a baía, com seus barcos e ferry boats ancorados. Pegamos um ferry boat no porto de Sydney para a praia de Watsons bay, mas era durante a semana, não tinha nada aberto e a cidade estava vazia, então pegamos o ônibus e fomos para a famosa praia dos surfistas “Bondi beach”, o tempo estava péssimo, como podem ver aqui abaixo nas fotos.

Watsons bay
Watsons bay

Que pena, não tinha sol, e o panorama perdeu muito sem a presença do astro rei. Bondi beach é uma gracinha, com moçada bonita, lojas e bares transados, e com certeza no verão deve ser um arraso.

Bondi beach
Bondi beach

Sydney é cheia de baias com praias e bairros residenciais, e muitas vezes é mais fácil e rápido chegar com ferry boat até elas. Dedicamos uma manhã em Darlin Harbour, é uma parte central da cidade, onde está situado o antigo porto, hoje nele se encontram belos barcos privados. O lugar foi todo restruturado, com bares e restaurantes modernos (é um dos points da cidade), tudo com bom gosto, fiquei imaginando como deveria ser no verão, uma maravilha.

Darlin Harbour
Darlin Harbour

Em Darlin Harbour, se encontrava o Wildlife, aproveitamos para visita-lo, e finalmente conseguimos pegar o koala acordado. Descobrimos porque eles dormem sempre. As árvores que eles ficam sempre grudados, sã de eucalipto, e eles comem praticamente apenas as folhas dessas árvores como alimento, que é relaxante, então eles vivem com sono.

Koala do Wildlife
Koala do Wildlife

Uma das atrações da cidade é a Sydney Tower, geralmente chamada de Center Point Tower, é o edifício mais alto de Sydney, com 360 metros de altura, foi construída para ser uma atração turística e não para fins comerciais. No alto da torre tem dois andares rotativos, onde pudemos admirar a baia da cidade, a vista era deslumbrante. É possível jantar no topo da torre curtindo a cidade iluminada.

Vista da cidade na Sydney Tower
Vista da cidade na Sydney Tower
Vista da cidade na Sydney Tower
Vista da cidade na Sydney Tower

Demos uma chegadinha na Macquaire Street, é o modernissimo bairro de Sydney, com várias lojas, museus e restaurantes. Adoramos o Fish Market, um mercado de peixe onde o cliente escolhe o peixe e preparam na hora, fresquinho, geralmente é frito, acompanhado com batas fritas. Bom demais!

Fish Market
Fish Market

Finalmente rolou um dia de sol e aproveitamos para ir visitar a ilha de Manly. A travessia com o ferry boat que saiu do porto de Sydney durou 30 minutos. A ilha é grande e muitas pessoas moram nela e trabalham em Sydney, pegando o ferry boat todos os dias.

Manly
Manly
Manly
Manly

O porto de Sydney funciona meio como uma estação de trem, sai ferry boat toda hora pra vários lugares, muito bem organizado. Ficamos só no centro de Manly, mas vimos umas fotos do lugar com praias bem bonitas. Era um dia de feriado escolar, e tinha uma escola de surf para crianças na praia. A garotada já começa a subir na prancha desde pequena.

Manly (escola de surf)
Manly (escola de surf)
Manly
Manly

No dia seguinte, fomos a algumas lojas de aluguel de carro em Sydney, queriamos alugar um motorhome, porque gostaríamos de continuar nossa viagem parando em vários lugares na costa. A maioria dessas lojas se concentra na Williams Street. Quando fiz minhas pesquisas na internet, vi preços baixos, mas estando na loja, descobri que os baratos eram velhos, pequenos e com mal cheiro, porque tinham carpetes. Os melhores eram bem mais caros. Eu já tinha uma ideia dos preços de hotéis presentes em nosso roteiro, então fizemos as contas, e decidimos alugar um bom carro e dormir confortavelmente em hotéis ou motéis, o valor sairia o mesmo.

Se visitarem Sydney, não deixem de entrar em uma das lojas de chocolate “Haigh’s Chocolates”, tem várias espalhadas pelo centro da cidade. São muito gostosos, com grande variedade de sabores e recheios.

Haigh’s Chocolates
Haigh’s Chocolates

Saímos de Sydney pela manhã em direção ao Qeensland, debaixo de chuva, mas cheios de entusiasmo, estávamos indo para o nordeste, onde o tempo estava bom e com muito sol.

Em torno a Sydney, tem muitas atrações para visitar, Blue Mountains é uma delas, se encontram apenas a 80 km de Sydney. Não podíamos fazer esse passeio debaixo de chuva e infelizmente perdemos, mas é possível fazer a excursão durante o dia, saindo pela manhã e voltando no final da tarde.

Além de usar a internet para fazer minhas pesquisas de viagem para Austrália, comprei também o melhor livro dos viajantes “Lonely Planet”, foi muito útil.

Sydney é uma metrópole, mas com características completamente diferentes daquelas que conheço. O trânsito não era caótico, as pessoas não corriam como loucas, e tive a impressão de que a qualidade de vida é colocada em primeiro lugar pelos residentes.

Sydney é uma daquelas cidades que da vontade de morar, de nem ir mais embora, senti isso no inverno, imagina no verão! Existem lugares que a gente chega e que não quer mais ir embora, eu, por exemplo, senti isso em mais duas cidades, Valência e Nice. Mesmo se gostamos de onde moramos, acho que às vezes conhecemos lugares com os quais nos identificamos muito, e que na hora de ir embora, bate uma tristezinha.

Queensland

Depois de ter tomado o café da manhã em nosso bar preferido, fomos pegar o carro que tínhamos alugado na loja, um Toyota automático, pagamos cerca de 500 doláres australianos por 10 dias. A gasolina na Austrália é muito barata, e não tinham pedágios nas estradas que percorremos, vale realmente a pena alugar um carro e fazer um on the road por esse país encantador.

Incluímos todos os seguros quando alugamos o carro, porque já tínhamos nos informado antes do perigo de atropelar animais na estrada, principalmente cangurus (um casal de amigos tinha atropelado um há alguns anos atrás, durante suas férias na Austrália, e o animal era tão grande, que destruiu  o carro). Na loja, nos informaram que se a gente atropelasse um canguru depois das 17h, o seguro não pagaria, porque depois que escurecia, esse tipo de acidente acontecia com mais frequência, os cangurus atravessam muito a estrada, e a noite a luz do farol chama a atenção deles.

Na Austrália, o volante do carro é do lado direito, dirige-se  como na Ingaterra. Saímos de Sydney as 11h30 debaixo de uma chuva danada em direção ao Queensland. A estrada estava em boa condição, ainda bem, porque dirigimos por quase 3000 km em pista dupla. O Queensland é um estado que está localizado na parte norte oriental da Austrália, se encontra no oceano Pacífico, tem um clima subtropical. É o lugar mais amado pelos australianos para passar as férias. Na costa do Queensland, corre o maior recife de coral do mundo: 2.900 km de barreira de corais interconectadas, 900 ilhas, 345 mil km quadrados, mais de 2200 km de comprimento e 1500 espécies de peixes. Nós tínhamos um sonho, e ele estava se realizando, conhecer a maior  e uma das mais bonitas barreiras de corais do mundo, e nossa meta era ir até Cairns pra visitá-la.

Mapas da costa que percorremos

Queríamos visitar Port Stephens que é a capital dos golfinhos e se encontrava a 2 horas de Sydney, em nossa direção, mas infelizmente a chuva não permitiu. Entramos na Gold Coast, nossa primeira parada depois de 4 horas de estrada foi na cidade de Port Macquarie. Decidimos parar porque a chuva estava muito forte, e dirigir nessas condições pode ser perigoso. No dia seguinte não estava chovendo, só estava muito nublado, aproveitamos para conhecer o hospital dos koalas “Koala Hospital”, que se encontrava em Port Macquarie. Esse hospital foi criado para ajudar os koalas feridos por automóveis, pelos cães selvagens e outros animais. Os koalas são animais muito pacíficos, não se defendem, então podem morrer ou se ferir muito facilmente quando são atacados. Esse hospital não recebe ajuda do estado, mas somente das pessoas que o visita. Encontra-se dentro de um parque cheio de verde e o bilhete inclui um passeio guiado dentro dele. Minha filha sonhava em pegar um koala no colo, mas nesse hospital não era permitido, mas o sonho continuava, tínhamos outros parques pra visitar ainda. Deixo aqui o endereço pra quem possa se interessar: Koala Hospital Macquarie Reserva Natural Lord Street Port Macquarie, NSW 2444.
Continuamos nossa viagem pela Pacific Hwy, ainda com muita chuva. Aqui vou dar uma resumida, pra não ficar muito comprida essa história. Infelizmente pegamos muita chuva até Brisbane, e decidimos nem parar, uma pena, era uma das cidades que gostaríamos de conhecer, mas o rio que atravessava a cidade já estava muito alto. A chuva não nos permitiu  visitar mais dois lugares de nosso roteiro, Byron Bay, que é famosa pelo surf, e Noosa Heads (mas fui embaixo da chuva dar pelo menos uma olhadinha na praia, que mesmo deibaixo d´água era linda). Demos uma paradinha em Surf Paradise, por sorte quando passamos nela, não estava chovendo. Mas não me encantou muito como cidade, muitos prédios altos pra o meu gosto, em uma cidade pequena de praia. Quanto mais subíamos em direção ao norte, menos chuva caia, até que chegamos a um ponto que o sol apareceu, e com ele o calor, que maravilha. Entramos na Sunshine Coast, e finalmente pudemos parar em uma das cidades onde tínhamos programado “Hervey Bay”, com um sol que iluminava tudo.

Hervey Bay
Hervey Bay

Fomos procurar um hotel e encontramos um bem legal de frente para o mar com bom preço, a diária pra um apartamento triplo custava 60 dólares australianos (claro que esse preço era para a baixa temporada). Deixamos nossas malas no quarto, e fomos diretamente para praia. Hervey Bay era uma gracinha, com casas baixas, ruas limpas, barzinhos, restaurantes e praia bonita.

Hervey Bay
Hervey Bay

Tiramos os sapatos e caminhamos na areia, era uma belissima sensação depois de todos esses dias de chuva e friozinho. Caminhando pela praia, passamos por um barzinho que estava tocando um reggae brasileiro, aproveitamos pra parar e tomar uma cervejinha gelada e ver o pôr do sol. Que espetáculo!

Hervey Bay
Hervey Bay
Hervey Bay
Hervey Bay

Quando voltamos para o hotel, já estava escurecendo, e no caminho, começamos a escutar um canto fortíssimo de vários pássaros, descobrimos que eles se encontram nas árvores no início da noite e cantam por muito tempo, muito interessante, ficamos parados observando esse inusitado fenômeno desconhecido por nós três. Chegavam pássaros e pássaros continuamente, a árvore que estávamos observando já estava lotada. Existem muitas espécies de pássaros na Austrália, são livres e muito coloridos, vimos muitos papagaios australianos livres nas cidades do Queensland que visitamos, sem chuva é claro. São lindíssimos. De Hervey Bay, partem excursões para a ilha de Fraser Island, mas nós tínhamos escolhido visitar outra ilha, que se encontrava mais pra frente.

Hervey Bay
Hervey Bay

Comentários

  • Ola, aqui é a Mirella do blog Mikix no Mundo 🙂
    Passando por aqui para avisar que estamos selecionando alguns dos seus posts que fará parte do domingão de twittadas da Australia (final de Agosto!).
    Abs