Assim como o Brasil, o México é um país grande e diverso e cada cidade ou região que você visitar lhe dará uma visão diferente. Se alguém viaja só para Cancún ou Riviera Maia, por exemplo, verá um México mais “agringado”, como dizem os próprios mexicanos. Para conhecer um México mais genuíno, com suas tradições, comidas típicas, música, roupas coloridas, visitamos o estado de Oaxaca (fala-se Oarraca), a 470 km da Cidade do México. Ficamos três dias em Oaxaca de Juarez e foi uma de nossas preferidas no país.

A cidade de Oaxaca de Juarez é a capital do estado de Oaxaca. O estado é o mais indígena do México, com 16 etnias. Já a cidade tem o terceiro maior Centro Histórico do México. Essa rica herança de tradições indígenas e espanholas é o que faz a cidade uma das mais tipicamente mexicanas.

Em Oaxaca, você irá encontrar todos os esteriótipos mexicanos em um lugar só: mariachis com toda a sua vestimenta, inclusive os enormes sombreiros; mulheres com roupas bordadas e coloridas (as roupas que Frida usava eram, na maioria, de Oaxaca); chapulín (grilo) frito sendo vendido na rua, e um povo receptivo e festivo.

Como chegar

Nós chegamos em Oaxaca vindos de San Cristobal de las Casas, no estado de Chiapas. E depois seguimos para Cidade do México. Fizemos os dois trajetos de ônibus, com a empresa ADO, que é a maior do país. O trajeto entre Oaxaca e a Cidade do México dura entre 5h30 a 6h.

Onde ficar

O melhor lugar para se hospedar em Oaxaca é próximo ao Zócalo, praça principal do centro histórico. Ficando nessa localização é possível conhecer as principais atrações da cidade a pé.

Nós ficamos no Hotel Posada del Centro, que recomendo muito. O hotel é bem localizado, tudo muito bonitinho, no estilo casarão mexicano, os quartos são confortáveis e os funcionários são bem prestativos. Nós chegamos de madrugada, muito cansados de San Cristobal, e eles nos acomodaram em um quarto, muito antes do horário do check in.

O hotel tem também um restaurante muito bom, com comidas deliciosas e um ótimo atendimento.

Roteiro para 3 dias

O mínimo de dias necessário para conhecer a cidade de Oaxaca de Juarez e as várias atrações do seu entorno são 3, que foi justo o tempo que ficamos, mas gostaria de ter ficado mais.

Dia 1

Reserve o primeiro dia para conhecer o centro histórico da cidade, que é Patrimônio Mundial da Unesco, e tem dezenas de lugares que valem a visita. Comece pelo Zócalo, onde estão a Catedral de Nuestra Señora de la Asunción, o Palácio do Governo e o Templo da Companhia de Jesus. No entorno do zócalo também estão vários restaurantes, ambulantes e sempre há algo acontecendo, como apresentação de mariachis e artistas de rua. Por isso, é interessante também voltar à noite.

Catedral de Nuestra Señora de la Asunción
Catedral de Nuestra Señora de la Asunción
Palácio do Governo de Oaxaca
Palácio do Governo de Oaxaca

Saindo do zócalo, siga pela Calle Macedonio Alcalá, uma bonita rua de pedestres que leva até o Templo de San Domingo Guzman e o Museu de Culturas de Oaxaca, que são atrações imperdíveis da cidade. Importante lembrar que o museu não abre às segundas. A entrada é paga.

Calle Macedonio Alcalá
Calle Macedonio Alcalá
Templo de San Domingo Guzman
Templo de San Domingo Guzman
Museu de Culturas de Oaxaca
Museu de Culturas de Oaxaca

Quem desejar, pode visitar ainda o Jardim Etnobotânico, que fica no pátio do antigo convento. A visita ao jardim só é permitida com guia, mas é possível ver o jardim das janelas do museu de culturas.

Jardim Etnobotânico
Jardim Etnobotânico

Por sorte, no dia que chegamos em Oaxaca, havia uma festa, como um Carnaval, que acompanhamos pela Calle Macedonio Alcalá. Estavam todos vestidos tipicamente, as crianças ofereciam doces aos participantes e, aos homens, doses de Mezcal. O desfile seguia ao som da música típica mexicana e também havia bonecos gigantes, como os de Olinda.

Festa nas ruas de Oaxaca
Festa nas ruas de Oaxaca

Na volta da Calle Alcalá em direção ao zócalo, veja a bela fachada do Teatro Macedonio Alcalá. Outros lugares que podem ser visitados neste mesmo dia são o Templo de San Juan de Dios, o Tempo de San Felipe Neri e a Basílica de Nuestra Señora de la Soledad.

Basílica de Nuestra Señora de la Soledad
Basílica de Nuestra Señora de la Soledad

Dia 2

No nosso segundo dia em Oaxaca fizemos um passeio de um dia todo super completo que incluiu visita à Árbol del Tule, uma árvore de mais de 2 mil anos que fica no município de Santa Maria del Tule, próximo a Oaxaca. É famosa por ser uma das maiores árvores do mundo, com 42m de altura e 58m de circunferência.

Árbol del Tule
Árbol del Tule

Depois seguimos para fábrica de tecelagem e uma tradicional fábrica de Mezcal, bebida típica de Oaxaca.

Fábrica de Mezcal
Fábrica de Mezcal

No passeio visitamos também as construções pré-colombianas de Mitla, o segundo mais importante sítio arqueológico do estado de Oaxaca. Também declarado Patrimônio Mundial da Unesco, Mitla foi construída pelos zapotecas, tendo sido depois dominada pelos mixtecos. O sítio arqueológico é muito bem preservado e cheio de detalhes, como pinturas, frisos e mosaicos em formatos geométricos.

Mitla
Mitla

A última parada do passeio foi em um dos lugares mais bonitos do estado de Oaxaca, o Hierve el Agua, um conjunto de formações rochosas naturais que parecem cascatas de água. Um lugar difícil de descrever tamanha a beleza. Vejam nas fotos como é lindo!

Hierve el Agua
Hierve el Agua
Hierve el Agua
Hierve el Agua

Esse passeio que fizemos é oferecido por várias empresas em Oaxaca, fechamos o nosso na própria pousada e achamos que vale muito a pena, pois reúne lugares importantes no entorno da cidade, que se fôssemos visitar por conta própria iríamos gastar bem mais tempo e dinheiro.

Dia 3

No nosso último dia em Oaxaca, visitamos o sítio arqueológico mais importante do estado: o Monte Albán, também Patrimônio Mundial da Unesco. Reserve pelo menos meio período para esta visita.

Monte Albán
Monte Albán

Para ir até o sítio arqueológico, pegamos um ônibus que sai da rua 20 de Noviembre y Aldama, em frente ao mercado Benito Juarez, que você também pode visitar antes de ir ao Monte Albán ou na volta. O ônibus sai a cada hora das 8h30 até às 15h30. E retorna também a cada hora das 12h às 17h. Aos sábados, domingos e na alta temporada, as saídas são feitas a cada meia hora.

O Monte Albán é um dos sítios arqueológicos mais bonitos do México. Com mais de 2 mil anos, o lugar foi a capital dos Zapotecas. As construções são grandiosas e em formato de pirâmide.

A entrada do Monte Albán inclui a visita ao museu, que guarda parte da coleção de estelas encontrados no sítio arqueológico, que mostra o desenvolvimento do sistema de escrita dos zapotecas no período de ocupação do sítio arqueológico, entre 500 a.C. a 800 d.C.

O que comer

Oaxaca de Juarez é uma das cidades do México onde é possível ter ótimas experiências gastronômicas e pagando bem menos do que em outras regiões, como na Riviera Maia e na própria Cidade do México. O destaque vai para os pratos com moles, tipos de molhos típicos da região.

Prato com mole negro
Prato com mole negro

Não deixe de provar também os deliciosos elotes ou esquites, milho cozido com maionese, queijo ralado, suco de limão e pimenta, que são vendidos por vários ambulantes no zócalo.

Para quem gosta de experimentar comidas exóticas dizem que quem prova os chapulíns fritos (quando fritos, eles ficam vermelho, daí o nome do personagem Chapolim Colorado) é certeza voltar a Oaxaca.

Apesar de queremos muito voltar à cidade um dia, passamos essa. =)


Comentários

  • Alessandra Fratus

    Adorei! Ótimas dicas! Obrigada!!