Parque das Ruínas no Rio de Janeiro: centro cultural e mirante com visita gratuita

Interior do Parque das Ruínas
Interior do Parque das Ruínas

Depois do Real Gabinete Português de Leitura, um dos passeios mais interessantes que fizemos em nossa última viagem ao Rio de Janeiro foi ao Parque das Ruínas, no bairro de Santa Teresa. Trata-se de um centro cultural que funciona, nas ruínas de um antigo palacete, e de onde é possível ter vista para alguns dos principais cartões postais da cidade, como o Cristo Redentor, a Baía de Guanabara, a Catedral e os Arcos da Lapa. Assim como no Real Gabinete, a entrada é gratuita.

As ruínas são de um neo-colonial, construído entre 1898 e 1902 e que pertencia a Laurinda Santos Lobo, mecenas das artes do Rio de Janeiro, que realizava famosos bailes e saraus, que contavam com a presença de artistas como Villa Lobos e Tarsila do Amaral.  O casarão era considerado o ponto de encontro do modernismo no Rio.

Laurinda faleceu em 1946 e não deixou herdeiros. O casarão foi deixado, em testamento, para a Sociedade Homeopática, que nunca tomou posse. Com o abandono, o prédio foi saqueado e ocupado por moradores de rua.  

Vista do alto do Parque das Ruínas
Vista do alto do Parque das Ruínas
Vista para o Centro do Rio do alto do Parque das Ruínas
Vista para o Centro do Rio do alto do Parque das Ruínas
Parque das Ruínas une as ruínas à estrutura modernista de ferro e vidro
Parque das Ruínas une as ruínas à estrutura modernista de ferro e vidro

Em 1996, a prefeitura do Rio encomendou um projeto desenvolvido pelos arquitetos Ernani Freire e Sônia Lopes, que uniram às ruínas do palacete a novas estruturas, em ferro e vidro. Após a reforma, o espaço foi aberto em 1997 para funcionar como centro cultural, que inclui teatro, galeria de arte, palco externo, parque infantil, terraços panorâmicos e café.

No terraço que fica no alto do prédio é possível ter uma vista para o centro do Rio, o Corcovado, para Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar, estes dois últimos também podem ser vistos do terraço ao lado do café.

O passeio ao Centro Cultural pode levar 1h ou 2h dependendo do ritmo do viajante, pois rende muitas fotos e também pode ser um bom lugar para descansar, tomar um café ou brincar com as crianças.

Endereço: Rua Murtinho Nobre, 169 Santa Teresa
Telefone: (21) 2215-0621/ 2224-3922
Horário: Aberto de terça-feira a domingo, das 8h às 18h.


Real Gabinete Português de Leitura: a impressionante biblioteca pública no centro do Rio de Janeiro

O Real Gabinete Português fica na rua Luís de Camões, no centro do Rio
O Real Gabinete Português fica na rua Luís de Camões, no centro do Rio

Na Rua Luís de Camões (poeta português autor de “Os Lusíadas”), número 30, em frente ao Largo Alexandre Herculano, no Centro do Rio de Janeiro, fica um dos lugares mais impressionantes da cidade: O Real Gabinete Português de Leitura. Uma biblioteca pública, quase bicentenária, que mais parece cenário de filmes como Harry Potter ou A Bela e a Fera e já foi eleita pela revista Time (2014), a quarta biblioteca mais bonita do mundo.

A entrada é gratuita. Vale a pena dar um tempo nas praias cariocas e incluir o Real Gabinete, durante uma visita ao Centro.

Em maio de 2019, o Real Gabinete Português de Leitura completa 182 anos. Trata-se da associação mais antiga criada pelos portugueses no país após a independência do Brasil.

Elis, aos 9 meses, deslumbrada com o Real Gabinete
Elis, aos 9 meses, deslumbrada com o Real Gabinete

A sede foi inaugurada pela Princesa Isabel, no ano 1887. Antes, o Gabinete funcionou em outras 3 endereços. A sede própria foi construída em estilo neomanuelino (referência a D. Manuel I), e sua fachada foi inspirada no Mosteiro dos Jerônimos, em Lisboa. A fachada traz quatro estátuas, que representam Pedro Álvares Cabral, Luís de Camões, Infante D. Henrique e Vasco da Gama. O prédio é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural.

O Real Gabinete dispões de cerca de 350 mil volumes, incluindo milhares de obras raras, tais como a edição “prínceps” de ” Os Lusíadas”, de 1572, que pertenceu à Companhia de Jesus; as “Ordenações de Dom Manuel” por Jacob

Detalhes do Real Gabinete Português de Leitura
Detalhes do Real Gabinete Português de Leitura

Cromberger, editadas em 1521; os “Capitolos de Cortes e Leys que sobre alguns delles fizeram”, editados em 1539; além de manuscritos do “Amor de Perdição”, de Camilo Castelo Branco e o “Dicionário da Língua Tupy, de Gonçalves Dias. E ainda mais centenas de cartas de escritores.

O acervo está à disposição para leitura e pesquisa e quem quiser ter acesso pode se associar na sede da própria instituição ou ter acesso ao acervo digitalizado através do site da instituição, neste link.

O Real Gabinete também recebe curiosos e turistas que visitam o lugar apenas para admirar a beleza do lugar, que encanta apaixonados por livros e arquitetura e surpreendeu até mesmo nossa filhinha Elis, na época com 9 meses.

O horário de funcionamento é de segunda à sexta, das 9h às 18h.

*Com informações do site do Real Gabinete Português de Leitura.


Trilha do Morro da Urca no Rio de Janeiro

Além dos passeios tradicionais, são muitas as opções de trilhas para fazer na cidade do Rio de Janeiro e todas elas têm como prêmio no final, uma paisagem deslumbrante para a Cidade Maravilhosa. Uma trilha fácil, acessível e com uma vista extraordinária é a do Morro da Urca, que fizemos na nossa última ida à cidade.

Praia Vermelha, Rio de Janeiro
Praia Vermelha, Rio de Janeiro

A trilha começa na Praia Vermelha, no bairro da Urca, no mesmo local de onde saem os bondinhos para o Pão de Açúcar. Aliás, para quem não sabe, o Morro da Urca é o morro vizinho ao Pão de Açúcar.

Entrada para a Trilha da Urca
Entrada para a Trilha da Urca

Como já fizemos o passeio do bondinho mais de uma vez, desta vez, fizemos a trilha. Ao lado da Praia Vermelha, você irá encontrar um portão e uma placa “Pista Cláudio Coutinho – Monumento Natural dos Morros do Pão de Açúcar e da Urca”. A entrada para a trilha é por aí.

Pista Claudio Coutinho, onde começa a trilha
Pista Claudio Coutinho, onde começa a trilha

Já no começo pela pista de cooper é possível ver belas paisagens para a Praia Vermelha e pequenas ilhas em volta. Em um paredão ao lado desta pista, algumas pessoas também fazem rapel.

Logo, é possível ver o início  da trilha propriamente, que é quase toda subindo uma escadaria. Para fazer tudo leva em média uns 40 minutos, mas dá para fazer em menos tempo, para quem está em boas condições físicas. O percurso tem 900 metros e a altitude vai de 20 metros, no início, a 220 metros lá no alto do morro.

A trilha é de nível fácil, mas como é quase toda de escadas é preciso ter fôlego e não ter problema de acessibilidade. Como a trilha é dentro da mata, o caminho é todo pela sombra. Mas não esqueça de levar água, pois o calor é bem intenso.

Vista no início da trilha
Vista no início da trilha
A trilha para Morro da Urca
A trilha para Morro da Urca

No caminho, você também pode ver alguns saguis ou miquinhos, mas não caia na tentação de alimentá-los. Inclusive, tem vários avisos dizendo que é proibido alimentar os animais. 

Já no final da trilha, as paisagens começam a se revelar: a Praia Vermelha, o Corcovado com o Cristo Redentor. E do outro lado, o Pão de Açúcar, com os bondinhos subindo e descendo (foto em destaque); a Enseada de Botafogo, a Praia do Flamengo, o Aeroporto Santos Dumont, a Ponte Rio-Niterói, Niterói e tantos outros cartões postais do Rio.

Em cima do Morro da Urca têm restaurantes, lanchonetes, lojas. Dá para descansar bem e admirar com calma as belas paisagens do Rio de Janeiro. Se quiser, retornar caminhando, a volta é ainda mais rápida. Se preferir descer de bondinho, o Trecho Morro da Urca – Praia Vermelha custa R$ 25,00 (inteira) e R$ 12,50 (meia). Se quiser subir de bondinho do Morro da Urca até o Pão de Açúcar e descer até o Morro da Urca, custa R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Já o trecho Morro da Urca – Pão de Açúcar – Morro da Urca – Praia Vermelha: R$ 65,00 (inteira) e R$ 32,50 (meia). O passeio completo de bondinho sai por R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). E a trilha é totalmente grátis. 

Vista da trilha do Morro da Urca
Vista da trilha do Morro da Urca
Praia Vermelha vista do Morro da Urca
Praia Vermelha vista do Morro da Urca

Se você fizer a trilha mais cedo, acho que vale um merecido descanso na Praia Vermelha. Estava desejando esse banho de mar depois da trilha, mas como já fomos a tarde, quando descemos já estava anoitecendo e tinha esfriado (fomos em junho). Mas em compensação, indo a tarde, vimos o sol se pondo ao lado do Corcovado. Um espetáculo lindo, mesmo estando nublado.

Aeroporto Santos Dumont e ponte Rio-Niterói
Aeroporto Santos Dumont e ponte Rio-Niterói

Importante: o portão de acesso à trilha está aberto todos os dias, das 8h às 18h (até às 19h no horário de verão).

Pôr do Sol na Enseada de Botafogo
Pôr do Sol na Enseada de Botafogo

Além da trilha ser tranquila, senti que era segura, por estar dentro de uma área fechada. Nós fomos em um grupo de 5 pessoas e no caminho, encontramos várias pessoas fazendo a trilha também.

Sol se pondo ao lado do Corcovado
Sol se pondo ao lado do Corcovado

Fazer a trilha do Morro da Urca foi um ótimo jeito de rever belas paisagens do Rio, sem gastar nada. Sobrou dinheiro pro açaí e pra cerveja no fim da trilha. =)

Obrigada ao nosso amigo Tom, que nos levou para fazer a trilha. 😉

Reserve sua hospedagem no Rio de Janeiro

Quer viajar para o Rio de Janeiro? Confira estas promoções que encontramos para você!

Bate – volta: Roteiro de 1 dia em Petrópolis (RJ)

O inverno é a época ideal para conhecer as cidades serranas fluminenses. Petrópolis é a maior e mais famosa delas e foi a nossa escolhida para fazer um bate-volta saindo do Rio de Janeiro. Conhecida como Cidade Imperial, Petrópolis foi fundada pelo próprio imperador Dom Pedro II e foi batizada assim pela junção dos nomes em latim de Pedro (Petrus) +  cidade, em grego (Pólis), ficando “Cidade de Pedro”. Ainda na época do Império, recebeu colonos açorianos, italianos e, principalmente, alemães. Os prédios imperiais e as construções de arquitetura com forte influência alemã deram a cidade um ar de cidade europeia. Um charme de lugar!

Continuar lendo Bate – volta: Roteiro de 1 dia em Petrópolis (RJ)