Lençóis Maranhenses – roteiro do Igor Castro

Olá pessoal, me chamo Igor Castro (para quem quiser tirar dúvidas ou ver mais fotos da viagem meu insta: @iguinhocastro). Fui convidado pela Karla Larissa para compartilhar com vocês as minhas aventuras nos Lençóis Maranhenses e aproveitar para dar dicas e sugestões.

Tive dois meses para me organizar e decidir para aonde ir nas férias. Depois de desistir de ir a Europa (já fui 4 vezes), queria mudar e conhecer um lugar novo, diferente. Fiquei entre um tour pelo litoral do Nordeste (São Luis à Maragogi) ou América do Sul (Chile, Argentina, Paraguai, Peru e Bolívia). Decidi pela primeira opção, porque mais 3 amigos queriam fazer o roteiro do Nordeste e com amigos a viagem ficaria mais divertida, além de ser sempre bom conhecer o nosso país. Apesar de que viajar sozinho é muito bom também, se abre um leque de oportunidades que quando se está em grupo pode não acontecer.

Eu sou potiguar, mas moro em São Paulo há quase 10 anos, decidi ir a Natal, já que meus amigos só entrariam de férias depois e encontraria com eles em São Luís. Infelizmente em Natal não tem voo direto para São Luís, sendo uma dor de cabeça já no começo da viagem, pois o voo mais curto duraria 8 horas com parada no Rio de Janeiro ou São Paulo ou Brasília, decidi pelo Rio de Janeiro. Pensei na possibilidade de ir ao Recife ou Fortaleza, pois dessas cidades teriam voos diretos, mas o trajeto daria na mesma quantidade de horas.

Sem delongas…

Tem 3 cidades próximas aos Lençóis Maranhenses: Barreirinhas, Santo Amaro e Atins. Decidimos ficar com Barreirinhas, pois é a cidade mais moderna entre as três. Contratamos um translado de São Luís para Barreirinhas (R$ 80,00), Barreirinhas para Parnaíba (R$ 100,00) e Parnaíba para Jericoacoara (R$ 100,00). Essa rota é chamada de Rota das emoções. Mas meu foco aqui será os Lençóis. O translado foi super positivo, pois deram várias dicas, além do transporte seguro e confortável. A empresa que contratamos foi a Rota Combo. A empresa faz exigência de no máximo 10 kg de bagagem por pessoa, mas eles não conferiram, talvez porque a minha mala era de médio porte.

Cheguei em São Luís na madrugada do dia 10 de setembro de 2018 e fiquei esperando no aeroporto meus amigos chegarem, cada um veio num voo diferente, lembrando que o aeroporto de São Luís tem poucas opções de lanches e os preços são salgados. O transfer nos pegou às 8 horas, direto para Barreirinhas, o que durou torno de 4 horas de viagem numa van. A estrada é pregaria, então prepare-se para subidas e decidas bruscas. Confesso que não senti nada, estava tão cansado das 8 horas de viagem que dormi “bem” durante o trajeto.

Nos hospedamos na Pousada Murici, que fica a 700m do centro, bem perto e se localiza no Rio Preguiça (onde dá para nadar e curtir bastante esse rio). A pousada é bem aconchegante, possui quartos com varanda e estacionamento privativo gratuito. Tem restaurante, wi-fi, redário, local para jogos (sinuca, tênis de mesa e pingue-pongue), piscina… e um ótimo atendimento. A pousada pode providenciar os passeios pelos lençóis. Valores: pagamos R$ 300,00 a diária, um quarto para 4 pessoas, mas sendo alta temporada ou dependendo do dia os valores podem alterar.

Rio Preguiças, em frente a Pousada Murici
Rio Preguiças, em frente a Pousada Murici

Existem 3 modos de ir de São Luís para Barreirinhas ou para as outras cidades, de táxi (você terá autonomia, mas imagine 4 horas de viagem, sairia caríssimo) , de van (algo em torno de R$ 60,00, acredito que depende da época, eles pegam e te deixam onde desejar) e de ônibus (algo em torno de R$ 50, mas você terá que ir a rodoviária e depois pegar um táxi até o hotel, dando o mesmo custo da van ou mais) ou carro alugado (acredito que não compensaria, a locomoção feita na região é por carro 4×4 e os passeios tem que ter guia), ou seja, acredito que a van seja a melhor opção.

E essa é minha primeira dica: se você não quer perder tempo, e se sua opção for o translado, é melhor comprar antes de viajar, pois pelo que vi eles gostam de formar grupos cheios e não seria legal você chegar lá e não ter vaga para o dia desejado (principalmente em alta temporada). Confesso que queria ter ficado uns dias em São Luís para conhecer a cidade, mas tínhamos pouco tempo para aproveitar o restante das cidades escolhidas.

Segunda dica: a melhor época que indicam ir aos Lençóis é entre junho e o início de setembro (lembrando que fui no início de setembro, dia 10/9), pois as lagoas estarão cheias e o sol vivo. Janeiro a maio são os meses de chuva, principalmente entre março e abril, mas acreditem sempre tem turistas nessa época, segundo os guias.

mapaparquelençóis
Mapa dos Lençóis Maranhense:

 

Terceira dica: antes de reservar uma pousada/hotel/hostel verifique quais passeios você vai fazer. Pois dependendo de onde você vai ficar, o trajeto entre seu hotel para o local do passeio pode demorar torno de 2 horas (só a ida) e acredito que você não quer perder tempo, certo?

Nós decidimos fazer 3 passeios: Lagoa Azul (R$ 50,00), Lagoa Bonita (R$ 65,00) e Atins (R$ 130,00). E acredito que foi o suficiente. Pois já no terceiro passeio estávamos cansados dos trajetos e o visual apesar de ser belíssimo, acabava sendo repetitivo. Existem vários tipos de passeios, de quadriciclo, de avião, tem trilhas para conhecer todos os lençóis, acampando, entre outros.

LAGOA AZUL

Lagoa Azul, Lençóis Maranhenses
Lagoa Azul, Lençóis Maranhenses

Chegamos em Barreirinhas ao meio dia, mais ou menos, e marcamos um passeio para o mesmo dia das 14 às 18 horas. E pela emoção, pela adrenalina do dia foi tudo maravilhoso.

Tivemos duas pausas no caminho, uma para comprar água (o que é essencial, pois nos Lençóis não se vende nada, por ser uma área preservada – inclusive é proibido levar bebida alcoólica) e outra para pegar uma balsa e atravessar o rio Preguiça (famoso na região, existe até passeio de barco pelo rio – a maioria das pousada/hotéis em Barreirinha tem um pedacinho particular do rio). Nos 3 passeios tiveram essas pausas e o preço para atravessar a balsa está incluso no valor do passeio.

O trajeto é feito em um carro 4×4, onde cabem 12 pessoas (sempre vão as 12 pelo que observei), se tiver mais eles vão num carro maior onde as pessoas vão na cabine, cabendo 16 pessoas – sem o motorista. A rota é só de areia, então eles vão com uma velocidade boa para não atolar (presenciei alguns atolamentos). O trajeto é um pouco pesado, sobe e desce dunas, quase um rali. E tem muitas árvores no caminho, então cuidado redobrado para nenhum galho te arranhar, sem falar de mosquitos/marimbondos que aparecem mais na volta (à noite).

Pôr do sol na Lagoa Azul
Pôr do sol na Lagoa Azul

Eu fui aos lençóis sem expectativas, sabia que era bonito pelas fotos, mas não esperava ver o que vi. Parece clichê, mas é incrível, você sente a presença de Deus. Lembro bem de parar e agradecer muito pelo que estava vendo. O que estava vendo? Uma imensidão de dunas com lagoas cristalinas (até peixe tinha em algumas), um lugar mágico que exala paz, fiquei completamente de queixo caído. Não conhecemos só a lagoa azul, mas várias outras que estavam no caminho, como a Lagoa da Preguiça, Esmeralda e da Paz, tem uma parada em todas e dá para aproveitar um pouco de cada uma. É proibido veículos motorizados nas dunas, então o trajeto é feito todo a pé.

Então mais uma dica, se estiver grávida ou com filhos pequenos saiba dos “perigos” que irá enfrentar. Eu presenciei grávidas, idosos e crianças… e muitas reclamações também. Então pense bem antes de ir.

LAGOA BONITA

Lagoa Bonita, Lençóis Maranhenses
Lagoa Bonita, Lençóis Maranhenses

O trajeto é quase o mesmo que a Lagoa Bonita, com muitas árvores e galhos que passam perto do carro (cuidado para não se machucar), o passeio começa às 14h até o pôr do sol.

Quando chegamos, tem que subir uma duna de 40 metros. Mas se você tiver certa idade pode pedir para eles fazerem outro trajeto e te deixar lá em cima, como tinham idosos e criança no mesmo carro que a gente, eles fizeram essa gentiliza e escapamos dessa subida. Vi o pessoal subindo com ajuda de corda, não é nada agradável. Mas quando chega e ver aquele visual você esquece tudo que passou, vale muito a pena.

Diferente da Lagoa Azul, a Lagoa Bonita tem uma imensidão de dunas, que parece não ter fim e no caminho passa pela lagoa do Clone (onde foi gravadas cenas da novela “O Clone”).

O destaque fica para o pôr do sol, um dos mais bonitos que já vi.

No retorno, fui picado por um marimbondo e não foi nada legal, então cuidado na volta, que normalmente é feita a noite (como já citado).

ATINS

Igor em Atins, Lençóis Maranhenses
Igor em Atins, Lençóis Maranhenses

Terceiro dia, e já estávamos exaustos. E esse passeio foi o mais longo, porque estava em Barreirinhas, o que durou 2 horas para chegar aos Lençóis de Atins. Duração do passeio das 9 às 18 horas, com parada para almoço.

Os dias que fomos, algumas lagoas no caminho de Atins estavam secas e quando finalmente chegamos a Lagoa Sem Nome, e não conseguimos aproveitamos muito, pois estava ventando demais, ventos fortes com areia. Depois fiquei sabendo que era normal nessa região. Saímos de lá e fomos numa região onde o rio encontra o mar, onde aproveitamos para descansar e ver algumas pessoas praticarem kitesurf. Saindo de lá, almoçamos num restaurante da região (Restaurante do Sr. Antônio) gastamos algo em torno de R$ 60 com a bebida, mas pelo movimento que estava no dia, esperamos mais de 1 hora para o pedido chegar. Estava acontecendo uma festa entre os guias/bugueiros, com direito a forró e bingo. O restaurante tem uma parte de redário, que dá para descansar, mas como a comida demorou não tivemos tempo para isso. Saindo de lá, mais uma parada para uma lagoa chamada de Capivara, onde podemos curtir mais um belíssimo pôr do sol.

A volta foi a pior de todas. Estava bem escuro, lá nas dunas (obviamente) não tem iluminação e tivemos que refazer duas vezes a rota, porque tinha algumas áreas alagadas. Imagina você no meio do nada, num carro 4×4 numa velocidade considerável, só aquele som de grilo, um breu, o que compensava era o céu estrelado. Mas confesso que foi muita adrenalina e apareceu uma eternidade. Mas deu tudo certo no final.

Depois da experiência, eu só faria dois passeios de 4×4 e outro de quadriciclo ou helicóptero (por ser diferente, vamos dizer assim). Bom, os Lençóis são tudo isso e mais um pouco, confesso que me surpreendeu muito e super recomendo que todos visitem pelo menos uma vez.


Passeio de Buggy em Jericoacoara: Lagoas do Paraíso e Azul, Praia do Preá, Árvore da Preguiça e Pedra Furada

Em Jericoacoara, no Ceará, a melhor maneira de conhecer as principais atrações é fazendo um passeio de buggy. O mais tradicional é o passeio pelo Leste, que incluí as famosas lagoas do Paraíso e Azul, a praia do Preá, a Árvore da Preguiça e a Pedra Furada. Fizemos o passeio na viagem que fizemos com nossos sobrinhos, no último fim de semana, e eles adoraram. Conto como foi neste post.

Continuar lendo Passeio de Buggy em Jericoacoara: Lagoas do Paraíso e Azul, Praia do Preá, Árvore da Preguiça e Pedra Furada