Lançamento do “Dois no Mundo” foi um sucesso

Feliz demais! Quase 30 horas após o evento de lançamento do meu livro “Dois no Mundo”, na quarta-feira (8), em Natal, só agora consegui parar para dizer que foi um sucesso (modéstia completamente a parte)! Eu realmente não esperava tanta gente, mas passei 3 horas sem parar fazendo dedicatórias e a fila parecia não ter fim. Recebi familiares, amigos, mas também leitores do blog, gente que assistiu as entrevistas na TV e até minha primeira professora estava lá. Foi muito emocionante!

Evento de lançamento foi um sucesso
Evento de lançamento foi um sucesso

Continuar lendo Lançamento do “Dois no Mundo” foi um sucesso


Lançamento do meu livro “Dois no Mundo” será nesta quarta-feira (8)

Nasceu! Depois de 2 anos e alguns meses de gestação, nesta quarta-feira (8), será o lançamento do meu primeiro livro “Dois no Mundo – Histórias de um casal que viajou por cinco continentes”, que traz histórias da nossa Volta ao Mundo (2013) e do Dois na América (2015). O evento de lançamento será em Natal, no restaurante Flor de Sálvia, a partir das 19h. Estão todos convidados! Mas, quem não mora na capital potiguar, também pode adquirir o livro e receber em casa, pois faremos entrega para todo o Brasil. Continuar lendo Lançamento do meu livro “Dois no Mundo” será nesta quarta-feira (8)


Pré-venda do meu livro “Dois no Mundo”

Começa hoje a pré-venda do meu livro “Dois no Mundo”. Resultado de dois anos de trabalho, em que escrevi as histórias de nossas viagens pelos cinco continentes (Volta ao Mundo e Dois na América). A publicação será pela Fortunella Casa Editrice.

Escrever o livro, para mim, é realização de um sonho do qual, em muitos momentos, por medo, quase abri mão. Estou muito feliz em por poder compartilhar com vocês histórias inéditas das nossas viagens, momentos marcantes em nossas vidas e que mudaram os nossos caminhos. O livro é também uma homenagem aos amigos que fizemos na estrada e as pessoas que nos apoiaram em nossas viagens.

Capa Dois no Mundo
Capa Dois no Mundo

Leia a apresentação do livro:

“E se a gente largasse tudo para viajar pelo mundo?”. Ela fez a pergunta sem esperar que fosse receber, imediatamente, um “sim”. Seis meses depois, em abril de 2013, o casal Karla Larissa e Fred Santos se desfizeram do que tinham e saíram para uma viagem de volta ao mundo. Foram sete meses e vinte países, em cinco continentes. Continuar lendo Pré-venda do meu livro “Dois no Mundo”


Países para quem gosta de comer bem

Para algumas pessoas, na hora de escolher um destino para viajar, tão importante quanto belas paisagens, atrações interessantes e povo receptivo, é a gastronomia. Este post é resultado de uma pesquisa do Instituto Compartilhe Viagens de Pesquisa, ou seja, com base nos países em que eu e Fred mais gostamos da comida! haha São 9 países para quem gosta de comer bem. E não estou falando de restaurantes caros. Mas de países onde é possível comer bem até mesmo em barraquinhas de rua e restaurantes baratinhos. Os países estão na ordem de nossa preferência gastronômica!

Continuar lendo Países para quem gosta de comer bem


Vídeo: #VidaNômadePipa e entrevista com uma nômade moderna

Deu muito trabalho, mas ficou pronto o nosso vídeo sobre a #VidaNômadePipa. Hoje estreamos um novo formato de vídeos para o blog em que eu pago mico  finalmente apareço fazendo comentários sobre a viagem (neste caso, como foi a experiência de morar em Pipa) e realizando entrevistas. Neste projeto do #VidaNômade sempre irei entrevistar alguém que tenha uma história interessante relacionada a morar em diferentes cidades do mundo. Neste primeiro vídeo, entrevistei a Guillermina Pistelli, que foi minha professora de yoga em Pipa e que tem uma boa bagagem de viagens e também experiência morando em diferentes países.  Continuar lendo Vídeo: #VidaNômadePipa e entrevista com uma nômade moderna


Roma e Vaticano: roteiro para 3 dias

Roma é uma das cidades mais visitadas da Europa e do Mundo. E há tanto o que ver e visitar que acho que nem em uma vida é possível conhecer tudo. Por isso, é importante planejar bem a viagem para lá. E foi exatamente o que não fizemos! hehe Chegamos lá em pleno feriadão nacional e a cidade mais parecia um carnaval fora de época. Tivemos que ficar em um camping distante, por falta de hospedagem, e depois num cafofo. Mas é pra isso que serve o blog, a gente erra para ajudar a vocês a acertarem! 🙂

Neste post organizei um roteiro em Roma e Vaticano para 3 dias, visitando o que há de mais imperdível na cidade.

Coliseu
Coliseu

Continuar lendo Roma e Vaticano: roteiro para 3 dias


Siena e San Gimignano: as perólas da Toscana (roteiro para 1 dia)

Siena e San Gimignano são as pérolas da Toscana: pequenas e preciosas. As duas cidades são Patrimônio Mundial da UNESCO e têm verdadeiras jóias arquitetônicas em seus centro históricos. Para quem tem pouco tempo de viagem, dá para aproveitar um dia para conhecer as duas cidades, assim como fizemos com Pisa e Lucca. Para este bate-volta montamos base em Florença, mas também é viável hospedando-se em Siena. Mas para quem tem mais tempo, eu recomendaria passar uma noite em San Gimignano, o que deve ser mágico.

 

IMG_8446

Continue lendo este post:

Como ir de uma cidade a outra

Se você preferir hospedar em Florença, pode pegar o trem pela manhã cedo. É possível comprar os tickets direto na estação ou se preferir no site da RailEurope. Só escolher a opção Firenze S. M Novella- Siena. A viagem pode durar de 1h30 a 1h45.

Chegando em Siena, você irá descer bem próximo ao centro histórico e poderá ir caminhando ou pegar um ônibus de linha.

Para ir de Siena a San Gimignano é preciso pegar o ônibus 130, em direção a S.Gimignano Strada (Arrivo). E descer em San Gimignano Piazzale Montemaggio, que é justamente na porta da cidade, literalmente. A viagem leva 1h15. É fácil de comprar diretamente em Siena, mas é bom conferir antes os horários de partida.

E depois, na volta de San Gimignano para Florença é preciso fazer um combinado de ônibus e trem. É só  pegar o mesmo ônibus 130, no mesmo lugar onde desceu, na S.Gimignano P.S.Giovanni, em direção a P.Gramsci. São 20 min. A descida é em Poggibonsi Fs (Arrivo). E lá é possível pegar o trem para “Firenze – Siena – Grosseto (Piombino)” em direção a Firenze Santa Maria Novela. Ou seja, o trem para Firenze.  Serão 1 h 4 min. Também é bom ficar atento aos horários do ônibus e dos trens.

Continue lendo este post:

O que fazer em Siena

Siena é uma jóia. O Duomo (Catedral) de Siena é uma das igrejas mais lindas de toda Itália e, sendo os italianos especialistas em construir igrejas, é simplesmente deslumbrante. A praça do Campo é a principal da cidade e é onde são realizados os famosos Palios de Siena, tradicional corrida de cavalos realizada duas vezes no ano. O centro histórico de Siena tem ainda outras tantas igrejas, a praça do mercado, o palácio público, os muros medievais. Para conhecer bem a cidade é preciso otimizar o tempo, escolher as prioridades e se, possível, comprar bilhetes com antecedência.

Ruas de Siena
Rua de Siena

O que é imperdível na cidade:

Atrações gratuitas

Piazza del Campo

Piazza del Campo
Piazza del Campo

A Piazza del Campo tem um formato bem diferente, com o centro baixo e as bordas mais elevadas. Desde 1300  é o centro da vida de Siena, funcionando como mercado, ponto de encontro para todos os moradores da cidade, inclusive, para momentos políticos importantes ou festas. É nesta praça que duas vezes por ano, acontece o Palio de Siena, corrida de cavalos.

Dois pontos são importantes nesta praça a Torre del Mangia e o Palazzo Pubblico.  No topo da Piazza há a “fonte Gaia “ uma das mais belas fontes de Siena, esculpida por Jacopo della Quercia entre o 1409 e 1419. A que está hoje no local é uma réplica

Pallazo Pubblico
Pallazo Pubblico

Na Piazza del Campo sempre tem muita gente sentada ou deitada no chão, descansando, observando melhor a arquitetura e também fazendo um lanchinho.

A praça, obviamente é gratuita, mas quem quiser visitar a Torre del Mangia e o Palazzo Pubblico é preciso pagar entrada.

A torre funciona das 10h às 18h15. O bilhetes : 7 € ou 12 €, o bilhete que compreende a visita ao Museu Cívico também.

O horário do museu é das 10h às 18h30. O ingresso custa 7,50 euros.

Piazza del Mercato

Por trás da Piazza del Campo fica a Piazza del Mercato.  Menos conhecida, mais escondidinha, mas esta praça também tem um significado importante para Siena. Antes mesmo da Piazza del Campo ser contruída, na Piazza del Mercato já funcionavam a Casa da Moeda e a Casa do Mercado de Siena.

A Praça do Mercado tem uma forma clássica retangular, em volta estão vários edifícios importantes. Atualmente, no centro da praça, está um estacionamento para carros.

Basílica de San Francisco

Basílica de São Francisco
Basílica de São Francisco

Esta é  uma das igrejas mais importantes de Siena. Uma construção do século 13,  em estilo romântico. O interior da igreja parece um pouco vazio, mas isso ocorreu devido a um incêndio de 1655, pois antes a igreja tinha um interior parecido com a da Catedral de Siena. A basílica possui janelas góticas com vitrais, ao longo da nave, que foram refeitas logo após a Segunda Guerra Mundial, quando foram destruídas pelos bombardeios.

O mais interessante da ida a Basília, na minha opinião, é dar uma voltinha no seu entorno do lado de fora e observar a paisagem de Siena, uma bela vista (foto de abertura do post).

Horário: das 7h30 às 12h; 15h30 às 19h

Entrada gratuita

Atrações pagas

Catedral de Siena

Catedral de Siena
Catedral de Siena

O Duomo de Siena ou Catedral de Santa Maria del Fiori é o principal símbolo da arte, história e tradição da cidade. É uma das mais belas catedrais da Itália e um dos exemplos mais representativos do estilo romântico-gótico italiano. A catedral foi consagrada em 1179, na presença do Papa Alessandro III Bardinelli de Siena,  após o tratado de paz assinado com o Sacro Imperador Romano Frederico I, conhecido como Barbarossa. O edifício atual foi construído entre 1215 e 1263. O Duomo tem obras valiosas de grandes nomes da arte italiana como Pisano, Donatello, Michelangelo e Pinturicchio.

Dentro do complexo da Catedral é possível visitar também a Biblioteca Piccolomini, é um dos grandes tesouros,  construída pelo Papa Pio III para abrigar os livros de seu tio, Enea Silvio Piccolomini, que se tornou o Papa Pio II;  o Museu dell´Opera,  um dos mais antigos museus privados da Itália e que preserva obras de arte e elementos decorativos do complexo do Duomo; a Cripta, onde está uma das descobertas arqueológicas mais importantes dos últimos vinte anos,  uma sala decorada com um ciclo de pinturas executadas por uma série de artistas ativos em Siena durante a segunda metade do século XIII; o Batistério, igreja paroquial de São João Batista; e o Panorama,  ponto final de observação do Duomo.  São 131 degraus por uma escada estreita até o topo do Duomo Novo. Do alto é possível ter uma vista de Siena de tirar o fôlego.

Interior da Catedral
Interior da Catedral

O ticket completo inclui a Catedral, a biblioteca Piccolomini, o Museu, o Panorama, a Cripta e o Batistério e custa 12 euros de 1 de março a 31 de outubro e 8 euros de 1 de novembro a 28 de fevereiro. Se não quiser tudo  incluso tem as seguintes opções: Catedral + Biblioteca Piccolomini: € 4,00 desde para a catedral e € 2,00 para a Biblioteca. De  1 novembro a 28 fevereiro,  entrada gratuita.  Museo e Panorama € 7,00; Cripta € 6,00 (€ 8,00 em caso de eventos extraordinários); Batistério € 4,00.

http://www.operaduomo.siena.it/

 Horário:

1 março – 2 novembro, das 10h30 às 19h

3 novembro – 28 fevereiro, das 10h30 às 17h30

26 dezembro – 6 janeiro, das 10h30 às 18h

Continue lendo este post:

O que fazer em San Gimignano

San Gimignano é uma comuna da província de Siena. O seu centro histórico cercado por muralhas é minúsculo. Mas como tamanho não é documento, a cidade tem um rico patrimônio arquitetônico, que lhe rendeu o título de Patrimônio Mundial da UNESCO. Por ficar mais no alto, San Gimignano tem incríveis panorâmicas da paisagem da Toscana. É uma delícia de cidade.

Paisagem da Toscana
Paisagem da Toscana

Atrações gratuitas

Piazza della Cisterna

Piazza della Cisterna
Piazza della Cisterna

É a praça mais bonita da San Gimignano. No meio há um poço, que dá nome a praça, tendo sido  construído em 1273 e ampliado em 1346 por Guccio Podestà dei Malavolti , cujo brasão de armas,  uma escada, está gravado nas paredes de pedra do poço.

A praça tem um piso de tijolos vermelhos com formas triangulares que leva a Via del Castelo. Estão no entorno da praça Pallazzo Tortoli, a Torre da Corte, , o Hotel Cisterna,  o Palazzo Ridolfi , Palazzo Pellari, o Palazzo Ardinghelli e o Palazzo Lupi com sua Torre del Diavolo, a maior parte deles foram residências de tradicionais famílias italianas.

Piazza della Cisterna
Piazza della Cisterna

Também fica na Piazza della Cisterna a melhor gelateria do mundo, a Gelateria di Piazza ou Dondoli. A sorveteria é mencionado nos guias mundiais mais importantes e é continuamente visitada por televisões nacionais e internacionais. Bem que eu gostaria de saber disso antes de visitar San Gimignano. Como não soube, não provei e agora peço que, por favor, não esqueçam! E quando estiverem provando esta delícia lembrem de mim! 🙂

Piazza Duomo

 

Duomo di San Gimignano
Duomo di San Gimignano

Logo ao lado da Piazza della Cisterna está a Piazza del Duomo. Nesta praça estão o Palazzo Comunale, a Basílica Colegiada de Santa Maria Assunta, o Palazzo Chigi – Useppi e o Palazzo Vecchio del Podestà , com a sua Torre Rognosa que foi usado como prisão até o fim do século 14.

Para visitar o Duomo é cobrada entrada.

A catedral está aberta de  segunda a sábado, das 10h às 17h e aos domingos das 12h30 às 17h. O ingresso da custa 4 euros. Para  a catedral + museu de arte sacra, 6 euros.

Rocca di Montestaffoli

Vista do alto da Rocca di Montestaffoli
Vista do alto da Rocca di Montestaffoli

 

A Rocca foi um antigo castelo de Lombard Astolfo e mais tarde um convento dominicano. Esta fortaleza foi construída pelos florentinos em 1353 , quando a cidade era submetida a Florença para protegê-la de possíveis ataques de Siena. Hoje, restam apenas uma das torres antigas que é aberta aos visitantes, e oferece vistas deslumbrantes sobre o centro histórico, com suas torres únicas e paisagem circundante. Do alto da Rocca é possível fazer algumas das melhores fotos panorâmicas da cidade e ver a quantidade de torres da cidade. San Gimignano é conhecida como a cidade das torres. Alguns historiadores acreditam que, na Idade Média, 72 delas dominavam a paisagem local, mas apenas 14 foram oficialmente preservadas até hoje.

Porta San Giovanni

É a porta mais importante das muralhas da cidade de San Gimignano.  Fica ao ponto mais ao sul da cidade com acesso para quem vem de Siena. Foi concluída em 1262 e é o mais majestoso dos portões da cidade.

San Gimignano
San Gimignano

Ao visitar as duas cidades o mais importante a fazer é caminhar pelas suas ruas, observando cada detalhe e deliciando-se com a beleza da região, o que pode ser feito acompanhado de um gelatto. Não esqueçam também de fazer uma pausa para tomar um bom vinho!

Leia também:

Toscana: 1 dia em Pisa e Lucca

Um dia em Veneza

Quer viajar para Florença? Confira estas promoções que encontramos para você!

Reserve sua hospedagem em Florença

Viaje tranquilo! Para viajar para Europa é obrigatório fazer um seguro viagem. Faça sua cotação:


Um dia em Veneza

Chegamos na Itália por Pisa, vindos de Fez, no Marrocos. Já estávamos com mais de 6 meses de viagem, era nosso 18º país da Volta ao Mundo e a essa altura não fazíamos mais planos ou roteiros, apenas íamos aonde o destino nos levasse ou aonde desse vontade no dia ou na hora. Mas eu tinha apenas uma exigência na Itália: não poderia sair de lá sem conhecer Veneza. Nem que fosse por um único dia. Em 10 dias no país, conhecemos as principais cidades da Toscana, passamos por Roma e fomos convidados para ir à Milão. Deixamos para o final, o último dia, a ida à Veneza. Eu geralmente faço isso com coisas que quero muito, ou deixo para o final ou adio um pouco, como quem guarda a sobremesa preferida cuidadosamente para o final de um banquete.

Grande Canal
Grande Canal

Adiamos até o último momento a compra do bilhete do trem da Trenitalia e acabamos pagando mais caro por isso. Pegamos o trem em uma manhã bem cedo de novembro de 2013. A viagem completou um ano e eu já deveria ter escrito sobre ela há muito tempo. Mas fiquei esperando o momento certo de comer a sobremesa. E, de repente, esses dias me deu uma saudade de Veneza. E ontem, assistindo a mais um filme (“Apenas uma chance“. Está disponível no Netflix. Assistam!) que tem a cidade como cenário, decidi que de hoje não passava.  Continuar lendo Um dia em Veneza