Chegamos ontem à noite em Bogotá após passar um dia inteiro entre aeroportos. Hoje pela manhã madrugamos para trabalhar (vida de nômade digital é doce, mas não é mole não) e saímos ainda pela manhã para  passear pela cidade. Como estamos hospedados no bairro de La Candelária, que é o centro da cidade, decidimos visitar as atrações que estão nele, que, por acaso, estão entre as principais de Bogotá. Fizemos tudo à pé e não precisamos desembolsar nenhum centavo para entrar nos lugares que visitamos. Saiba como foi o nosso roteiro só com atrações gratuitas em La Candelária, Bogotá.

Cores de La Candelaria
Cores de La Candelaria

Antes de começar as andanças, claro, precisávamos comer bem. E bem pertinho do local onde estamos hospedados encontramos um restaurante super fofo, todo decorado com materiais reutilizados. O Hostal Cosu tem um cardápio de saladas, doces, cafés, sanduíches e combos de café da manhã, com preços bem acessíveis. O meu combo com uma xícara enorme de chocolate quente, torradas, manteiga e marmelada saiu por 4.000 COP, algo em torno de R$ 5.

Hostal Cosu: café criativo
Hostal Cosu: café criativo

Depois seguimos para a igreja de La Candelaria, uma construção colonial de 1703, declarada Monumento Nacional. Na mesma rua da igreja estão o Museu Botero e a Casa de La Moneda, os dois museus estão em um único prédio e têm um acervo grandioso.

Museu Botero. Ao fundo telas de Miró e Picasso
Museu Botero. Ao fundo telas de Miró e Picasso

Recomendo começar pela Casa de La Moneda, pois é contada um pouco da história da Colômbia (Nuevo Reino de Granada) e de Bogotá (Santa Fé), por meio da coleção numismática. No mesmo prédio estão também coleções de artes de vários artistas colombianos, que mostram os diversos estilos ao longo dos anos. As peças mais valiosas, desta parte do museu, no entanto, estão na sala de custodias coloniais, que fica protegida por portas de cofres, pois guardam peças religiosas originais, feitas com muito ouro, pedras preciosas, diamantes e pérolas.

O Museu Botero é, sem dúvida, o mais famoso e um dos mais importantes de Bogotá. São mais de 100 obras do principal artista colombiano, Fernando Botero, doadas por ele mesmo, além de quadros de alguns dos nomes mais importantes da arte mundial como Pablo Picasso, Pierre-Auguste Renoir, Juan Miró, Salvador Dali, Claude Monet, entre outros. Escrevi um post só sobre o Museu.

Museu Botero
Museu Botero

Na rua perpendicular ao prédio da Casa de la Moneda (carrera 5) está o Santuário Nacional de Nuestra Señora del Carmen. Uma igreja belíssima por fora e por dentro. Mas é preciso ficar atento aos horários, pois abre e fecha muitas vezes por dia. Nós fomos em um horário que estava fechada, mas a senhora da limpeza nos deixou dar uma olhadinha. 🙂

 

Santuário Nacional de Nuestra Señora del Carmen
Santuário Nacional de Nuestra Señora del Carmen

 

Voltando para a Calle 11, onde está a Casa de La Moneda, mais abaixo estão o Centro Cultural Gabriel Garcia Márquez (que ainda não visitamos) e mais abaixo está a Plaza Bolívar onde estão a Catedral Primada e, ao lado, a Capela do Sagrado, o Palácio da Justiça, o Capitólio Nacional, o Palácio Arcebispal e o Palácio Liévano, sede da Prefeitura de Bogotá.

Capitólio Nacional
Capitólio Nacional

A praça está em obras, pois estão construindo uma peatonal (rua para pedestres) e, pouco depois de chegarmos, começou um protesto muito grande, mas pacífico, de comerciantes contra uma lei que está em votação, que segundo eles favorecerá o monopólio de grandes empresas.

Protesto de comerciantes
Protesto de comerciantes

Por trás do Capitólio está o Palácio Nariño, residência oficial do presidente, mas o acesso estava fechado por causa do protesto e só vimos a parte de trás, onde bem em frente está o Claustro San Agustín, igreja que também visitamos.

Almoçamos em um restaurante no centro um menu por apenas 8.500 COP, pouco mais de R$ 10, com sopa de entrada, prato principal bem servido (havia duas opções), suco e sobremesa.

Depois do almoço, saímos para comprar algumas coisas que precisávamos, chip para celular, adaptador e depois íamos ao Museu do Ouro (que fica em La Candelária, mas não é gratuito), mas foi chegando lá que descobrimos que tínhamos deixado a câmera no restaurante (emoções já no primeiro dia). Saímos correndo por várias quadras e quando chegamos ao restaurante o alívio foi grande ao saber que eles tinham guardado a câmera. Aproveitamos e encerramos o nosso roteiro do dia, para não abusar da sorte. hehe

Andar por La Candelária é muito fácil, pois as ruas são distribuídas por números. E, além de muitas atrações, há muitos casarões antigos e coloridos, vários grafites bonitos, restaurantes e lojas.

Grafite em La Candelaria
Grafite em La Candelaria

Apesar das várias recomendações para ter cuidado, nos pareceu tudo muito seguro, pelo menos durante o dia (à noite é mais esquisito), havia muitos policiais e até exército, mas nesse caso, havia reforços por causa do protesto e porque estava sendo realizado um evento militar na Catedral.

E quanto aos colombianos, eles estão bem animados para o jogo com o Brasil de mais tarde pela Copa América. De cada 10, 8 estavam com a camisa da seleção, fora os carros enfeitados. Já já iremos assistir ao jogo, mas no hostel mesmo.

Colombianos com camisa da seleção
Colombianos com camisa da seleção

Como é possível perceber, nosso primeiro dia em Bogotá foi super produtivo, baratinho e maravilhoso.

E para ver mais fotos de nossa viagem acompanhe nossas redes sociais:

Instagram e Snapchat: @compviagens

Facebook:https://www.facebook.com/compartilheviagens 


Comentários