O Lago Atitlán é um dos destinos turísticos mais importantes da Guatemala. Cercado pelos vulcões Atitlán (3537 msnm), Tolimán (3158 msnm) e San Pedro (3020 msnm), o lago, de origem vulcânica, é enorme, ocupando uma área de 130 km². Nas margens do Atitlán, que fica no departamento de Sololá, estão vários municípios, além de aldeias e vilas maias. O primeiro passo para planejar uma viagem para lá é escolher em qual deles ficar. Nós escolhemos San Marcos La Laguna, considerado um recanto de paz no Lago Atitlán. Nesta parte do lago estão as opções de hospedagem que oferecem uma proposta mais zen, com aulas de yoga e meditação, gastronomia vegetariana, massagens.

O Lago Atitlán é cercado por 3 vulcões

O Lago Atitlán é cercado por 3 vulcões

Como chegar

Como já disse em outros posts sobre a Guatemala, a opção mais viável para viajar pelo país é contratando o transporte via agências de viagens, que são, normalmente, vans. Nós fizemos o trajeto Antígua – San Marcos La Laguna, que leva, em média, 3h40 a 4h. Saindo da capital, Cidade da Guatemala, a viagem é mais longa, em torno de 4h30. O transporte público é bem complicado na Guatemala, mas quem não tiver problema com isso, também pode chegar lá de Chicken Bus.

É importante se certificar com a agência que irá lhe levar de que eles irão mesmo até San Marcos La Laguna, pois a maioria das pessoas se hospedam em San Pedro, que é um destino mais badalado, com muitas festas e raves. No nosso caso, por exemplo, a van nos levou até a maior parte do caminho e, chegando no lago, nos colocaram em um tuk tuk até chegarmos em San Marcos.

Deque na Reserva Natural Cerro Tzankujil
Deque na Reserva Natural Cerro Tzankujil

Onde ficar

San Marcos La Laguna tem várias opções de hospedagem e a maioria segue o mesmo estilo, com aulas de yoga e meditação, massagens, gastronomia vegetariana. A cidadezinha tem até resorts e hotéis luxuosos, mas nós optamos por uma opção mais modesta e ecológica.

Nosso quarto no Eco-Hotel La Paz
Nosso quarto no Eco-Hotel La Paz

Nós ficamos no Eco-Hotel La Paz, em um chalé privativo. A acomodação era simples, mas confortável. No lugar são oferecidas várias aulas de yoga por dia, também massagem e o restaurante só serve comida vegetariana, deliciosa, or sinal. O dono do hotel, Benjamim é super gente boa. Ele e as funcionárias são indígenas maias. Elas, inclusive, vestem roupas tradicionais muito bonitas e se comunicam entre elas na língua indígena. O que é super interessante de observar.

Local para prática de yoga no Eco Hotel La Paz
Local para prática de yoga no Eco Hotel La Paz

Reserve sua hospedagem em San Marcos La Laguna

Reserve sua hospedagem no Lago Atitlán

O que fazer

San Marcos é praticamente um vilarejo. Portanto, os atrativos são a própria paisagem do Lago e as atividades oferecidas pelos hotéis e pousadas. Em San Marcos fica também a Reserva Natural Cerro Tzankujil, que fica em um monte considerado sagrado pelos maias. A reserva tem trilhas que levam até um mirante com vista para os vulcões e a um altar maia, que fica no alto do morro.

Altar maia na Reserva Natural Cerro Tzankujil
Altar maia na Reserva Natural Cerro Tzankujil

A reserva funciona das 8h às 18h, com entrada paga (15 quetzais).

Outras atividades recomendadas são alugar caiaque para passear no lago, que pode ser feito na reserva; e ir de barco até os outros municípios que ficam nas margens do lago. Muita gente também faz trilhas pela região, caminhando ou de bicicleta, que estão disponíveis para aluguel em vários locais (hotéis, pousadas, hostels, agências).

Vista da Reserva Natural Cerro Tzankujil
Vista da Reserva Natural Cerro Tzankujil

Em San Marcos também há vários restaurantes, com gastronomia de todo o mundo.

As margens do Lago Altitlán do lado de San Marcos são consideradas as “mais limpas”, mas quando estivemos lá, nos avisaram que, ainda assim, o lago não estava com água própria para banho. Vale perguntar como está a situação quando estiver por lá e, se tiver a chance, dar um mergulho. Mas com cuidado, pois a profundidade do lago chega a até 350 metros.

O mais interessante de viajar para o Lago Atitlán, especialmente em San Marcos é sentir a energia do lugar, ver de perto o dia dia e os costumes dos maias (apesar de todos serem de etnia maia, existem dentro da área do Atitlán, vários dialetos indígenas) e, claro, apreciar a paisagem.

Leia o que outros blogueiros escreveram sobre o Lago Atitlán:

Mochilão Trips: http://www.mochilaotrips.com/lago-atitlan-destino-imperdivel-na-guatemala/

Volto Logohttp://www.voltologo.net/lago-atitlan-uma-das-maravilhas-da-guatemala/

Leia mais sobre a Guatemala:

http://compartilheviagens.com.br/semuc-champey-um-lugar-incrivel-na-guatemala/

http://compartilheviagens.com.br/guatemala-antigua-e-uma-das-cidades-mais-bonitas-da-america-central/


Comentários