Nossa retrospectiva de viagens 2015 em 15 fotos: Nossa retrospectiva 2015 em 15 fotos

Na nossa retrospectiva de 2013, o ano que fizemos a Volta ao Mundo, escrevi: “2013 foi o melhor ano das nossas vidas até agora, mas que venham outros melhores anos!”. 2015 foi um desses “outros melhores anos”. Na verdade, foi quase uma continuação daquele incrível 2013. Se eu tivesse que escolher uma palavra para definir o ano 2015, seria intenso.

Este foi o ano da vida nômade, da renovação de votos matrimoniais, do Dois na América, lançamento do nosso primeiro guia (Guia de Mochilão pela Tailândia), em que finalmente consegui concluir um projeto que comecei em 2013 (em breve divulgarei mais detalhes) e que conheci pessoas especiais. Resumindo em  números, estivemos em 11 países, sendo dez novos. As cidades nem parei para contar.

Ao encerrar 2013, eu sabia exatamente o que não queria para minha vida. Saber para o que dizer “não” era o primeiro passo para a mudança que vivi nos últimos anos. Em 2015, encerro sabendo a que quero dizer “sim”. Foi, acima de tudo, um ano dedicado ao auto conhecimento.

Sem dúvida, também será um ano para lembrar em  2076, quando eu estiver aos 90 anos. Agora, começo os preparativos para os meus 30, que completo daqui a menos de 1 mês.

E para 2015 o que espero é continuar a viver com intensidade e, ao mesmo tempo, com serenidade. Mais ou menos como disse o Sri Sri Ravi Shankar (Arte de Viver):  “O ser humano precisa ter mais paciência. Tirar um tempo para meditar e aproveitar a vida intensamente. Paciência na mente e dinamismo na ação é a fórmula correta”.

Muito obrigada por tudo, 2015!

2016, te espero cheia de planos para você. <3

Agora vamos às fotos e aos fatos de 2015:

1- Começamos 2015 com a vida nômade em Pipa, que tem algumas das praias mais bonitas do Brasil, e onde moramos por quase 3 meses. Como deu muita sorte começar 2015 em Pipa, também vamos encerrar o ano lá, onde iremos passar o Réveillon.

Vida nômade Pipa
Vida nômade Pipa

2- Ainda em janeiro, viajamos para Fernando de Noronha para comemorar meu aniversário e nossas bodas de 5 anos de casamento. Aproveitamos para renovar os votos com o mesmo vestido que casei.

Renovação de bodas de casamento
Renovação de bodas de casamento

3- Em março, começamos a primeira parte do Dois na América. O primeiro país foi a Bolívia. O Salar de Uyuni foi um dos lugares mais incríveis por onde já estivemos.

Salar de Uyuni
Salar de Uyuni

4- Nessa viagem também fomos ao deserto do Atacama, no Chile.

Deserto do Atacama
Deserto do Atacama

5- Encerramos a primeira parte do Dois na América no Peru. Um dos nossos desafios nessa viagem foi fazer a Trilha Salkantay, de cinco dias, de Cusco a Machu Picchu.

Machu Picchu
Machu Picchu

6- Começamos a segunda parte do Dois na América (fizemos em duas partes, pois voltamos ao Brasil para o casamento do meu irmão) na Colômbia, onde ficamos por um mês. Um dos lugares mais bonitos que conhecemos no país foi Playa Blanca.

Playa Blanca, Colômbia
Playa Blanca, Colômbia

7- Fomos da América do Sul à Central de barco, no passeio pelas ilhas caribenhas de San Blás, no Panamá.

San Blás, Panamá
San Blás, Panamá

8- Continuamos a viagem pela América Central por terra. Seguindo do Panamá para a Costa Rica.

Parque Manuel Antonio, Costa Rica
Parque Manuel Antonio, Costa Rica

9- Depois, Nicarágua, onde fizemos Volcano Boarding, que é mais ou menos como um esqui bunda, mas em um vulcão ativo, descendo 450 metros em menos de 2 minutos!!

Volcano Boarding na Nicarágua
Volcano Boarding na Nicarágua

10- O último país da América Central foi a Guatemala, onde vivemos dias tensos por causa dos protestos para derrubar o presidente. De dez dias no país, cinco foram de deslocamento, devido as horas paradas nas estradas fechadas pelos manifestantes, que conseguiram, no final, a prisão da vice presidente e do presidente.

Apesar dos transtornos que enfrentamos, a Guatemala é um país incrível.

Semuc Champey, Guatemala
Semuc Champey, Guatemala

11 e 12- Eu geralmente não tomo partido dos países que visitamos, mas não posso negar que o México foi o meu país preferido em 2015. Amei tudo no país, que visitamos em dois momentos: Chiapas, Oaxaca, Cidade do México e Cancún e depois de irmos e voltarmos a Cuba, passamos uns dias na Riviera Maya e em Isla Mujeres.

 Pirâmides de Teotihuacán, próximo a Cidade do México
Pirâmides de Teotihuacán, próximo a Cidade do México
Playa del Carmen, Riviera Maya
Playa del Carmen, Riviera Maya

13- Como disse, entre uma parte e outra da viagem ao México, fomos a Cuba, onde passamos dez dias e visitamos várias cidades. 

Em Havana, Cuba
Em Havana, Cuba

14- Depois de Cuba e México, fomos aos Estados Unidos, país que já havíamos conhecido em 2013, durante a Volta ao Mundo, quando viajamos pela costa Oeste. Desta vez, fomos a Fort Lauderdale, Washington DC e Nova York.

Times Square, Nova York
Times Square, Nova York

15- No final do Dois na América, passei um dia em São Paulo, onde aproveitei para visitar as exposições de Frida Kahlo e a de Câmara Cascudo, que infelizmente, foi destruída recentemente no incêndio do Museu da Língua Portuguesa. 🙁

Exposição Frida Kahlo, em São Paulo
Exposição Frida Kahlo, em São Paulo

Alguns desses países ainda não ganharam posts no blog. E terminar de escrever sobre o Dois na América é a primeira das metas para 2016. 🙂


As paradisíacas ilhas de San Blás: Panamá: 4 dias pelas ilhas de San Blás, saindo pela Colômbia

Quando pensamos em uma ilha, logo nos vem à mente uma pequena porção de areia branca com coqueiros, cercada por água cristalina. Em São Blás, no mar do Caribe do Panamá, existe não apenas uma ilha desta, tal qual imaginamos, mas 365 delas. Sim, uma para cada dia do ano. O arquipélago torna-se ainda mais especial por pertencer ao povo indígena Kuna Yala, que tem história, cultura, forma de se vestir, de viver e de se organizar únicas.

A área onde as ilhas de San Blás estão começa logo na fronteira com a Colômbia, que é fechada para acesso por via terrestre, pois é uma área de floresta densa. Aproveitamos para realizar a travessia entre os dois países fazendo um tour de 4 dias pelas ilhas, passando por paisagens deslumbrantes e vivendo experiências inesquecíveis, que compartilho neste post.

O arquipélago de San Blás tem 365 ilhas
O arquipélago de San Blás tem 365 ilhas

Continuar lendo As paradisíacas ilhas de San Blás: Panamá: 4 dias pelas ilhas de San Blás, saindo pela Colômbia


Colômbia pela primeira vez: Colômbia pela primeira vez: dicas e o que você precisa saber

É inevitável. Você diz que você vai para a Colômbia e as pessoas já começam falar para tomar cuidado, que é muito perigoso, que tem as Farcs…Mas a verdade é que a realidade no país mudou muito nos últimos 15 anos e viajar  por lá é, sim, seguro. Além disso, a Colômbia é um país cheio de belezas, de diversidade, cultura rica, com um povo muito amável e receptivo, além de ser muito barato.  Ao longo da nossa viagem, já publicamos vários posts sobre a Colômbia, e agora fiz um resumo sobre o que você precisa saber em sua primeira vez no país.

Cabo de San Juan del Guia
Cabo de San Juan del Guia

Continuar lendo Colômbia pela primeira vez: Colômbia pela primeira vez: dicas e o que você precisa saber


Da América do Sul a Central a pé: Da América do Sul a Central a pé: como atravessar a fronteira da Colômbia (Sapzurro) a Panamá (La Miel)

Pouca gente sabe, mas é possível ir da América do Sul à Central a pé. E isso pode ser feito em apenas 30 minutos. Apesar da fronteira entre a Colômbia e o Panamá ser de floresta densa e não ter sequer uma via de acesso para transporte terrestre, é possível fazer a travessia caminhando, a partir da praia colombiana de Sapzurro até a praia de La Miel, no Panamá.

Fronteira entre Colômbia e Panamá
Fronteira entre Colômbia e Panamá

Continuar lendo Da América do Sul a Central a pé: Da América do Sul a Central a pé: como atravessar a fronteira da Colômbia (Sapzurro) a Panamá (La Miel)


Colômbia: Capurganá e Sapzurro, as belas praias na fronteira com o Panamá

Na fronteira com o Panamá, do lado do Mar do Caribe, estão duas das mais bonitas praias colombianas: Capurganá e Sapzurro. Chegar lá não é fácil e nos pequenos vilarejos não há internet ou ATMs. Mas o que leva os turistas às duas praias é justamente o clima de tranquilidade e, claro, a beleza do lugar. As praias ficam cercadas por montanhas e florestas e têm um mar cristalino. Também Capurganá e Sapzurro são muito procuradas por quem quer cruzar a fronteira com o Panamá pelo mar. Já que, além disso, não há opções terrestres, apenas voos. Os brasileiros ainda não são muito vistos nesta parte da Colômbia e há pouca informação disponível em português sobre Capurganá e Sapzurro. Por isso, resolvi fazer esse post com dicas para quem deseja conhecê-las.

Sapzurro
Sapzurro

Continuar lendo Colômbia: Capurganá e Sapzurro, as belas praias na fronteira com o Panamá


Colômbia: o que fazer em Medellín, a cidade queridinha dos mochileiros

Medellín é a cidade preferida de muitos mochileiros que viajam pela Colômbia, especialmente os mais baladeiros. A maioria deles se hospeda no bairro Poblado, onde estão muitos bares, restaurantes e baladas. Mas, além das noites animadas, a segunda maior cidade do país tem atrações turísticas suficientes para uma visita de pelo menos três ou quatro dias.

 

Plaza Botero
Plaza Botero e Museu de Antioquia

Continuar lendo Colômbia: o que fazer em Medellín, a cidade queridinha dos mochileiros


Bate-volta a partir de Medellín: Guatapé, a cidade da bela represa e dos zócalos

A 79 km de Medellín, também no estado da Antióquia, está o município de Guatapé, que tem belíssimas paisagens e uma cidade muito bonitinha. A cidade tornou-se um destino turístico nos anos 1970, quando recebeu um grande complexo hidroelétrico, que inundou mais de 2.200 hectares de terra. A represa, construída para abastecer Medellín, transformou a paisagem de Guatapé e é um dos principais atrativos turísticos da cidade. Conhecida como o “pueblo de los zócalos”, que são frisos na parte inferior das paredes das casas com vários tipos de desenhos. Guatapé parece uma cidade cenográfica, cheia de casas coloridas e ruas enfeitadas.

Um bate-volta que merece ser incluído em um roteiro em Medellín. Saiba como fazer.

Rua de Guatapé
Rua de Guatapé

Continuar lendo Bate-volta a partir de Medellín: Guatapé, a cidade da bela represa e dos zócalos


Caribe colombiano: Islas del Rosario e Playa Blanca, passeio imperdível saindo de Cartagena

Coqueiros, areia branca, águas tranquilas, de cor azul turquesa e cristalina. O caribe tal qual imaginamos não existe na famosa Cartagena das Índias, mas é possível encontrá-lo bem próximo dali, nas Islas del Rosario e em Playa Blanca, que ficam a 1h de barco do seu centro histórico. Todos os dias saem passeios que incluem a visita às ilhas e à praia. Para quem quer mais dias de sombra e água fresca, também é possível hospedar-se em Playa Blanca. Seja para um bate-volta ou para ficar mais uns dias. Se for a Cartagena não deixe de conhecer esses dois paraísos do Caribe colombiano.

Playa Blanca
Playa Blanca

Continuar lendo Caribe colombiano: Islas del Rosario e Playa Blanca, passeio imperdível saindo de Cartagena