Os Estados Unidos são o país com o maior número de imigrantes brasileiros. Não existem dados precisos, mas o Ministério das Relações Exteriores (MRE) estima que existam em torno de 1,3 milhão de brasileiros residentes no país. Uma das maiores comunidades brasileiras nos EUA está no estado da Flórida.

No “Morar Fora” desta semana, publico a entrevista com a jornalista Lidiane Lins que há dois anos vive em Boca Raton, na Flórida. Ela nos contou como foi morar no país, a diferença da Flórida pelo olhar de turista e o de residente, como conseguiu trabalho e o tão desejado Green Card, e dá um conselho para quem quer morar na Flórida.

Lidiane e Wes no Museu do Salvador Dali, em St. Petersburg
Lidiane e Wes no Museu do Salvador Dali, em St. Petersburg

Compartilhe Viagens: Há quanto tempo você mora na Flórida (Boca Raton) e o que a fez mudar para a cidade?

Moro aqui faz pouco mais de dois anos, decidi mudar para cá por causa do meu marido, que, na época, era namorado. Ele é daqui da Flórida e me pediu em casamento quando eu o estava visitando nas férias.

Você já tinha morado nos Estados Unidos antes, né? Em qual cidade?

Em 2006, dei uma pausa na faculdade de jornalismo e passei dois anos em Chicago, Illinois, onde participei do programa au pair e estudei História.

Você já conhecia a Flórida também? Quando visitou como turista, sentiu vontade de morar lá?

Na verdade, nunca tinha pensado em morar na Flórida. A única vez que vim aqui foi quando tinha 14 anos, em viagem pra Disney. Agora, quando penso na minha experiência, percebo que os passeios nos parques de Orlando não refletem em nada o que é a “vida real” na Flórida.

Lidiane mudou-se para a Flórida há dois anos quando foi pedida em casamento por Wes
Lidiane mudou-se para a Flórida há dois anos quando foi pedida em casamento por Wes

Qual a sua situação atual nos Estados Unidos, você já possui Green Card e passaporte?

Eu obtive o Green Card cerca de um ano atrás, mas para poder pedir cidadania americana, ainda tem um período de espera de mais dois anos. Meu status atual é de residente permanente.

Por quais trâmites você teve que passar para conseguir o Green Card?

Como sou casada com um cidadão americano, todo o processo foi feito com base na nossa vida aqui, com o objetivo de provar que a nossa relação é real e que temos a intenção de começar nossa família na América. Enviamos vários formulários, fotos nossas, extratos de contas conjuntas, enfim tudo o que faz parte da nossa vida diária. Na verdade, foi tudo muito simples. Alguns meses após o envio da papelada, fizemos uma entrevista na imigração e menos de um mês depois, recebi o cartão de residente em casa.

Na primeira vez que você morou nos Estados Unidos, você sabia que era temporário. E nesta segunda vez, que poderia ser permanente. Como foi a adaptação no país desta vez?

Dessa vez foi completamente diferente. Mesmo tendo a experiência de viver nos Estados Unidos, é outra coisa mudar para cá como um adulto (hehehe), procurar emprego, casa nova, fazer novos amigos. Sem falar no início da vida a dois! Wes (meu marido) e eu sempre falamos que começamos a maior aventura das nossas vidas e está sendo fantástica, mesmo com a saudade imensa de casa.

O que você faz atualmente? Como é para conseguir trabalho?

Atualmente, trabalho em um banco. Esse já é meu terceiro trabalho aqui e acredito que finalmente estou no caminho certo para uma carreira. Conseguir trabalho aqui não é muito difícil, contanto que você seja um imigrante legal, seja fluente em inglês e até mesmo saiba espanhol, já que estamos falando de Flórida. Mas a maioria das ofertas por aqui, pelo menos para profissionais da área de humanas, é toda voltada para vendas. Trabalhei em duas lojas antes do banco, até surgir essa oportunidade, com a (real) chance de seguir carreira.

Do que você sente mais falta no Brasil? Já chegou a pensar em voltar?

Sem dúvida, sinto falta da minha família e dos amigos que deixei no Brasil. Acabei de visitá-los em agosto e parecia que nunca tinha saído! Dá um aperto enorme no coração saber que só os verei uma vez por ano, se muito, mas é o preço a pagar pela escolha de vida que fiz, que aliás, vale a pena cada minuto! Agora que estamos nos estabilizando e construindo nossa vida por aqui, não temos intenções de mudar para o Brasil.

O que os Estados Unidos ou a Flórida têm que você gostaria que tivesse no Brasil também?

Penso bastante nisso desde que mudei pra cá e cheguei à conclusão de que a segurança pública é incomparável entre os dois países. Infelizmente, quase todos os dias vejo relatos de amigos nas redes sociais sobre o medo da violência que assola nossa linda cidade Natal e tantas outras pelo Brasil afora.

Como você se sente hoje? Mais brasileira ou mais americana?

Me considero 100% brasileira (daquelas que sempre choram quando ouvem o hino nacional), mas bem adaptada à vida americana. Quem sabe daqui a uns anos eu me torne meio a meio ☺️

Que conselhos você daria para quem quer morar fora do Brasil, especialmente na Flórida?

Diria que venha!! A Flórida é linda, quente como o Brasil, sol e praia o ano todo e gente bacana para conhecer. Pra falar a verdade, quando se tem a vontade de conhecer outra cultura e estilo de vida, qualquer lugar de escolha vale a pena. Morar fora muda a gente, expande os horizontes e nos ajuda nos encontrar. E pode parecer meio piegas, mas acredito sinceramente que o mais importante é estar feliz no lugar em que você escolheu para viver. Como dizem aqui, Home is where the heart is. O nosso lar é onde nosso coração está.

Leia mais:

Morar Fora: Amsterdã, Holanda, por Mara Nogueira

Morar Fora: Sydney, Austrália, por Polyana Moura

http://compartilheviagens.com.br/categoria/america-do-norte/estados-unidos-america-do-norte/


Comentários