Depois de toda preparação e nervosismo antes da minha viagem, minha jornada finalmente começou na última quinta-feira. Minha amiga Anna, que me visitou exatamente antes de sair para o aeroporto, disse que essa seria a viagem da minha vida, então, decidi dar um nome a ela e escolhi “Worldlust”. É uma combinação de “wanderlust” que é uma palavra em alemão que significa “paixão por caminhadas”. Como eu não quero apenas caminhar, mas ter uma experiência pelo mundo, decidi que o nome da minha viagem seria “Worldlust”. O que vocês acham do nome?

Julie em Bali
Eu (Julie) em Bali

Ficar 20h em aviões ou aeroportos pode ser muito irritante, mas graças a Deus, eu adoro assistir filmes e posso dormir em qualquer lugar. Depois disso, cheguei em Jakarta, na Indonésia. Eu tinha lido hoje que uma forte chuva de monções deixou a cidade inundada. Na semana passada não havia nenhum problema para chegadas ou partidas de voos. Eu consegui meu carimbo com “Visita livre de visto” sem nenhum problema e não precisei mostrar nenhuma passagem de saída da Indonésia e nem fotos para passaporte. Tive que pegar minha bagagem e embarcá-la novamente, já que mudei da Turkish Airlines para a Garuda Indonesia. Levou cerca de 1 hora para pegar a mochila e sair do terminal 2 (Terminal Internacional) para o 3 (de voo nacionais) com o ônibus gratuito do aeroporto e despachar novamente a minha bagagem. Durante este tempo, conheci Felix, um alemão de Munique, de 19 anos e que está viajando pelo mundo por 6 meses, depois de terminar o Ensino Médio. Ele pensou que eu também era estudante e que tinha 21 anos. Muito obrigada novamente, já me sinto mais jovem! ^^ Também me tornei uma milionária na Indonésia, apesar de estar viajando como mochileira. Isso porque 1 € equivale a 15.000 IDR (rúpias da Indonésia).

Me tornei uma milionária em Bali
Me tornei uma milionária em Bali

Quando cheguei em Bali, Indonésia, minha anfitriã do Couchsurf, Anastasia, já estava me esperando com um grande sorriso! =) Eu estava tão feliz de finalmente encontrá-la depois de termos conversado apenas pelo WhatsApp. Nós pegamos a moto dela e fomos nós três: ela, eu e minha mochila, coubemos perfeitamente. Eu tive minha primeira impressão de Kuta: um lugar caótico e colorido.

Um lugar caótico e colorido: Bali
Um lugar caótico e colorido: Bali

Um lugar que você tem que andar de modo – faça chuva ou sol – pelo menos uma vez pela cidade de mil cheiros que muda a cada 10 segundos: comida, flores, limpeza, animais, mar, grama, gás, lama, chuva e muito mais. Eu nunca poderia dirigir aqui por duas razões: 1) é simplesmente congestionado e louco! e 2) eles dirigem na mão inglesa e isso seria muito confuso para mim!  

Anastasia e eu, prontas para andar de moto, debaixo de chuva
Anastasia e eu, prontas para andar de moto, debaixo de chuva

Por enquanto, estou tentando ficar menos confusa com a língua indonésia. Já aprendi que “air” significa “água”.

Água você pode encontrar em todo lugar, também para se lavar depois de ir ao banheiro. Também papel higiênico é usado aqui. Pelo menos nos banheiros com sanitários onde eu posso sentar e não ter que ficar em pé em cima de um buraco. Nos banheiros públicos, encontrei diferentes preços dependendo do que você for fazer: xixi (“kecil”), cocô (“besar”) ou tomar banho (“mandi”). ^^

Preços para usar o banheiro, de acordo com o que for fazer: xixi, cocô ou tomar banho
Preços para usar o banheiro, de acordo com o que for fazer: xixi, cocô ou tomar banho

Anastasia me ensinou tantas coisas sobre o povo da Indonésia e Bali. Ela é natural de Surabaya, em Java, mas já vive e trabalha em Bali por 2 anos. Ela é mulher muito feliz, cheia de entusiasmo e energia! Tenho tido conversas muito boas com ela e nos últimos três dias e nunca foi chato estar perto dela. Apenas escutá-la já coloca um sorriso no seu rosto!

Uma das minhas frases favoritas dela é: “Quando você está feliz, você está saudável”. Ela vive completamente a vida!

Ela também me disse que “os australianos vêm para Bali para curtir as festas (por isso, eles ficam em Kuta) e os europeus vêm para relaxar”. Eu pensei que há algumas exceções, como eu, que vim para conhecer a cultura, curtir as festas e relaxar! 😉

Anastasia e eu também falamos sobre a vida e casamento e ela me contou com suas palavras que o “estilo ocidental” é viajar muito e ter a mente aberta. Em contraste com o “estilo oriental” em que a família decide em 70% o que você deve fazer e pensar. Portanto, ela é feliz em morar em outra ilha, um pouco longe de sua família para que ela possa ser um pouco mais independente.

Nós fomos ao Templo Taman Ayun que fica perto do rio e é como se flutuasse em um lago. É muito lindo de ver! Quando nós passamos por um homem que estava pescando no rio poluído, perguntei a Anastasia: “Você acha que existe algum peixe saudável aí?”. Ana respondeu: “Bem, depende como você vê isto… provavelmente não é mais saudável do que a comida química do Mc Donald´s e outras redes de fast food. Mas também, não é pior”.

Com Anastasia no Templo Taman Ayun
Com Anastasia no Templo Taman Ayun

Palavras importantes que pode abrir algumas portas na Indonésia ou, pelo menos, colocar um sorriso no rosto dos nativos:

“Terimakasih” – Thank you – Obrigado

“Sama-sama” – You are welcome – Seja bem-vindo!

“Air” – Water – Água

“Ga makasih” – No, thank you – Não, obrigado!

Especialmente, nunca esqueça de sorrir aonde quer que você vá!

Aonde mais eu deveria ir? O que você me recomenda para que eu possa experimentar em Bali?

Sua feliz garota viajante, de Bali,

Julie

Traduzido por Karla Larissa. Texto original em inglês:

http://compartilheviagens.com.br/first-days-in-bali-anastasias-bali/ 

Leia mais posts da série Worldlust:

Viajando sozinha por 6 meses: “a 26 horas de distância”

Lista do que fazer antes de viajar pelo mundo

Backpack ready! What you should bring for travelling the world

 

 

 


Comentários

  • Viajou, Me Conta!

    Que delícia de relato! Ansiosa pelos que ainda virão. xD

    • Juliane Boll

      Muito obrigada! Vai vir novo post pronto! Entao fica com curiosidade! 🙂