Se eu tivesse que dar apenas uma dica sobre o que fazer na ilha de Boipeba seria: faça o passeio de volta à ilha! Diferente do volta à ilha de Morro de São Paulo, que foi uma decepção para nós, o passeio de Boipeba nos rendeu um dia perfeito, com paisagens cinematográficas, piscinas naturais cristalinas, um almoço farto e delicioso e um pôr do sol arrebatador. O passeio dura um dia inteiro e é ótimo para quem tem pouco tempo para conhecer a ilha ou para fazer um reconhecimento nos primeiros dias.

Praia de Bainema, ilha de Boipeba
Praia de Bainema, ilha de Boipeba

Bandeira da Bahia na lancha de Irã
Bandeira da Bahia na lancha de Irã

Depois do desapontamento com o passeio de volta à ilha de Morro de São Paulo, como contei no post (3 dias em Morro de São Paulo, Bahia), não estava muito interessada em fazer o volta à ilha de Boipeba. Mas como tínhamos pouco tempo na ilha e Irã, o dono da lancha que nos abordou em uma pizzaria de Boipeba, foi muito convincente, topamos. De cara, já tinha falado para ele da decepção que tinha sido o passeio de Morro. E ele garantiu que em Boipeba seria diferente.

Chegamos no horário e locais combinados, às 9h, no restaurante Família, na praia da Boca da Barra, e o tempo estava feio, com muitas nuvens e logo começou a chover. Algumas pessoas do grupo, que já estava fechado, começavam a desistir, mas Irã prometeu que o tempo iria abrir logo e foi procurar mais turistas para completar a quantidade mínima para não cancelar o passeio.

Saímos, finalmente, da Boca da Barra, quase às 10h, com o tempo já abrindo. Antes, alugamos máscara + snorkell por R$ 10 cada kit. O responsável pelo aluguel oferece o kit no mesmo local onde nos encontramos para a saída do passeio. A lancha de Irã é novinha, tem coletes salva-vidas e bancos cobertos do sol.

Saímos da praia da Boca da Barra, passamos pelas praias de Tacimirim e Cueira até chegar às piscinas naturais de Moreré. Fizemos uma parada de 40 minutos. A maré estava baixa, mas não no mínimo. O sol apareceu com toda força e a visibilidade estava ótima, mas vimos poucos peixinhos e corais.

Moreré, Boipeba
Moreré, Boipeba

De Moreré seguimos para a Praia de Bainema, onde ficamos por mais 40 minutos. Bainema tem uma extensa faixa de areia branca, recortada por coqueirais, e um mar azul Caribe. É de tirar o fôlego de tão linda! No local onde paramos tem um camping e bar que vende água de coco, alguns drinks e petiscos. O banho nesta praia é também uma delícia, com águas calminhas e mornas.

Praia de Bainema
Praia de Bainema
Bar na Praia de Bainema
Bar na Praia de Bainema

Da Praia de Bainema continuamos entrando no Rio do Catu para mais uma parada de 40 minutos para banho, desta vez, de água doce. Segundo Irã, esta parada é só ele que faz e não é oferecida pelas outras empresas. De fato, só tinha a nossa lancha lá. A paisagem do rio também é muito bonita e o local onde paramos é rasinho, dá para nadar tranquilo.

A próxima parada foi a Ponta dos Castelhanos, outra bela praia de Boipeba, cheio de barracas de palha que vendem siri, caranguejo, lambreta (um tipo de molusco de águas salobras), peixe frito, pasteis de vários sabores (entre eles, lagosta, camarão, siri) e bebidas, inclusive, o exótico drink de cacau com biribiri (um tipo de fruta), que, infelizmente não provei, só fiz foto. =P Aqui fizemos uma parada para lanche, pois almoçamos mais tarde na Cova da Onça. Ficamos na Barraca da Glória e a maioria optou por comer pastel ou provar a lambreta. O pagamento é feito em dinheiro e um pastel de lagosta, por exemplo, custa R$ 13.

Rio do Catu
Rio do Catu
Praia dos Castelhanos
Praia dos Castelhanos
Siri na Praia dos Castelhanos
Siri na Praia dos Castelhanos
Drink de Cacau e Biribiri, na Praia dos Castelhanos
Drink de Cacau e Biribiri, na Praia dos Castelhanos

O ponto alto do nosso passeio foi a parada, mais 40 minutos, nas piscinas naturais de Castelhanos. Aqui, sim, vimos muitos tipos diferentes de peixes e corais. Algumas pessoas do grupo viram até moreia. Irã falou que foi ele também que incluiu essa parada no passeio de volta à ilha e que nem todos fazem essa parada. Mas encontramos outra lancha por lá e no ponto onde paramos, tinha até um bar flutuante.

Mergulhando nas piscinas dos Castelhanos
Mergulhando nas piscinas dos Castelhanos
Peixinhos nas Piscinas de Castelhanos
Peixinhos nas Piscinas de Castelhanos
Visibilidade da água perfeita
Visibilidade da água perfeita

Depois das piscinas de Castelhano, fomos, finalmente, para o local do almoço, a Cova da Onça, em São Sebastião. Paramos no Restaurante Estrela. Irã recomendou comer lagosta grelhada na manteiga e no abacaxi, mas Fred e meus pais pediram uma mariscada e, para mim (que sou vegetariana), fizeram especialmente uma moqueca de banana. Simplesmente deliciosa! A comida é muito farta (um prato serviu 3 muito bem). Nesse restaurante, eles aceitam cartão. Nossa conta deu R$ 180 para 4 pessoas, mas meu pai e Fred tomaram algumas cervejas. Então, dá para gastar bem menos.

Praia da Cova da Onça, Velha Boipeba
Praia da Cova da Onça, São Sebastião

São Sebastião é uma vila muito simples de pescadores. Aproveitei a parada do almoço para fazer um rápido passeio pela vila, ver as crianças brincando, e ir até a igrejinha de São Sebastião (do início do século 20). Infelizmente, a igreja estava fechada. Mas uma moradora me contou que é muito bonita por dentro.

Reserve sua hospedagem em Boipeba

*O Compartilhe Viagens participa de um programa de afiliados do Booking.com, por meio do qual é possível reservar hotéis  com descontos e segurança e ainda ajudar ao blog se manter. Nós recebemos uma pequena comissão e você não paga nada mais por isso.

Comentários